Home Notícias O Nirvana Educativo

O Nirvana Educativo

70
5

nevermind-nirvana-pochette-album-wtf-chaussettesQuando o interesse partidário e a prosa bacoca desliza pelas páginas dos jornais já sabemos ao que vêm. Exemplo deste facto é este artigo, de um Sr. que dá pelo nome de Carlos Almeida, vereador eleito pelo PCP na CM de Braga, o qual nada percebendo do que fala e sabe acerca deste tipo de patologia, veio a terreiro fazer um “briefing” com os jornalistas. Nem pudor nem honestidade intelectual. Com tanto carinho pela Venezuela não entendo por que continuam por cá.

Se não me falha a memória nunca vi ou ouvi algum ministro da educação, no final de cada ano letivo, dizer que o mesmo correu mal ou menos bem. A honestidade desta gente, independentemente da “cor” política tem um problema patológico grave e, pasme-se, não são autistas! O investigador e a advogada, peritos em assuntos educativos, com largos anos de provas dadas, até já foram professores – ups! peço desculpa, esse é o da CGTP – depois de revirar o ano letivo a meio do seu percurso, dizem-nos que o ano letivo correu com “A tranquilidade e a serenidade que nós sempre anunciámos. Os diretores de escolas e os delegados regionais dizem-nos que todo o processo aconteceu com toda a normalidade (…). Em que escolas é que estiveram?

Continuando com a tranquilidade e serenidade do investigador e da sua advogada chegamos aqui, à pasmaceira. Não vou qualificar mais nada, estes artigos deixam-me elucidado o suficiente. Mais um pouco e alcanço o Nirvana.

Por último, não resistindo e certo de que o Eça concordaria comigo, a Maria João brinda-nos com um texto fantástico. Com a CGD à cabeça, o corpo do “inginheiro” e os membros da oligarquia temos uma imagem perfeita em 3D.

PCP denuncia “recusa” de escola de Braga em receber grupo de alunos autistas

(Agência Lusa)

Ministro da Educação considera que ano letivo “correu bem”

(Agência Lusa)

Quando começam as aulas? Pais e diretores querem saber

(Agência Lusa)

Proteger o Estado e os contribuintes de Sócrates e discípulos

(Maria João Marques)

5 COMMENTS

  1. Estou pouco importado se o senhor é ou não do PCP… Porque tem razão! Qual o motivo de três alunos autistas não terem espaço numa Escola Pública?

    • Deverá saber, porventura melhor do que eu, que de nada adianta arranjar uma sala dado que essa mesma sala não pode nem deve ser uma sala qualquer. Além deste “pormenor” é preciso alocar recursos humanos e materiais adequados e específicos para cada caso. Todos sabemos que não existem.

  2. Não tem razão. É fácil instalar uma sala para estes alunos. Existe na Escola Pública, pessoal habilitado para acompanhar estes alunos. Sim, eu sei do que estou a falar…
    Felizmente que a intervenção para as jovens e crianças com autismo mudou muito, mas muito mesmo, nos últimos anos…

    • Pasmemo-nos! Mais um iluminado! Tenho e certo de que continuarei a ter, atendendo ao estado a que o nosso sistema educativo chegou, várias escolas no meu percurso profissional. Com o seu comentário admito duas conclusões: É um dos sortudos, caso seja docente, que vinculou num agrupamento “à séria” ou vive uma realidade virtual. Ah! Gostei do “Escola Pública”. Seja honesto para consigo e para com os outros. Houve, há e haverá boas e más escolas, bons e maus profissionais, quer se trate de público ou privado. Conheço as duas realidades, para o bem e para o mal. Disse!

  3. O que pretendo dizer é que existem diversas Unidades de Autismo a trabalhar em salas seguindo o modelo TEACCH. Essas salas não são difíceis de estruturar e existem técnicos especializados na Escola Pública para alunos com estas caraterísticas. É muito importante que a escola apoie os pais destes alunos, inclusive criando uma intervenção que vá para além da própria escola. Por vezes a intervenção com estas crianças é uma tarefa difícil, para os professores, mas muito mais difícil para os pais que devem, e podem, ser ajudados…
    Essa do ”seja honesto para consigo e para outros” não percebi , aliás o texto tem pouco nexo: por norma, não respondo a argumentos sem conteúdo!
    … Já agora… Deixe-se as artes adivinhatórias para os especialistas…
    P.S. Escusa de responder com outra prosa da mesma ”qualidade” que tenho mais que fazer do que aturar tolices! E sim, por último, já trabalhei com crianças autistas , por várias vezes, fazendo parte de uma equipa técnica especializada…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here