Home Família Resultados do 2º Estudo ComRegras – A (in)Disciplina na Família

Resultados do 2º Estudo ComRegras – A (in)Disciplina na Família

333
0

Após umas longas horas de trabalho finalmente apresento o 2º Estudo ComRegras sobre a (in)Disciplina na Família.

Ficha Técnica

Universo – Indivíduos encarregados de educação e que habitam em Portugal.

Amostra – Aleatória, estratificada (região, escolaridade, estado civil) e representativa do universo. A amostra contém 2583 inquéritos preenchidos e uma margem de erro de 1,9%.

Técnica – Inquéritos online através de redes sociais e correio eletrónico, tendo como base as associações de pais. O inquérito foi elaborado através da plataforma Google, tendo o trabalho de recolha ocorrido durante o mês de maio de 2016,

Responsabilidade do estudo: Professor Alexandre Henriques com o apoio da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas – ANDAEP e Confederação Nacional das Associações de Pais – CONFAP.

Caracterização da Amostra

Ciclos de Ensino

Estado Civil

Habilitações Académicas

Distrito

Retenção

Pode-se constatar que o perfil do encarregado de educação baseia-se numa pessoa casada, que habita num grande centro populacional, possui habilitação superior e tem educandos com rendimento escolar.


 Motivos de Discussões Entre Encarregados de Educação e Educandos

Discussões com educando

Discussões por ciclo
Comparativo por ciclo de ensino

As principais causas para as discussões em casa são a desorganização/ desarrumação do quarto, uso excessivo de aparelhos tecnológicos e o incumprimento de pedidos/ordens/orientações.

No pré-escolar e 1º ciclo, de destacar as birras como causa principal para as discussões, enquanto que nos restantes ciclos é o uso excessivo aparelhos tecnológicos.

Existe uma clara evolução com a idade em dois dos parâmetros analisados, as discussões com os educandos por incumprimento de ordens vai diminuindo, mas no sentido inverso, os conflitos aumentam quando se trata da desorganização e desarrumação do quarto.

As discussões com as questões do estudo/TPC, ocorrem mais no 2º e 3º ciclo de escolaridade.

E apesar do álcool e o tabaco serem um problema social entre os jovens, os conflitos sobre essa matéria são praticamente nulos.


Correções Aplicadas

Correções aplicadas

O gráfico acima mostra que os pais dos atuais encarregados de educação eram mais severos nos castigos aplicados, principalmente na agressão física e no impedimento em estar com os amigos e em frequentar certos espaços. Curioso constatar que a privação de objetos é uma prática muito mais comum nos encarregados de educação atuais, ao que não será alheio o facto dos objetos terem um papel muito mais preponderante na vida das atuais crianças e jovens. Ambas as gerações optam pela repreensão através de um diálogo calmo como principal abordagem ao incumprimento, seguida da repreensão em forma de grito.

Correções por ciclo
Comparativo por ciclo de ensino

É no pré-escolar que se verifica uma maior variedade de correções mas também do ignorar, facto que não deixa de ser um pouco contraditório.

No 1º e 3º ciclo, o grito é a principal metodologia corretiva, atingindo um valor muito elevado principalmente no 3º ciclo (97,6%). No 2º ciclo porém, verificamos que é a privação de objetos a principal medida corretiva aplicada.


Comportamento do Educando

Comp_casa_escola

Os encarregados de educação consideram que os seus educandos portam-se bem em casa e na escola, mas na sua opinião portam-se melhor na escola do que em casa.


Aspetos Positivos e Negativos da Escola

Gosto pela escola

O que mais gosta da escola do seu educando

O que menos gosta da escola do seu educando

O dados revelam que os educandos têm uma opinião mais favorável sobre escola do que os encarregados de educação. De realçar que a competência dos professores/educadores foi o aspeto mais vezes referido quando questionados sobre o que mais gostam da escola do educando, logo depois surge a segurança como factor mais valorizado.

Sobre os aspetos negativos, as infraestruturas e as questões de indisciplina surgem nos dois primeiros lugares respetivamente.


Parentalidade Positiva

Reforço positivo

Comparativo estímulos por ciclo

O reforço positivo é muito frequente segundo os encarregados de educação, o elogio supera normalmente o prémio como estratégia positiva, apesar deste ser menor no pré-escolar comparativamente com os restantes ciclos de ensino e vida ativa.


