Home Editorial Sim, estamos de férias! Queres saber porquê?

Sim, estamos de férias! Queres saber porquê?

5838
6

Assumamos, de uma vez por todas, que sim, temos oportunidade de ir de férias quando acontecem as interrupções letivas e por isso podemos dizer que estamos de férias, sem receios.

Nós professores não devemos nada a ninguém sobre horas extra de trabalho semanal, NA-DA!

E com este sentimento de consciência tranquila e dever cumprido digo-o a todos, sim, estou de férias, queres saber porquê?

Porque durante todo o restante período de trabalho, “ofereci” muitas horas à escola, aos alunos, aos pais, e sabes que mais, os dias não crescem, por isso, tive de as retirar da família.

Sim, porque não são poucas as vezes que chegando a casa, apenas me sinto no prolongamento da escola, com um curto intervalo para cuidar dos mais novos e trocar umas palavras, ao jantar, com a mulher. Depois, depois continuo a trabalhar para a escola, porque há uns sumários para fazer no Inovar, mas ups, a escola tem a net em baixo, umas grelhas para preencher, uns trabalhos que precisam ser corrigidos …umas reuniões, que incluem relatórios minuciosos, para preparar para seguinte dia…

…dia seguinte, esse, que começa, geralmente, mais cedo para atender aqueles pais que, não podendo noutro horário, marcam reuniões para antes ou depois do meu…antes das 8h35 ou depois das 17h…nós(eles) pais não temos tempo para ir à escola dos filhos mas eles (nós) professores têm de o arranjar para atender!

Dir-me-ão vocês, que me leram até aqui, porque raio está este lamechas a lamuriar-se?

Não, apenas constato, o que se passa, e acrescento, um professor não “desliga” em nenhum dia da semana, apenas desliga nas interrupções letivas, não na sua totalidade porque dois terços são ocupados com reuniões, relatórios, reuniões, grelhas, avaliações, grelhas, reuniões e formações e aqueles curtos, mas tão necessários dias, são como água no deserto e sem eles acredito que o número de baixas por burnout, ou depressões, seria ainda maior!

Não é por acaso que a profissão é considerada, em vários estudos internacionais, como sendo uma profissão de alto risco no que toca ao Burnout, depressões e desgaste rápido!

A quem considera que o professor é um sortudo, tem duas soluções, ou entra na profissão e vem ser sortudo connosco (Estão convidados!) ou informa-se e para de balbuciar! Nós que cá andamos sabemos que isto só se consegue por amor à profissão.

Quem quiser confirmar, venha experimentar, garanto que, rapidamente chegará a essa conclusão!

E quanto a nós, colegas, não devemos ter receio de assumir que, sim, aproveitamos os poucos dias, que não são mais que dias de compensação pelas inúmeras horas extraordinárias não remuneradas que nós demos os longo do período, para descansar ou ir de férias se assim entendermos!

 

Alberto Veronesi

6 COMMENTS

  1. Já me deixei disso após 26 anos a virar frangos …
    Só faço o essencial.
    Não andam na TV a dizer que os políticos precisam de ser aumentados para ser melhor profissionais, ora então?

  2. Eu revejo-me neste artigo e contrariamente ao comentário do Luís 37 anos depois contínuo a fazer tudo isso. Por isso sem peso de consciência esta semana estive de férias e quero que os maldizentes vão para o raio que os parta.

  3. Mais um a dizer o que eu tenho andado a dizer ha 21anos (que o governo continua a dizer que são 10anos e uns trocados).
    Quando fazia partime numa empresa de contabilidade, ou na secretaria dos Bombeiros, ou como secretário numa empresa Têxtil, achava giro terminar o dia, desde o momento que saia da empresa até voltar… como Professor nunca soube o que isso era: quando via alunos à briga na paragem; ou quando a Coordenação mandava e-mails ao sábado ou ao domingo, para responde “ontem”; ou quando só podia ir dormir, e só mesmo, podia ir dormir quando acabasse a correção dos testes.

  4. Estamos a esquecer os inúmeros docentes que foram chamados às escolas para trabalhos burocráticos só porque ninguém está de férias. São apenas “interrupções lectivas”…. Hehehe

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here