Home Escola Recenseamento de professores | Erros, erros e mais erros

Recenseamento de professores | Erros, erros e mais erros

7290
9

Enquanto o espetáculo mediático dos rankings chama a nossa atenção, muitos professores estão a rejeitar o seu recenseamento. São erros e erros, muitos erros, demasiados erros e erros para todos os gostos…. Eis algumas das situações que tenho conhecimento.

  • Tempo de serviço errado antes da profissionalização.
  • Tempo de serviço errado depois da profissionalização.
  • Avaliações docentes omissas ou que não correspondem à realidade.
  • Distribuição de serviço errada (nas funções, componente letiva e não letiva).
  • Datas de entrada na carreira erradas.
  • Datas de entrada no escalão erradas.

Quando falo com outros professores e a esmagadora maioria me diz que tem erros no seu recenseamento, estamos perante algo que seguramente não é normal, mesmo que seja impossível conhecer a verdadeira dimensão do problema.

Este recenseamento não correu nada bem, horas e horas de trabalho extraordinário feito pelas secretarias, diretores com pouco tempo para tratarem de tudo e um manual que deixava muito a desejar.

Que se corrijam os erros e que ninguém fique prejudicado.

9 COMMENTS

  1. 95% não são erros.
    1. Na data X, do apuramento, os dados constantes nos processos, não refletem ou não se encontram atualizados, isto é, apenas reflete a documentação existente!
    2. Os graus académicos obtidos, não foram validados/certificados pelo MEC, daí não constar diversa informação.
    3. DGAE não teve acesso aos dados enviados através das exportações! Faria todo o sentido!
    4. Muita tinta vai correr…
    5. Dos Assistentes Operacionais que vão ter um aumento salarial de 3 euros ao fim de 10 anos, ninguém resolve o problema!

  2. De facto é de lamentar!
    No meu recenseamente tenho, pelo menos, um erro grave! Outros nem sei se são erros pois não correspondem aos meus documentos bem guardados e arrumados.
    Três dias é manifestamente pouco pois terei de recorrer aos SA do meu agrupamento. E, claro, trabalhar. Ou essa parte não interessa e deveremos faltar para tratar dos assuntos que dizem respeito ao nosso percurso profissional que o construímos por direito?
    E para concluir: diz o povo (no qual eu me incluo) que “depressa e bem há pouco quem”! Ou ” a pressa é má conselheira”! Peço desculpa pelo desabafo.

  3. O recenseamento é da responsabilidade dos Serviços Administrativos de cada escola.
    São assim tão maus?
    Acho estranho porque os que conheço são muito bons.

    • Eu também não acho que sejam assim tão maus, mas ainda ontem falei com um diretor que me contou que dos seus professores que chegaram à escola, apenas 2 tinham os dados corretos. Não é normal.

    • O Sr. Diretor sabe que a responsabilidade é sua… Nem delegar pode! pode apenas solicitar assessoria , isto é, pedir o processo para verificar documentação aos serviços!

      Não atirem areia ao mexilhão!

      Mas se quiserem falar de qualidade, podemos comparar a formação existente da DGAE para o pessoal docente e não docente…

      E antes dos senhores das secretarias, temos lá um senhor CHEFE que ganha mais de 1200 euros com isenção de horário para verificarem os procedimentos que solicitaram a execução… e é melhor ficar por aqui, para já!

      (Já agora, validar os dados apresentados, solicitando os dados à origem… é uma boa técnica!)

  4. No meu caso tenho o QZP de provimento errado e a escola disse que esse dado já estava introduzido aquando o recenseamento…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here