Home Escola O segundo pior inimigo de um professor é o que está na...

O segundo pior inimigo de um professor é o que está na sala ao lado…

304
9

… o primeiro é ele próprio.

Ambas as frases não são de minha autoria, mas subscrevo na integra.

Nos últimos dias li comentários relacionados com artigos que foram escritos aqui no ComRegras e que revelam bem a desunião docente, a crítica fácil, ignorando a principal essência do artigo. Mas este vírus não é um exclusivo ComRegras, os restantes blogs e redes sociais, principalmente com maior audiência, estão muito mais expostos e são frequentes as mordidelas de cobrinhas invejosas…

No blog do Arlindo por exemplo, foi publicado um texto de Ana R. Martins sobre o professor do 1º ciclo. O texto aborda a importância do seu trabalho, mas nas entrelinhas está uma evidente crítica aos colegas dos restantes ciclos. Naturalmente que os comentários não se fizeram esperar e pronto, o caldo entornou…

É que não se trata de discutir, de apresentar argumentos construtivos, de utilizar uma conversa para ter outra perspetiva que até pode ser melhor que a nossa. A argumentação do “eu sou mais miserável que tu”, do queixume sistemático, revela a falta de maturidade argumentativa e democrática da nossa classe.

É preciso, E DE UMA VEZ POR TODAS, deixar de dar tiros nos pés, e acabar com este discurso que os professores da pré ainda estão com os alunos até ao final do mês, os professores do 1º ciclo fazem “n” coisas que os restantes ciclos não fazem e que os professores do 2º ciclo e seguintes têm muito mais turmas que os restantes colegas. E podia continuar nesta triste e mesquinha comparação entre ciclos.

Todos, mas todos têm coisas que os outros não têm e gostavam de ter, mas a nossa incapacidade de nos olharmos ao espelho e ver o lado positivo das coisas, cria esta agonia e inveja entre nós, que mina uma relação que precisa de ser salutar em prol de algo superior a todos – os alunos.

Será assim tão dificil ficar feliz pelo colega que é um bom profissional? Será assim tão dificil dar os parabéns a quem fez algo relevante pela nossa escola/classe? Onde está a preocupação e o apoio pelos colegas de outras áreas, de outros ciclos? Porque razão é tão fácil denegrir e tão dificil elogiar?

A criação dos Agrupamentos e Mega-Agrupamentos vieram agravar ainda mais este olhar constante por cima do ombro, numa tentativa permanente de provar algo que alguns são, e outros julgam que o são…

Será preciso um Nuno Crato, uma Maria de Lourdes Rodrigues, ou os mais recentes contratos de associação para mostrarmos alguma união e solidariedade para com os restantes colegas? Não estão fartos de tanto veneno e facadinhas nas costas?

Já o disse a colegas mais próximos e vou dizê-lo pela primeira vez publicamente. Desde que criei este espaço que tenho estado muito mais atento a tudo o que passa no mundo educativo e a minha opinião sobre os professores mudou, e infelizmente mudou para pior…

Talvez é por estas e por outras que tantos que pretendem apenas ajudar se fartam e batem com a porta…

9 COMMENTS

  1. Com tristeza, tenho que concordar totalmente.
    Cada um tem o direito e a legitimidade de lutar pela melhoria de condições de trabalho. E, se o conseguir, não vai piorar as condições dos outros níveis de ensino.

    Por que motivo as pessoas se incomodam tanto com a perspetiva de uma mudança que não as afetará??

  2. perfeitamente de acordo. Pensei nisso na altura mas nem tive pachorra. è que em Portugal é assim em tudo. velhos contra novos, novos contra velhos, privados contra FP e vice-versa.. etc etc… ai jesus se aquele tem é preciso acabar com isso pois não temos.. seca…. è preciso defender as nossas posições sem estar a vida toda a comparar com os outros.

  3. Eu iniciei funções nos anos 80 e afirmo que ,nos primeiros 10 anos de exercício ,os docentes eram mais unidos e cooperantes ,trocavam experiências e ideias em prol dos alunos . Gradualmente , as coisas foram mudando e nada abona a favor da união e solidariedade entre colegas .Infelizmente assisti a episódios recambulescos pouco dignos de pretensas educadoras…

    • Eu também comecei em 80 sempre partilhei e contínuo a partilhar. Infelizmente partilho mais com colegas de outros agrupamentos do que do meu. O coordenador de departamento é tão incompetente que reprime a partilha

  4. Será a colega do lado ou os chefes que de docência nada percebem são burocratas . Coordenadores de departamento incompentes. Executivos ditadores

  5. Concordo plenamente. Fiquei chocada ao ler os comentários que faziam no facebook dos professores, a propósito das escolas com contrato de associação. Já não era isso que estava em questão. Só havia críticas negativas de professores do público vs professores do privado. Tal como mencionou no seu artigo sobre professores de um determinado ciclo vs professores de outros ciclos de ensino. Muito triste.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here