Home Escola “O Triunfo Dos Porcos” – Filinto Lima

“O Triunfo Dos Porcos” – Filinto Lima

447
1

Brando, o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito ao banco público alude a “indícios da potencial prática de diversos tipos de crimes”, conclusão inequívoca para qualquer leigo na matéria, apesar de o tempo da Justiça não ser este.

Durante largos anos, a gestão do banco público esteve condicionada, dominada por certo poder político, e vilipendiada por pessoas pretensamente abastadas (à custa do dinheiro do povo e do chico-espertismo!) que, sem vergonha estouraram, à grande e à francesa, o crédito de milhar de milhões de euros.

É atroz ter consciência dos enormes buracos cavados por este desgoverno, autêntico forrobodó dos ricos, tapados com o dinheiro de todos nós, em prejuízo do investimento que tanto a Educação e a Saúde, como meros exemplos, carecem.

Também por isso não se compreende, no concernente à primeira:

1. A razão do não reconhecimento da totalidade do tempo que os docentes trabalharam;

2. A permanente escassez de funcionários nas escolas;

3. A não substituição de computadores e outro material informático, obsoletos e desgastados;

4. Que ainda existam estabelecimentos de ensino bastante degradados, a clamar a urgência da ansiada intervenção;

5. A existência de uma rede wi-fi pouco fiável.

Uma pequena parte do pretenso locupletamento daria para fazer a festa nas escolas, que recusam assistir à sequela de “O triunfo dos porcos”!

Filinto Lima, in “Jornal de Notícias”,  9-8-2019

1 COMMENT

  1. Só agora é que o Sr director acordou? Ora dá uma no cravo ora dá uma na ferradura!
    Ou hoje acordou virado para a realidade de um país onde o que menos importa é a Escola? Será que os directores ( há excepções) têm uma visão tão restrita ao pequeno mundinho da escolinha onde chega haver papel higiénico e pessoal para explorar que tudo está bem ou será que também o jogo das conveniências lhes serviu?… até um dia..
    Como director, o Sr e muitos outros, nomeadamente em associações de directores, convidados para programas televisivos, dando entrevistas a jornais mais não fizeram que entrar e partilhar a verborreia da tutela ajudando ao ” triunfo dos porcos” – como gostavam de se ouvir com a conversa da treta, das escolas e dos projectos, das inclusões e das flexibilidades, do sucesso cheia de nada da escola do séc. XXI , projectando uma imagem de autosatisfação e de que tudo é maravilhoso…e as eventuais críticas a fazer eram sempre em “chinelinhos de algodão”…
    Se concordo com o texto? – Em absoluto!
    Tenho a certeza que a maioria dos professores concordarão mas, como eu, certamente se questionarão: só agora é que percebeu? O que andou a fazer até agora?

    Mas nunca é tarde para acordar… se bem que, confesso, .me irrita sempre quem demora a ver e porque razão demorou a ver…
    Fico a aguardar se este sr. director e muitos outros não voltam a fechar os olhos e se verdadeiramente se associam para informar a sociedade da realidade das escolas e do esforço, muitas vezes, “sobrehumano” dos seus profissionais…sim, que esta história do esgotamento e do burnout são realidades crescentes que colocam em causa não só a saúde dos próprios como a eficiência do trabalho e as condições adequadas para a aprendizagem dos alunos…

    Espero para ver o que se segue… Quem sabe se aderirá a uma próxima greve, quem sabe já participou para o fundo que conjuntamente com o STOP foi criado para levar o ministério da educação/ governo a tribunal, quem sabe estará a projectar uma participação permanente junto da comunicação social para alertar para todo o fingimento com que vivem as escolas, quem sabe estará a articular com as associações de directores formas de pressão e reinvindicação,…, quem sabe se já mandou à mer** as milhentas plataformas que tem para preencher ( para ontem e com as mesmas informações que os outros não estão para ter trabalho) para que outros façam boas figuras e o negócio continue em expansão,… Quem sabe???

    Como Frei Tomás: Ver para Crer!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here