Início Notícias SE João Costa Fala Sobre As Transições Administrativas E A Violência Escolar...

SE João Costa Fala Sobre As Transições Administrativas E A Violência Escolar Sobre Os Professores

1777
3

O Ministro da Educação João Costa, perdão, o secretário de Estado João Costa abordou na Antena 1 os dois temas quentes do momento, o fim das retenções escolares e as agressões aos professores. Sobre as passagens administrativas, segundo João Costa, o assunto ainda não está fechado e dá a entender que as estratégias a implementar por algumas escolas deverão servir de base para o que aí vem, desmentindo que a passagem de ano será um dado adquirido no início do ano letivo.

Quanto à violência sobre os professores, a palavra de solidariedade e o incentivo à denúncia por parte dos professores fica registado. Como também fica registado que o Ministério da Educação tem conhecimento de muitas agressões a professores via comunicação social, pasmo!

Sendo assim e a conclusão é minha, parece que alguns diretores não fazem o trabalho devido de informar a Tutela, estando provavelmente mais preocupados em proteger a imagem da escola do que em cumprir com o que lhes é exigido. Fica assim questionado, pelo próprio Ministério da Educação, que os dados oficiais pecam por defeito.

Após a intervenção do secretário de Estado João Costa, André Pestana contrapõe com argumentos que são conhecidos de todos os professores, desmentindo inclusive o apoio que alegadamente está a ser dado às vitimas de violência.

Fica a partilha.

 

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

  1. Pode crer que há alguns escroques que abocanharam a função diretiva, que não só não fazem o trabalho devido de informar a Tutela, como se recusam a prestar auxílio, uma obrigação estatutária, quando solicitados a fazê-lo, como aconteceu comigo quando fui agredida por um aluno – o figurão não se encontrava no local onde lhe pagam para desempenhar funções e recusou-se a comparecer, quando lhe foi comunicada, via telefone, a urgência de comparência; também a queixa que fiz da descrita atuação ao então diretor regional do Algarve, foi enfiada numa gaveta, segundo soube por portas e travessas de alguém que circulava na dita D Regional … o meu azar e a sorte dessa gentalha, foi que quando o soube já haviam passado todos os prazos de reclamação!!!!É claro que a seguir à recusa do escumalha, recorri à comunicação social e atirei a porcaria ao ventilador, pondo a nu a defaçatez do escroque … isto tudo passou-se em Faro, com um escroque que ainda se mantém, através de subversões do sistema democrático, em funções, como diretor, ganhando um vencimento pago por todos nós, mais uma subvençaõ, sem por os côtos na escola … apareceu na televisão a queixar-se que tinha falta de professores … depois de esvaziar o quadro de efetivos do agrupamento, com perseguições, processos disciplinares e processos crime, a quem não lhe viabilizava a intenções mafiosas e subversivas!!!

    • Sei bem o que isso é. Fui humilhada por alunos e ameaçada pelo diretor, que também abafou a questão do Gabinete … um exemplo da ditadura de alguns diretores, que lá continuam firmes, para dar uma boa imagem da escola

  2. .
    “…parece que alguns diretores não fazem o trabalho devido de informar a Tutela, estando provavelmente mais preocupados em proteger a imagem da escola do que em cumprir com o que lhes é exigido.”

    Não são “alguns directores” é a maioria dos oportunistas (digo, professores) que ocupam o cargo de “director” que estão mais interessados em proteger o TACHO (a mama / subsidio de 700 euros mensais) deles do que denunciarem as situações asquerosas que ocorrem.

    São estes animais (digo, professores hipocritas) que se encontram como directores da maioria das escolas públicas.
    .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here