Home Boas Práticas Projeto Bem Estar Docente SintraES+

Projeto Bem Estar Docente SintraES+

224
1

Ontem lancei o desafio de mostrar e divulgar “Boas Práticas“. Numa altura de dúvidas sobre o nosso futuro, ansiedades e receios, é bom lembrar e enaltecer aqueles que todos os dias tentam melhorar a nosso dia a dia. Fica a merecida divulgação de um projeto extremamente pertinente nos dias que correm.


Boa tarde Alexandre,

Respondendo ao seu pedido de “boas notícias” ou “boas Práticas” , gostaria de divulgar a iniciativa extremamente positiva no âmbito da Educação tendo como dinamizador o projeto SintraÈs+ promovido pelo Departamento de Educação da Câmara Municipal de Sintra.

No âmbito do projeto SintraES+ irá ser dinamizado um projeto de Promoção do Bem Estar Docente.

 Este programa iniciou-se na  semana passada e tivemos em Sintra a Professora Doutora Margarida Pocinho da Universidade da Madeira, que é uma especialista em Bem-Estar.

 Foi dinamizada com a Professora Margarida Pocinho uma ação de formação nos dias 14, 15 e 16 de Outubro, onde o objetivo é que todas as escolas possam participar, de forma que esta problemática do  Bem-Estar possa ser objeto de uma reflexão e debate nas nossas escolas

 A formação  decorreu na Casa da Cultura Lívio de Morais, em Agualva – Mira Sintra (Dia 14 de Outubro – 14h30 às 17h30;Dia 15 de Outubro – 14h30; e às 17h30 e Dia 16 de Outubro – 09H00 às 12h00).

O Projeto Bem Estar docente pretende ser um processo contínuo promotor de de suporte e apoio aos docentes dos Agrupamentos de Escolas de Sintra.

.Considerando o desgaste emocional provocado pelo exercício da docência (Estudos,sobre burnout e desgaste na profissão docente têm vindo a ser desenvolvidos e divulgados- Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova e uma equipa de investigadores coordenada por Raquel Varela),adicionando a incerteza e os receios suscitados pela pandemia, que vieram agudizar a ansiedade e estados depressivos já sinalizados, julgo que este projeto é algo de inovador, muito necessário,considerando que os professores têm vindo a ser pouco apoiados psicologicamente e presentemente sente-se o distanciamento social de forma mais aguda. Hoje mais do que nunca este suporte é absolutamente imprescindível,esperando-se que se traduza numa melhoria do bem estar da comunidade educativa.  Quanto à operacionalização,basta consultar os documentos em anexo para se ter uma noção da dinâmica a implementar.

Espero ter sido clara e ter deixado uma nota de satisfação e entusiasmo, sinto-me honrada por fazer parte deste movimento em representação do Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro..

Com os melhores cumprimentos

Isabel Correia

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?
Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [1.55 MB]

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?
Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [1.06 MB]

1 COMMENT

  1. O problema fundamental, as condições de trabalho, não são abordadas. As inúmeras horas na escola, muitas delas de utilidade muito questionável, as medidas economicistas que ignoraram o envelhecimento, a crise de autoridade (que convém não confundir no autoritarismo),as pressões estatísticas, a busca, a qualquer preço, de notas, etc., tudo isso são fatores importantes a considerar, para já não falar das alterações profundas na organização social e do poder demolidor do sucesso económico, também ele a qualquer preço, em muitos casos.

    Mesmo quem gosta de dar aulas e não tem problemas de indisciplina tem vontade de partir, mesmo perdendo dinheiro.

    O apoio prestado, que é de saudar, pode ser um paliativo, sempre será melhor do que nada, mas há muito mais. Ignorar não é solução.

    Enquanto não se perceber o problema na sua complexidade, não creio que se possa resolver muita coisa.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here