Home Escola Surto covid em escola de Oeiras- crianças continuam a frequentar a escola

Surto covid em escola de Oeiras- crianças continuam a frequentar a escola

9523
11

Continuam a chegar ao meu email queixas sobre os procedimentos dos delegados de saúde e falta de ação/informação.


Na escola Prof. Noronha Feio, do agrupamento de escolas de Linda-a-Velha e Queijas, no concelho de Oeiras, na turma 6o C já existem dois casos confirmados de covid-19. Após o 1o caso, com teste positivo na 5a feira, dia 01/10, apenas as crianças que se sentavam ao lado, à frente e atrás da criança infetada foram isolados e testados. A delegada de saúde não contactou ninguém e a escola descartou-se de qualquer responsabilidade, indicando que seguiam as indicações da delegada de saúde. Indicou ainda que a delegada de saúde considerava os contactos de baixo risco, pelo uso da máscara.
Depois de muitos contactos a diversas entidades pelos pais, através da delegação de saúde de Paço de Arcos/Oeiras, foram enviados os códigos para testes às crianças apenas na tarde de 08 e 09 de outubro! De notar que o último contacto com a  criança infetada tinha sido 14 dias antes, a 25/09.
A 10/10 confirmou-se o segundo caso. Aos pais apenas foi transmitido que redobrassem os cuidados e que seria a delegada de saúde a dar instruções.
Na 2a feira a turma continuará a ir à escola. As crianças que estavam em isolamento regressam na 2° feira, com exceção do novo infetado. E vamos reiniciar o processo quando a sra. Delegada de saúde tiver tempo,  para  feira mandarão para casa as crianças que se sentavam ao lado deste novo infetado……, até quando? Até ao momento mais ninguém ficou isolado. Nem quem se senta ao lado da criança infetada. Apenas um aluno de outra turma está em isolamento por contacto com o infetado, por apresentar sintomas. Ainda não fez o teste.
Mais grave é que a origem já foi num surto iniciado na creche de Queijas, uma educadora terá contagiado a irmã do 1o caso da escola Noronha Feio. A autoridade de saúde, mesmo estando os pais e a menina em isolamento, indicou que a irmã deve continuar a ir à escola.
Quando ficou finalmente em casa foi por iniciativa dos pais, a 25/09, só foi testada a 30/09….
Com a mesma origem uma turma da escola Cesário Verde está a ter aulas em casa.
A delegada de saúde continua a não fazer nada…
Mesmo assim não são tomadas as providências necessárias e em tempo útil.
Esta situação não será de certeza única. Algo tem de ser feito.

11 COMMENTS

  1. Bom dia
    Sou mãe de uma criança da Noronha Feio que inclusive está na sala de uma outra criança infectada. Tem sido uma pouca vergonha a forma como a escola tem tradado estes casos. Existe falta de informação, clareza e rapidez tudo aquilo que é fundamental para evitar a propagação

  2. Esta escola e outras do concelho já tiveram funcionários infectados e nunca fecharam. As escolas estão simplesmente a seguir um plano comum, em que apenas as pessoas mais próximas do infectado fazem o teste covid e, caso de negativo, voltam para a escola, se der positivo ficam em casa. Não me parece nada de novo, porque é assim que estão programadas as coisas para não haver novo confinamento.
    Para o Governo, quanto menos escolas, lares e instituições fecharem melhor, que é para não haver alarmismo nem terem razão para voltar ao confinar!!!

  3. Está a acontecer em outras escolas da Grande Lisboa. Os professores nem sequer são contactados para fazer teste e continuam ao serviço como se nada fosse. Há turmas em que alunos com familiares com Covid que vão para casa e regressam do isolamento sem fazer teste algum. Tenta-se sobretudo sonegar informação a comunidade escolar, o que é perigoso e criminoso em termos de expansão da pandemia e da saúde pública. Será que é uma estratégia concertada?????

  4. Para grande espanto hoje dia 13-10 após quase um mês de aulas começaram a medir temperaturas entrada da Escola NoronhaFeio muito se deve certamente a vossa denúncia contudo convém rectificar que não são apenas 2 crianças mas sim 6 e que na escola de linda velha sede do agrupamento também já tem casos e a situação persiste tem de ser os pais a tomar medidas e testar filhos que essa Sra delegada de saúde não tem tempo e desvaloriza todas situações é lamentável porque sem prevenção nunca iremos conseguir travar este vírus

  5. Aqui trata-se de desinformação em pleno. Aprecio particularmente as respostas anónimas de uma mãe que tem um filho que sabe que há uma criança que diz que há uma criança que diz que há uma criança. Todos os procedimentos têm sido seguidos de acordo com as instruções da dgs. Pouca-vergonha é a crítica sistematicamente destrutiva, baseada num misto de desconhecimento do que tem sido feito e intuito de gerar pânico. Falaram com a escola, com o Director, com as Associações de Pais antes da publicação? Tentaram ouvir a posição e as razões de quem de direito? Era bonito e correcto.

    • Caro José Pacheco, há muito que passámos o caso particular, tenho pelo menos uma dúzia de queixas na minha posse. Ainda hoje falei com uma professora que recebeu ordens para abafar o caso…

  6. Exmo. Alexandre Henriques, respondo para não dar a ideia de que concordo, avisando desde já que, por mim, me recuso a continuar a alimentar esta falsa polémica.
    Espanta-me que, mesmo tratando-se de um blogue (o autor escreve o que quer, lê-o e acredita quem quer) haja tanta dificuldade em distinguir factos comprovadamente apurados e o diz-que-disse. “Há casos de que lhe falaram”, “uma professora diz que recebeu ordens para” etc etc etc. Estamos no campo da pura insinuação. Que rigor têm esses dados? Que credibilidade tem a professora anónima que afirma que…? Quem deu as “ordens”? O director, um colega, uma amiga? Em que circunstâncias, como, porquê? Estranharia muito, porque ouvi o director apresentar transparentemente os dados sobre os casos identificados e sobre as medidas tomadas, que desmentem os números que o senhor tem estado a divulgar. É evidente que não tenho lições a dar a quem, como o senhor, saberá muito bem o que está a fazer e com que intenção. Por isso me fico por aqui.

    • Tive o cuidado de falar com o pai, a escola não me respondeu. Lembro também que não sou jornalista e não foi escrita nenhuma mentira

      Cumprimentos

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here