Home Rubricas princípio de alguma coisa

princípio de alguma coisa

69
0

De certezinha que princípio de uma colaboração;

Dou início a uma colaboração que me enaltece e orgulha com o ComRegras;

Escrevo (peCoisas das aulaslos blogues, para mim mesmo e para meter na gaveta, numa ou noutra colaboração) desde que me lembro; gosto de escrever e pronto; não sei se escrevo de jeito, coisas de jeito ou com jeito – isso será uma outra estória;

Reconheço, contudo, que me senti claramente orgulhoso e enaltecido quando fui convidado a colaborar neste blogue. (As razões ou circunstâncias que levaram o Henrique a convidar-me a ele pertencem).Sendo o início importa destacar um conjunto de princípios, de linhas de orientação que definem e balizam as regras por onde esta escrita se espraia.

Coisas da escola, é uma designação que há muito gosto e que me permite relacionar toda a minha escrita com o mundo que gosto e na qual me movimento há alguns anos a esta parte, concretamente e foram feitos no passado dia 1 de setembro, 26 anos de profissão.

Professor de História do básico e do secundário, grupo 400 que já foi 10ºA. Nascido e criado na cidade de Évora, a viver em Igrejinha, casado, pai de um Manel e de uma Maria.

Por este cantinho e com uma periodicidade que será quinzenal, irei dissertar sobre a escola nas suas múltiplas vertentes/variantes. Será, destaco desde já, uma escrita descomprometida, isto é, serão predominantemente artigos de opinião e, circunstancialmente e desde que coincidentes no tempo, um ou outro apontamento de ensaio ou mais fundamentado (empírico).

Apesar do suporte desta página assentar em questões da (in)disciplina (a designação, ComRegras , para isso remete) e ser eu um curioso sobre a temática, não me irei restringir a ela. As questões que por aqui passarão serão sobre a escola, diversas e diferentes, algumas delas, é certo, sobre a indisciplina na escola ou, como prefiro, sobre os comportamentos escolares. Outras remeterão implícita e indiretamente para as questões que interferem, condicionam ou implicam com comportamentos, mas não falarei diretamente neles.

Neste contexto, sobre os comportamentos escolares, há duas áreas que me absorvem a curiosidade e algum do meu tempo e que certamente irão ser o grande combustível da minha escrita. Uma diz respeito ao processo de construção do aluno em cidadão. A escola processa (fabrica, constrói, determina) o cidadão que iremos ter. Nele se incluem as regras e os comportamentos, os critérios do que é permitido e favorecido daquilo que não é tolerado ou concedido. Uma segunda área da minha curiosidade diz respeito à relação entre cultura escolar e contextos escolar. Como um influência o outro, em que termos e em que condições ou circunstâncias? Neste processo de influências recíprocas como se estabelecem as regras e os critérios dos comportamentos escolares? Até que ponto a escola reproduz o seu contexto social (de poderes e influências, de organização e hierarquia) ou, em contraponto, promove a mobilidade social, as alternâncias pessoais e profissionais..

Escreverei sobre o meu olhar sobre a educação, de um modo geral e, em particular, sobre a forma como olho e considero a escola – os seus problemas e as suas virtudes, o seu papel e os seus objetivos, as suas funções ou atribulações, entre tudo o que possa vir a esta rede.

Irei procurar que os artigos sejam de leitura fácil e rápida. Para isso, procurarei não ultrapassar os três mil e quinhentos carateres, isto é, página e meia A4 escrita a arial 11 com linhas a espaço e meio. Não quero cansar nem massar.

Agradeço comentários.

Manuel Dinis P. Cabeça

Setembro, 2015

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here