Início Notícias Professor Suspenso Por Agredir Aluno Surdo Em Escola De Penafiel

Professor Suspenso Por Agredir Aluno Surdo Em Escola De Penafiel

1124
1

Um aluno de 16 anos, surdo, estudante do 11º na Escola Secundária Joaquim de Araújo, em Penafiel, agredido na passada terça-feira por um professor, durante uma aula de Mecatrónica.

Alertada pela diretora interina da escola, a GNR foi chamada ao local, onde confirmou uma “agressão de um professor a um aluno com necessidades educativas especiais”. O rapaz foi assistido pelo INEM e transportado depois para o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, onde foi considerado “ferido grave”, revela o Público.

O Ministério da Educação informou esta sexta-feira que o professor já foi suspenso. “O pedido de suspensão, por parte da escola, que ontem [quinta-feira] ao final do dia deu entrada na Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, foi despachado”, lê-se num esclarecimento enviado à agência Lusa.

De acordo com o Público, a escola pediu a suspensão preventiva do professor e comunicou o incidente à Inspeção-Geral de Educação e Ciência e à Direção-Geral Dos Estabelecimentos Escolares, depois de o afastar imediatamente da turma onde terão ocorrido as agressões. A escola abriu “um procedimento disciplinar”.

Como utiliza um implante, para minimizar os efeitos da surdez, o rapaz teve ainda de se deslocar, na passada quarta-feira, ao Hospital de São João, no Porto, onde é acompanhado. A GNR deverá agora encaminhar o caso para o Ministério Público local para investigação.

Na nota enviada à agência Lusa, o Ministério da Educação refere que “as autoridades estiveram no local e tomaram conta da ocorrência”. Acrescenta que “os serviços do Ministério da Educação estão em contacto permanente com a escola, tendo disponibilizado o apoio necessário”. E “repudia veementemente todas as formas de violência, em particular em ambiente escolar, convidando todos para uma atitude proativa de prevenção de comportamentos violentos e de desrespeito”.
Fonte: Observador
COMPARTILHE

1 COMENTÁRIO

  1. É claro que uma violência deste tipo não se justifica. Contudo, não será mais um reflexo da saturação/extenuação dos professores cujo estado psicológico está de rastos? Não perceberam ainda que a escola pública está doente, que os professores estão velhos e doentes?
    E o que dizer dos pais/Enc. de Educação que por tudo e por nada fazem queixas de professores? Conto um caso recente. Um professor foi insultado por um aluno. Em consequência, o professor deu-lhe um puxão de orelhas. Reação do Enc. de Educação: apresentar, do professor, uma queixa crime por agressão, na PSP. Resultado: o professor passou 10 horas no hospital vítima de problemas no coração. Se o professor tivesse um enfarte ou morresse? Não haveria problema. O menino pode continuar a ser mal-educado e o professor que MORRA, há (?) outros para o seu lugar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here