Indisciplina Escolar

Percepção de indisciplina

Os dados recolhidos mostram claramente que a perceção de indisciplina nacional é muito superior à indisciplina da escola do educando. Não será alheia a influência da mediatização deste assunto em detrimento das práticas positivas realizadas nas escolas.


Ligação com a Escola

Conhecimento dos documentos

 

Participação em reuniões

Motivos de chamada à escolaOs encarregados de educação participam de forma muito mais ativa nas reuniões escolares do que nas reuniões de associações de pais. Segundo os mesmos, são conhecedores dos principais documentos da escola e dos seus deveres e raramente são chamados à escola fora das reuniões destinadas.


Tarefas Escolares

Tarefas escolares

 

Tarefas Escolares por Ciclo

 

Os dados mostram uma forte participação dos encarregados de educação na realização das tarefas escolares, o que denota interesse destes pela vida escolar do seu educando, porém revela uma fraca autonomia dos alunos em realizar tarefas escolares, mais conhecidos como o estudo e trabalhos de casa.


Estrutura Familiar vs Comportamento Escolar vs Aproveitamento Escolar

Comparativo estrutura familiar
Escala utilizada de 1 a 4, sendo 4 o equivalente a “concordo totalmente”
Comparativo aproveitamento escolar
Escala utilizada de 1 a 4, sendo 4 o equivalente a “concordo totalmente”

Segundo os encarregados de educação que possuem um relacionamento com outro individuo, os seus educandos portam-se melhor em casa, na escola e gostam mais desta do que os que tiveram imprevistos nos seus relacionamentos.

O mesmo acontece, embora de forma mais ligeira nos alunos que nunca ficaram retidos. De salientar que o gosto pela escola baixa nos educandos que já ficaram retidos pelo menos uma vez, provando mais uma vez que que a motivação e o insucesso estão fortemente ligados.


Habilitações Literárias Vs Apoio ao Estudo

Comparativo Apoio ao Estudo por habilitações literárias dos enc. ed.

Como já foi referido, os encarregados de educação dão um forte apoio aos seus educandos, curiosamente não são os encarregados de educação com formação superior que dão mais apoio, mas sim os com formação de ensino secundário. Visível o apoio mais reduzido dos encarregados de educação com formação de ensino básico.

Notas Finais:

A família é o pilar de qualquer criança e jovem. No estudo que acabaram de consultar, podemos constatar que mesmo uma família estruturada tem à sua frente uma série de desafios e dificuldades que implica “dizer” presente para que o seu elemento mais novo siga o caminho da educação e do sucesso. Após passar tantas horas a olhar para os dados deste estudo, comparando-os com a minha realidade de professor com 14 anos de experiência e coordenador do gabinete disciplinar da minha escola nos últimos 5 anos, concluo que os inquiridos são a melhor face dos encarregados de educação em Portugal, aqueles que dizem presente e se interessam pelos seus educandos e pela escola. Existe um lado negro que é difícil de chegar e quantificar, e se estes encarregados de educação têm problemas só podemos imaginar como deve ser o ambiente familiar em todas aquelas famílias que não comparecem à escola e são negligentes para com os seus educandos.

Urge questionar o modelo social e analisar o papel e condições que as famílias possuem para desempenhar as suas funções. A escola tem o seu espaço e que não deve sobrepor-se à família. Numa altura em que se fala num modelo social assente na “Escola a Tempo Inteiro”, tenhamos a consciência que o afastamento cada vez maior dos principais educadores – os pais – colocam em causa a qualidade da educação de muitas crianças e jovens.

É precisar criar condições para que a família seja verdadeiramente família e responsabilizá-la por isso, só assim poderemos reduzir todas as estruturas que se “substituem” à família e que consomem muitos recursos ao Estado, apostando naqueles que são os verdadeiros progenitores da palavra Educar.

Por fim agradecer o apoio e colaboração da CONFAP, ANDAEP, Dra Inês Marques (Oficina de Psicologia), Dra Xana Sá Pinto, Professora Anabela Magalhães, Professor Luís Braga e todos os Diretores de Agrupamentos entre outros, que partilharam com as associações de pais.

Podem também consultar o 1º Estudo ComRegras sobre a Indisciplina nas Escolas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here