Home Escola Por vezes os professores perdem a cabeça…

Por vezes os professores perdem a cabeça…

310
1

Não sou advogado de defesa de ninguém, somos todos grandinhos e devemos responder pelas nossas ações. Se é verdade o que se passou no Agrupamento de Escolas de Pombal é bastante grave e no campo do “suponhamos”, dificilmente o professor evitará uma multa ou suspensão.

Também é verdade que os professores não são máquinas e por vezes é muito difícil, repito, muito difícil, manter o sangue frio para não cometer algo que não desejamos. Quando sabemos que estão a gozar de forma descarada connosco, quando somos insultados, ameaçados, humilhados, provocados e tudo à frente de duas dezenas de alunos, é preciso ir buscar forças não sei bem onde para manter a dignidade e o exemplo. E convém recordar o estado de fragilidade emocional de muitos professores, fruto do burnout e afastamento familiar a que são sujeitos, ano após ano.

Seria curioso ver como reagiriam muitos dos críticos dos professores nestas circunstâncias… Mas apesar das atenuantes que possam existir, no final do dia, um professor não pode perder a cabeça, afinal… ele é que é o adulto…

Nunca direi que desta água não beberei… só espero é nunca ter sede…

Pais acusam professor de agredir criança; escola investiga

(LUSA via Público)

Segundo a mãe:

“O professor foi directo ao meu filho e disse-lhe que ia limpar aquilo com a cabeça e pegou-lhe na cabeça e esfregou-a no quadro. Depois empurrou-o e ele caiu”. O menino foi sentar-se, “pedindo desculpa ao professor”, que, de acordo com Paula Marques, começou a “empurrar a mesa contra a barriga” da criança e “a dar murros em cima da mesa”.

O docente terá voltado ao seu lugar, mas, pouco depois, ter-se-á dirigido novamente à criança e, exaltado, voltou a ter o mesmo comportamento. “Assustado, o meu filho acabou por fazer chichi nas calças. Isto terminou quando uma funcionária ouviu o barulho e chamou a direcção. Foi aí que nos telefonaram”.

Segundo a PSP:

Fonte do Comando da PSP de Leiria confirma que a PSP foi chamada à Escola Marquês de Pombal, “por ter havido desentendimentos entre um professor e um aluno” e, “posteriormente, entre o progenitor desse aluno e o mesmo professor”. No entanto, “ao que foi possível apurar, não terá havido agressões físicas propriamente ditas em nenhuma das ocasiões”, refere a PSP.

O que diz a associação de pais:

manifestou, em comunicado, a sua “preocupação e repúdio pelos actos de violência alegadamente perpetrados por um professor para com um aluno”. “A APP espera que as instâncias competentes averigúem com a maior brevidade os factos e tomem as medidas preventivas adequadas ao caso.

O que vai fazer a direção:

A direcção do Agrupamento de Escolas de Pombal já fez saber ao conselho executivo da associação a intenção de instaurar um processo disciplinar ao professor em causa”.

1 COMMENT

  1. Só quem está diariamente a (tentar) trabalhar com miúdos consegue perceber o quanto isso é difícil… Alunos sistematicamente desobedientes, perturbadores, provocadores e etc. destabilizam qualquer um! E, convém denotar, que as crianças também mentem!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here