Home Editorial Professores apaixonados pelo ensino. Ainda estão por aí?

Professores apaixonados pelo ensino. Ainda estão por aí?

1196
5

Ao entrar naquela sala foi impossível não sorrir, foi impossível não sentir o conforto da cor e a energia vibrante dos mais pequenos que mergulhavam nas tarefas, numa manifestação genuína de felicidade e simbiose com a sua professora. No quadro, mensagens de ex-alunos… Adoro a professora Beatriz…. com uns quantos corações rabiscados.

A atmosfera daquela sala era um bálsamo para a alma, uma alma que anda cansada de quezílias, carreiras, congelamentos, tempos letivos/não letivos, concursos, legislações, reformas, compromissos, greves, negociatas, jogos de bastidores, falsas verdades e muitas, muitas máscaras… Vi o ensino no seu estado mais puro, no seu estado mais genuíno, inocente e belo.

A professora Beatriz em poucos minutos cativou-me com o seu discurso e mostrou-me o porquê daquela energia maravilhosa que pairava por todo o lado. A professora Beatriz está apaixonada, apaixonada pelos seus alunos, apaixonada pela Educação, dedica-se de corpo e alma, compreende que um aluno feliz aprende mais facilmente, adapta estratégias, procura soluções, encara os problemas como oportunidades, percebe que os pais devem vir à escola pela positiva, fazem parte da solução, querem ser solução e devem participar na vida escolar dos seus filhos, percebe que o Ensino não merece estar confinado, é multidisciplinar, é transversal e cada aluno tem as suas especificidades, capacidades e dificuldades. Sabe o que quer, sabe para onde quer ir, e acredita que o “EU” pode brilhar mais se houver um “NÓS” ao seu lado.

O sucesso é visível, cresce a olhos vistos, e a felicidade dos “piquenos” é a força que a move diariamente.

Tenho um fascínio e admiração muito grande pelos professores do 1º ciclo e pré-escolar, vejo neles os pilares de todo o edifício educativo. Reconheço que não têm o mediatismo de outros, mas são tão ou mais importantes que os restantes colegas de profissão. Já lhes apontei o dedo, principalmente por nem todos darem o devido destaque à atividade física, mas o seu trabalho é fascinante e como disse à professora Beatriz, dar uma aula ao 1º ciclo é o equivalente a dar 4 aulas ao Ensino Secundário e acreditem que falo por experiência própria.

Saí daquele espaço revigorado e com a convicção ainda maior que um professor apaixonado pelo seu trabalho ensina melhor, é melhor professor e os alunos aprendem mais facilmente. O professor é peça chave no processo de ensino aprendizagem, urge por isso cuidar dos professores, dar-lhes o reconhecimento devido e perceber que os alunos para serem felizes precisam de professores felizes…

Alexandre Henriques

5 COMMENTS

  1. Texto excelente!
    Uma visão do que devia acontecer sempre!
    Infelizmente nem sempre é possível. Como sabemos a paixão não é um estado de alma constante. Obrigarem professores sexagenarios a continuar depois de saturados do desempenho de funções é um erro crasso.

  2. Infelizmente a paixão não é um estado de alma constante. Professor sexagenário dificilmente estará com paciência e disposição dos mais jovens.

  3. Moribundo mas ainda por cá ando… a paixão, essa foi sendo delapidada e violada pelas dificuldades do dia-a-dia e até financeiras

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here