Home Sociedade Qual O Futuro Da Profissão Influenciador Digital?

Qual O Futuro Da Profissão Influenciador Digital?

161
0

Acreditamos que já tenha estado perante o termo “influenciador digital”. Este termo refere-se a uma nova profissão que surgiu com a internet e tem um grande valor comercial.

Apesar do seu poder, cada vez existem mais profissionais e regras a nível de redes sociais. O que isto significa para a profissão? Qual o futuro dos influenciadores? Ainda há espaço para si? Nós respondemos.

Qual o papel dos Influenciadores Digitais na atualidade?

O marketing de influência tem sido muito usado na publicidade e divulgação de marcas, principalmente devido aos resultados positivos.

Vamos pôr as coisas desta forma, imagine que um familiar ou amigo lhe recomenda um hotel. Fala-lhe muito bem do mesmo e partilha a experiência pessoal com histórias muito positivas. Eventualmente terá vontade de experimentar o estabelecimento e, na próxima oportunidade, acreditamos que o fará.

Os influenciadores digitais fazem o mesmo com as marcas com as quais fecham parcerias. Claro que isto significa que se um influenciador realmente tiver influência sobre o público, conseguirá aumentar as vendas de um negócio.

Perguntas frequentes sobre a profissão de influenciador digital

1. Que canais podem ser usados pelos influenciadores digitais?

As redes sociais são os meios usados pelos influenciadores, mas enquanto uns crescem apenas nessas redes, outros usam-nas como um meio. No segundo caso, as redes sociais servem para divulgar o conteúdo de uma plataforma própria – um blog.

Quanto ao primeiro caso, o Instagram e o Youtube são duas das principais escolhas para profissionais que pretendem crescer. O Youtube ainda permite uma fonte de renda extra pois é possível monetizar os vídeos publicados.

2. O fim dos likes significa o fim da profissão no Instagram?

Se pretende tornar-se um profissional na área, saiba que as regras estão sempre a mudar. Num dia tem likes para mostrar às marcas o seu alcance e no outro os likes deixam de existir. Para ser influenciador deve ter capacidade de adaptação a estas alterações.

No caso dos likes, por exemplo, o seu fim não significa o fim da profissão. Este fim só mostra que deve encontrar outras formas de mostrar o seu “valor” ou a sua “influência”. Mostre às marcas que ter uma parceria consigo irá oferecer excelentes resultados.

Imagine ser influenciador e manter o seu valor mesmo sem os likes. Rui Duarte Catana é o exemplo de um influenciador que o consegue fazer, tudo porque tem um conteúdo coerente com o seu público alvo.

3. O público escolhido pode ser “qualquer pessoa”?

O seu público deve ser bem-definido por duas razões principais: as marcas irão entender se os públicos são compatíveis e você terá maior facilidade em atrair seguidores.

Se o seu público for “qualquer pessoa”, o resultado será uma conta com um grande número de seguidores, mas sem interesse para as marcas. Os seguidores também podem desaparecer ao longo do tempo devido à falta de consistência.

4. Qual o papel do conteúdo para um influenciador digital?

O conteúdo é tudo! Um seguidor mantém interesse numa conta devido ao seu conteúdo – visual ou escrito – e é com esse que se identifica e cria uma ligação. E esta é a razão pela qual a conta @ruiduartecatana tem tanto valor.

Criar conteúdo, no entanto, é trabalhoso, principalmente quando pensa em criar em quantidades elevadas. A melhor forma de manter a consistência é criando um calendário editorial e reciclando um mesmo conteúdo para diferentes publicações.

5. Existem cursos que ajudem a entrar na área?

Em Portugal o marketing de influência está a tomar lugar e, com o aumento de profissionais, surgiram workshops sobre a área. Com uma pesquisa rápida encontrará o que precisa, principalmente na região de Lisboa.

Caso prefira, existem muitas opções online que lhe ensinam como criar uma marca pessoal, como criar conteúdo que se conecte com pessoas, como tirar o melhor partido das redes sociais e muito mais.

6. O que são microinfluenciadores?

Destacar-se no mercado digital é uma tarefa árdua, mas fica mais fácil se pensar em temas específicos. Dessa forma, mesmo que tenha menos seguidores, os mesmos estarão muito bem direcionados.

Os profissionais que trabalham com nicho chamam-se microinfluenciadores e, regra geral, têm mais facilidade em fechar parcerias mesmo que as métricas sejam menos impressionantes.

7. Qual o futuro desta profissão?

Esta é a última pergunta e, para muitos profissionais, a mais importante. Com a mudança de métricas muitos profissionais acreditam que o marketing de influência termine em breve, mas a realidade é que esta é uma profissão que além de lucrativa, também veio para ficar.

Os consumidores passam cada vez mais tempo online e, como tal, continuam a seguir os influenciadores e a confiar nas suas dicas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here