Home Notícias Professora Grávida Agredida Por Encarregada De Educação

Professora Grávida Agredida Por Encarregada De Educação

Uma professora primária da escola Agostinho da Silva, em Marvila, Lisboa, foi esta terça-feira (3/12/2019) de manhã agredida pela mãe de um aluno, que invadiu a sala de aula e empurrou e esmurrou a vítima. A docente, de 35 anos e que está com uma gravidez de risco de 6 semanas, teve de receber tratamento hospitalar na maternidade Alfredo da Costa. A agressora foi levada para a PSP dos Olivais, onde foi apenas identificada, apurou o CM.

Tudo se terá passado pelas 11h00. A professora do 1º ano, que será do Porto e está em Lisboa em regime de substituição de uma colega de baixa, estava a dar a aula e, por razões não totalmente esclarecidas, mas que estarão relacionadas com uma reprimenda ao filho da agressora, a mãe da aluna entrou na escola, invadiu a sala e agrediu a docente. A vítima foi empurrada contra a secretária e esmurrada várias vezes no peito.

O INEM recebeu o alerta através da PSP, que referiu que a mulher estava com “fortes dores abdominais”. A vítima ainda foi assistida no local pelos Bombeiros do Beato, que numa primeira avaliação percebeu a gravidez de alto risco, o que fez redobrar o cuidado. A professora foi transportada para a maternidade Alfredo da Costa, onde foi assistida. Acabou transferida para o Hospital de São José, onde realizou exames complementares.

A mãe, que invadiu a escola acompanhada de três filhos, não foi detida por não ter havido flagrante. Foi notificada a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens.

PORMENORES
Escola sem comentar
CM contactou esta terça-feira a escola, que remeteu esclarecimentos para o Agrupamento D. Dinis, a que pertence, e onde ninguém esteve disponível. A mãe de uma aluna afirmou que a agressão “assustou toda a gente”. “Estamos muito preocupados”, disse.

 


Enviem as vossas denúncias para [email protected]


Atualização:

Professora primária agredida em escola de Lisboa foi substituída

A professora primária que foi agredida pela mãe de um aluno na escola Agostinho da Silva, em Lisboa, foi já substituída, informou à agência Lusa o Ministério da Educação, acrescentando que a agressora será presente a tribunal.

“A professora está ausente de serviço, tendo já sido substituída para que a atividade letiva prossiga naquela turma”, refere o Ministério da Educação numa nota.

De acordo com a tutela, o caso foi entregue às autoridades, segundo as quais a alegada agressora será presente a juiz.

Tal como noticiou esta terça-feira o Correio da Manhã, uma professora primária da escola Agostinho da Silva, em Marvila, Lisboa, foi agredida pela mãe de um aluno, que invadiu a sala de aula e empurrou e esmurrou a vítima.

A docente, de 35 anos, está com uma gravidez de risco de seis semanas e teve de receber tratamento hospitalar na maternidade Alfredo da Costa.

13 COMMENTS

  1. Enquanto não meterem na cadeia um ou dois, como se faria num país civilizado, onde o Estado, na figura do professor, se faz respeitar, não vamos a lado nenhum… Mas podemos esperar algo deste ministério da educação? Não me parece… Depois admiram-se que os movimentos populistas avancem por essa Europa fora, a impunidade, de grandes e pequenos criminosos, é o clima certo para os salvadores da Pátria de botas cardadas… Democracia não significa libertinagem, nem desrespeito da autoridade e das Leis da República, antes pelo contrário…

  2. Onde está a direcão geral de educação? Se fosse um professor já estaria no terreno a atuar mas, como se trata de um encarregado de educação não se pronuncia. Pobre escola portuguesa que está a viver em pleno caos. Continuem a seguir o modelo finlandês (que os próprios já verificaram que não deu resultados) que daqui por pouco tempo, teremos uma geração de burros sem valores de espécie alguma.

  3. “Estamos muito preocupados” disse a mãe de uma aluna, e não é para menos. Pois eu entendo, com as notícias que lemos e ouvimos todas as semanas, que existe uma guerra aberta entre encarregados de educação, alunos e professores! Se o estado das coisas continuarem, sinceramente não sei onde iremos parar.

    Toda a solidariedade para os professores que têm vindo a ser agredidos, de uma forma ou de outra.

  4. O que terá levado esta mãe a agredir uma professora de 1ª classe !
    Se for como uma que eu conheci (trando outras) me surpreende somente não lhe ter deixado a cara toda negra por conta de raiva e revolta contida. Sim, tem docentes que são mais psicopatas que humanos, levando pessoas normais a perder o sentido ou noção de razoabilidade !!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here