Home Rubricas O Trabalho Em Suaves Prestações

O Trabalho Em Suaves Prestações

404
0

«Boa tarde.

Os últimos tempos não foram fáceis para quem lutou intensamente para que a mais elementar justiça fosse feita na casa da nossa democracia. E a verdade é que ela não esteve à altura dos seus desígnios e obrigações, obviamente devido ao péssimo papel desempenhado pelos nossos eternos actores.

Há muito que perdi a esperança de que os intervenientes de serviço tenham a coragem de fazer o que efectivamente deve ser feito, rompendo com a lógica submissa às inevitabilidades impostas pelos poderosos, ao que muitos consideram ser impossível evitar ou mudar, tudo porque há sempre alguém mais acima, com mais poder, a afirmar que assim é. Não me conformo com isso, com essas fatalidades impostas por quem, no fundo, nada espera que mude e tudo faz para que as desigualdades que assolam e afundam este mundo de injustiças se mantenham ou ampliem.

Daí que, acabado o período para a opção que me deram de escolher entre ver roubados, de uma vez ou às fatias, 2/3 do meu tempo de serviço, é hora de recuperar as energias e iniciar um processo que, podendo ser longo, levarei até ao fim. Nem que seja o dos meus dias. Pois o tempo não se apaga: conta-se. E todo.

Por isso, senhor primeiro-ministro, ministro das finanças e sra. secretária de estado, fiquem a saber que a luta segue dentro de momentos. Porque não há malabaristas ou mentirosos neste mundo que me roubem um único segundo do meu tempo de trabalho. E porque não há pior insustentabilidade do que a da falta de argumentos.

A desenvolver.»

 

Texto escrito pelo colega  Maurício Brito

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here