Home Editorial Quando Se Coloca Em Prática O Absurdo Só Pode Dar Nisto

Quando Se Coloca Em Prática O Absurdo Só Pode Dar Nisto

1229
0

Encontrei estas imagens nas redes sociais, a legenda era francesa, mas não consegui confirmar se França foi o palco deste triste espetáculo.

Acredito que as Educadoras estejam a cumprir orientações superiores, como acredito que tal como cá, as orientações são para proteger as crianças e os seus profissionais, mas ao constatar na prática os processos, é impossível não questionar se fará sentido colocar as crianças em infantários que praticam este tipo de procedimentos.

Não acredito que as Educadoras e as crianças estejam felizes, não acredito que seja possível evitar que o menino de gorro vermelho se levante e saia a correr do quadrado para brincar com o amiguinho que não vê há 1 mês.

Na cabeça daqueles seres tão puros, deve ir uma grande confusão e muitos devem estar assustados com tantas máscaras, viseiras e distâncias obrigatórias.

Reparem, segundo estudos realizados, basta uma daquelas crianças espirrar, que as gotículas vão propagar-se por 6/8 metros. Então para quê tanta obsessão pelo distanciamento de 1,5/2 metros.?

Isto não faz sentido!

Desculpem, mas se é este o caminho, então mais vale ficarem em casa e os pais combinarem para que as crianças possam ter um amiguinho para brincar. E se o problema é os pais irem trabalhar, que permaneça um deles em casa de forma alternada.

Ainda recentemente vimos o Ministro das Finanças atirar 850 milhões de euros para um banco privado, sem sequer informar o Primeiro-Ministro. Até parecia uns trocos ou uma gorjeta pelos “bons” serviços prestados. Há sempre dinheiro, sempre houve, sempre haverá, só que é sempre para os mesmos…

Existem outros países que implementaram práticas pedagógicas salutares e que não estão a colocar em perigo os alunos. Não existe uma obrigatoriedade de distanciamento de 2 metros, a aposta foi em 3 grandes princípios, estando alguns até contemplados nas orientações nacionais;

  • Os pais não entram nos estabelecimentos de ensino;
  • As mãos e os brinquedos lavam-se com muita regularidade;
  • As crianças dividem-se por grupos e privilegiam-se atividades ao ar livre.

Não se pode prometer que as crianças não vão ser contaminadas, tal como em casa pode acontecer se um dos adultos chegar contaminado. Podemos sim minimizar, mas com consciência e bom senso, algo que para já está a faltar na nossa DGS.

A Dinamarca e a Noruega reabriram as escolas (e para já, está tudo bem)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here