Home Notícias Revista Sábado | SuperNanny: Qual é o limite da exposição das crianças?

Revista Sábado | SuperNanny: Qual é o limite da exposição das crianças?

274
0

A revista Sábado desta semana, dedica uma parte da sua edição ao “fenómeno” SuperNanny. O ComRegras foi convidado a dar a sua opinião tendo como ponto de partida o artigo que foi publicado aqui e no Jornal Público “A SuperNanny mostrou aquilo que os professores há muito dizem” fazendo um paralelo com outros programas que utilizam as crianças como participantes (MasterChef; Pequenos Gigantes; etc.) e a exposição mediática que personalidades conhecidas da nossa sociedade fazem dos seus filhos (António Raminhos, etc.)

Fica um excerto e o meu comentário na íntegra.

SuperNanny: Qual é o limite da exposição das crianças?

(Raquel Lito e Vanda Marques – Sábado)

O “furacão Margarida”, de 7 anos, destaca-se pelas exuberantes birras na estreia de SuperNanny (SIC). Também Gonçalo, 11 anos, dificilmente cairá no esquecimento do MasterChef Júnior (TVI), pela conotação de “malvado”. Daniel Rebelo avançou para os tribunais para acusar a SIC de difamação: em 2015, quando tinha 17 anos, viu as suas orelhas ampliadas numa promoção do concurso Ídolos. São três de vários exemplos que voltam a debate pela polémica do momento: o condicionamento de filtros de imagem e de voz no SuperNanny, decretado pelo tribunal da comarca de Lisboa Oeste. 

 A SIC decidiu suspender o programa na passada sexta-feira (dia 26), garantindo em comunicado que “irá juridicamente demonstrar a validade dos seus argumentos, bem como a defesa daquilo que acredita ser a liberdade de programação.” Mantém-se, contudo, a grande dúvida: até onde vão os limites de exposição pública das crianças e jovens nos media? Advogados, psicólogos, pedopsiquiatras, juristas e pediatras foram consultados pela SÁBADO para responderem à questão. De facto, há atropelos e é urgente regulamentar o tema. Além das televisões e formatos digitais (blogues, Instagram, Facebook e afins) os pais devem repensar a exposição dos menores – por vezes arbitrária. 

Alexandre Henriques, professor do secundário em Elvas e autor do Blogcomregras, tem reflectido no assunto: depois de escrever uma crónica no Público a propósito da controvérsia do reality-show de crianças (“A SuperNanny mostrou aquilo que os professores há muito dizem”, publicada a 25 de Janeiro passado) fala à SÁBADO da reserva da vida privada. “A polémica actual deve-se à falta de senso de alguns pais que depois de conhecerem o formato do programa SuperNanny, mesmo assim decidiram expor a sua intimidade, a intimidade dos seus filhos. Há limites, e esta tentativa de querer meter tudo no mesmo saco, como se os ‘pequenos gigantes’ estivessem no mesmo patamar, é querer justificar o injustificável. Cada um de nós tem um barómetro próprio, que define linhas vermelhas. Quando a sociedade em bloco reage, significa que certos limites foram ultrapassados.” 

Há regras de boa educação e recato que são transversais, não tem idade e os pais/adultos que gozam com os seus filhos, expondo-os ao ridículo, camuflando-o como um pequeno momento de humor, revela a sociedade voyeurista em que vivemos, que pretende ter valor por algo que não tem valor nenhum.”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here