Home Escola Sindicato de Todos os Professores apoia a ILC

Sindicato de Todos os Professores apoia a ILC

2018
17

O desafio foi feito a todos os sindicatos para se pronunciarem sobre a Iniciativa de Cidadãos que visa recuperar todo o tempo de serviço docente. O S.TO.P, talvez pela irreverência da sua juventude 😉 , foi o primeiro a juntar-se aos professores.

O novo sindicato de [email protected] @s [email protected] (S.TO.P.) junta forças aos colegas do ComRegras na iniciativa legislativa de professores para a recuperação do tempo de serviço. Quando surge uma boa iniciativa em defesa da classe docente, independentemente de quem a propôs, queremos sempre juntar forças: JUNTOS SOMOS + FORTES! Esperamos que os outros sindicatos docentes façam o mesmo.

17 COMMENTS

  1. Porque não enviar também o pedido de divulgação à ANP (Associação Nacional de Professores) e Casa do Professor, que julgo não se regem pelas dependências político-partidárias, mas que reúnem um elevado número de associados.
    Obrigado pela iniciativa!

  2. Acho que há um ditado que não sei se conhecem que diz “dividir para reinar” é o que penso com a nossa classe que para a defender precisa de 23 sindicatos.
    Claro que quem faz parte dos órgãos dum sindicato tem muitas regalias, deve ser uma das muitas razões para haver tantos.
    Todos acham que vão defender melhor os nossos interesses

    • Repare Aníbal que os outros sindicatos foram constituídos sob o signo da divisão, como os próprios nome bem espelham. O facto de existirem muitos, é um absurdo, mas na prática, esse número é irrelevante, porque fazem todos o mesmo. Por isso, foi preciso construir um novo sindicato que faça diferente, que faça o que os outros se recusam a fazer. É aquilo que o STOP tem vindo a realizar todos os dias. Desde logo a greve de 4 a 15, entre muitas outras iniciativas.

  3. Boa tarde a todos os docentes
    Os meus louvores vão inteiramente para todos os professores que já fizeram greve(s) às avaliações. Os médicos e os enfermeiros, não fazem para obter melhores condições para eles e para todos nós , no curto e no médio prazo? Então porque é que os professores não podemos fazer o mesmo?
    Infelizmente, este tem sido um tema fraturante entre os docentes. Todos criticam os excessos a que estão submetidos e outras coisas, mas quando chega a hora, muitos vão como “cordeirinhos” para as salas, dar/confirmar as avaliação. É um direito que lhes assiste.
    Proponho que agilizemos a questão de uma forma séria, sólida e sem hipocrisias ou máscaras:
    – O Ministério da Educação ponha uma folha a circular nas Escolas ou Agrupamentos, para saber quem já aderiu à greve. A esses, contem-lhes os 9 anos, 4 meses e 2 dias nos seus processos individuais, de modo a que possam progredir na carreira, com os respectivos aumentos salariais. Os outros que não não fazem greve, estão contentes, devem ficar nos mesmos escalões em que estão atualmente.
    Se não houver professores, não poderão existir a esmagadora maioria das outras profissões.

  4. Os políticos dizem que não há dinheiro para pagar aos professores, médicos, enfermeiros, polícias, et cetera. Mentem com quantos dentes têm na boca. Venham 2 ou 3 empresas internacionais de Consultudoria, sem ligações partidárias, a grupos de interesse, lobbies ou a sociedades secretas, para ver onde está o dinheiro. Na Suiça, no Panamá Papers, nas Offshores espalhadas pelo mundo?
    Sejam transparentes nas contas e façam como na Dinamarca (onde podemos consultar os rendimentos de cada um, ou como na Noruega (Capitalismo com forte Assistência Social).
    Que as forças divinas ajudem alguns a desencadear um Wikileaks ou um Portugal Papers para se descobrir para onde vai o dinheiro ou onde está ocultado. Nunca se venderam tanto Porsches como nos últimos anos. Mais de 17 mil milhões para a banca, submarinos e manutenção respetiva, Siresp, e outros elefantes brancos.
    Esclareça-se que “Nunca entrei numa sede partidária, nunca fiz campanha por um partido e, nunca tive um cartão partidário”.
    Viva a Meritocracia, abaixo a partidarite e os grupos secretos de interesses. Vivemos num sistema de castas não assumidas.

  5. Não sejamos como o Mr Magoo. Haja alguém que nos abra os olhos e não nos digam que isso é manipulação ou politiquice?!
    Sabia que existem parcerias público-privadas contratualizadas até 2038 e 2039?
    Sabe quantos mil milhões de Euros serão disponibilizados para benefícios de umas quantas famílias?
    Se reivindicamos uma educação, uma saúde, uma assistência social de qualidade e uma reforma condigna e lares com qualidade, “urge lutarmos todos juntos, em prol de um Portugal para todos e para as gerações vindouras!
    Quem discordar, tenha a coragem de apresentar dados estatísticos e financeiros, credíveis, idóneos e inquestionáveis. Fico à espera!
    Temos deixar de vez o “Acho” ou “achismo” e basearmo-nos de uma vez por todas em provas sólidas e não forjadas ou boateiras.
    Contra factos não há argumentos!
    O Sindicato de Todos os Professores acusou ontem o ministro das Finanças de ter “um problema com a verdade”, ao defender que não tem dinheiro para os docentes quando entrega “milhares de milhões aos de sempre”. “O ministro Mário Centeno parece ter um problema, infelizmente. Mas não é com os professores, é com a verdade. Diz que não há dinheiro para os professores, mas continua a ter milhares de milhões de euros para os de sempre: são para as suspeitas e ruinosas Parcerias Público/Privadas; para as luxuosas reformas vitalícias e sempre para os mesmos banqueiros e amigos dos partidos”, criticou André Pestana, porta-voz do S.T.O.P., em declarações à Lusa. Fim de citação!
    Reforce-se os meios de combate à evasão fiscal e ao dinheiro que sai de Portugal para as Offshores.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here