Home Editorial Ou Começam A Respeitar O Horário De Descanso Ou Daqui A 1...

Ou Começam A Respeitar O Horário De Descanso Ou Daqui A 1 Mês Estão Todos KO

24791
4

17h30!

Esta pode perfeitamente ser a hora em que Portugal desliga da Escola e passa a viver o resto das suas vidas. Em muitas casas, a “quarentena” imposta tornou a escola um fator de elevada tensão familiar.

Apesar do horário escolar presencial + respetivos TPC ser superior, o facto dos encarregados de educação não conseguirem “despachar” em qualidade o seu teletrabalho em horário laboral, está a sobrecarregá-los de tal forma que os desabafos são cada vez mais frequentes e ainda estamos na 2ª semana de aulas. Tal verifica-se principalmente no ensino básico, onde a escola e os professores insistem em contar com os pais para o apoio escolar. Os pais não são professores, nem têm qualquer tipo de obrigação de o ser.

Lembro que na semana passada surgiu uma reportagem na SIC onde se via uma avó com a 4ª classe a “ajudar” o seu neto de 5º ano. Se isto não serve de alerta não sei o que será preciso para se perceber que as tarefas atribuídas devem estar adaptadas aos alunos e à realidade atual. O trabalho à distância não pode, não deve, partir de uma bitola superior, mas sim a pensar nos alunos com maior dificuldade. Em termos percentuais, apontaria para 80 a 90% dos alunos devem conseguir realizar as tarefas sem o apoio de terceiros. Por isso tenho sido frontalmente contra a lecionação de novos conteúdos que obrigam a um apoio suplementar que como sabemos é utópico.

Quando os filhos estavam na escola, os pais, além do seu trabalho, tinham tempo para tratar das lides domésticas como a roupa, o almoço ou o jantar. Com a telescola em cima do teletrabalho, algo tem de invadir o horário de descanso. São pais a enviar mensagens às 11 da noite para professores e são professores a enviar tarefas às 10 da noite, como se a noite nunca chegasse e fosse obrigatório o cumprimento de 3 turnos de trabalho diário, algo que como sabemos é ilegal.

Liguem um despertador qualquer, estabeleçam uma linha vermelha, ganhem tempo de família, ganhem tempo de sofá para ver aquela série, filme ou livro que está na gaveta desde que o bicho chegou. Se não o fizerem, o vosso corpo vai obrigar-vos a fazê-lo, mas até chegar a esse ponto, vão sofrer e fazer sofrer aqueles que mais amam. Não vale a pena, a escola deve trazer algo positivo para todos, algo que os alunos pelo menos não rejeitem mal acordam de manhã.

Há muito que afirmo que o sucesso educativo depende de um triângulo constituído pelo aluno, pelo professor e pelos pais, se um destes “queimar” o equilíbrio irá perder-se. O ritmo que estamos a levar, coloca em causa não 1, não 2, mas os 3 vértices do triângulo.

Parem de correr e olhem para trás… Alguém está a perseguir-vos? Se não veem ninguém, para quê tanta pressa?

Alexandre Henriques

4 COMMENTS

  1. Há muito tempo que os professores deixaram de ter horário de trabalho, o ME sempre soube e fez ouvidos de mercador, como tal está naturalizado e institucionalizado sem que ninguém resista, o cancro está a espalhar-se ao resto da sociedade porque se acha normal invadir o espaço privado. Quem resiste é extra-terrestre.

  2. “Os pais não são professores, nem têm qualquer tipo de obrigação de o ser.” Boa piada, os pais são os primeiros professores e não conseguir cumprir com o teletrabalho no horário laboral normal é só falta de disciplina e desculpas de mau pagador

    • Se vamos misturar responsabilidades, daqui a nada está a dizer que os professores são os primeiros educadores…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here