Home Notícias “Temos De Salvar O Ano Letivo” – António Costa

“Temos De Salvar O Ano Letivo” – António Costa

38
0

Talvez a Cristina não perceba nada disto e o Primeiro-Ministro apenas um pouco, mas é de lei que os alunos com 2/3 do ano não ficam retidos, desde que naturalmente tenham tido aproveitamento.

A sociedade não precisa de estar preocupada com a possibilidade de algo que não é real, não é preciso salvar nada, pois nada está perdido. Talvez o Ministro da Educação não tenha informado o nosso Primeiro como é que as escolas funcionam, se calhar convinha fazer alguma coisa e explicar um bocadinho para depois não virem para a televisão dizer disparates.

Outra coisa que não percebo é o porquê de esperar pelo dia 7 de abril para dizer que as escolas vão permanecer encerradas, mas alguém tem dúvidas? E se por uma idiotice qualquer abrissem as escolas, acham mesmo que os pais iam deixar os seus filhos ir?


António Costa garante que alunos não vão perder o ano letivo

Durante a entrevista n’O Programa da Cristina, António Costa garantiu que alunos não irão perder o ano letivo.

António Costa foi ao programa de Cristina Ferreira para sublinhar que os alunos não perderão o ano letivo. Questionado sobre a preocupação de muitos pais alunos com o encerramento de escolas e interrupção do ano letivo, António Costa indicou que os alunos não perderão o ano letivo.

“Temos de salvar o ano [letivo], assegurando a maior justiça possível”, indicou o primeiro-ministro, referindo que o Governo está a estudar o desenvolvimento de uma alternativa para as avaliações.

António Costa recordou que o encerramento de escolas deve-se a um ano “absolutamente extraordinário”. Relativamente à possibilidade de reabertura de escolas, ainda durante este ano letivo, António Costa indica que a 7 de abril será feita uma nova avaliação, com várias entidades, para “fazer uma nova avaliação especificamente com o objetivo de perceber o que decidimos a dia 9 de abril”, uma semana antes da data marcada no calendário para o início do 3.º período, a 15 de abril. “Está a ser estudada ao máximo a possibilidade de reabrir na medida do possível”, indicou António Costa. “Quando disse que uma bóia não nos salva de um tsunami é porque vamos engolir muita água”, recordou Costa, reconhecendo os efeitos que o vírus já está a ter na economia e nos rendimentos de muitas famílias. Relativamente à renovação do Estado de Emergência, António Costa reconhece que “será o mais provável” de acontecer. A decisão terá de ser avançada pelo Presidente da República e submetida à Assembleia da República.

Fonte: Dinheiro Vivo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here