Início Editorial O ME Reagiu A Uma Agressão! O Estranho Caso De Um Ministério...

O ME Reagiu A Uma Agressão! O Estranho Caso De Um Ministério Da Deseducação!

4654
11

Finalmente o ME reagiu a uma agressão numa escola! Grita-se por aí! A sociedade exalta-se com a detenção do professor que, alegadamente, agrediu um aluno…Depois de ouvidos na esquadra conforme notícia:

Alunos e professor foram ouvidos na esquadra depois da agressão que terá ocorrido esta segunda-feira na Escola Secundária Rainha Dona Leonor, em Alvalade. O docente foi suspenso de funções “de imediato”.

No entanto, ninguém nunca ao longo dos últimos anos veio recriminar publicamente as agressões bárbaras sofridas pelos professores, os burnouts mortais sofridos pelos professores, as depressões suicidas sofridas pelos professores, as juntas médicas que mandam trabalhar até morrerem em “combate”! Porquê?

Será difícil perceber que este caso não é mais do que um caso de profunda depressão por parte do professor?

Que não é  mais do que o culminar de anos a sofrer na pele todas as mudanças que levam para as escolas o cada vez maior mundo da indisciplina?

Mas alguém imagina pelo que passa um professor diariamente?

Da pequena indisciplina constante e contagiosa, às agressões a colegas, auxiliares a até a professores sem que possam fazer grande coisa? E se o fizerem arriscam-se a caminho de casa ou mesmo ali à porta da escola serem agredidos como foi o caso da semana passada?

Nada disto que estou a escrever justifica a agressão do professor, mas antes de condenarem em praça pública, mostrando o ME que é apenas o “selfie man” que quer aparecer nas fotos e ficar sempre bem, deviam averiguar o estado de saúde deste colega, assim como os de muitos que pelas escolas circulam e aguentam como podem tanta indisciplina, tanto mal estar, tanto desprezo social!

Estou deveras irritado com a postura do Ministério, por ser vergonhosa e sobretudo por nunca ter mostrado igual celeridade em casos semelhantes com professores!

Quando são os professores a serem agredidos, assobia-se para o lado, nem um comunicado, nem um nota informativa…nada!

Neste caso em específico quero apenas dizer que antes de julgar, aguardarei pelo apuramento dos factos…

Mas antes pergunto onde está a Medicina de Trabalho nas escolas? Será que não poderiam prevenir estes casos de depressão?

Onde ficou o atestado de robustez física e psíquica? Será que não teria de aposentar uns tantos e isso custaria dinheiro?

Sobre este tipo de situações acredito que cada vez acontecerão mais se não se olhar de forma séria, transparente, descomplexada para os casos de Burnout, por um lado, e para os casos de indisciplina, por outro!

É urgente cuidar da Educação em Portugal!

 

Alberto Veronesi

 

COMPARTILHE

11 COMENTÁRIOS

  1. Quantos encarregados de educação foram presos por agressões, já houve dezenas, muito graves a docentes? ZERO.
    Quantos alunos foram presos por agressões a professores? ZERO.
    Agora até veio logo o irmão do criador de burros crucificar o professor. Vá para casa ajudar a família!
    Mas também ainda não ouvi os sindicatos…
    Os vendidos dos jornalistas até já fizeram o julgamento, sem ouvir as duas partes.
    A partir de agora os alunos podem fazer o que lhes apetecer nas aulas!
    Se os professores não se revoltam agora, estão totalmente perdidos.

  2. … ora aí está… O Minisério é célere a reagir à violência… Se fosse o professor a levar nas ”trombas”, fosse de alunos ou de progenitores dedicados, não se passava nada, de nada… aliás é normal alguns fedelhos acharem normal tratar de polé o professorado e a psicologia positiva fofinha dar cobertura a todo este desvario com umas tretas de pseudociência e desculpabilização permanente de muitas crianças e adolescentes, que, educados com toda a positividade, são violentos, egoístas e sem humanidade… Criaram-nos sem tabefe, sim, sem tabefe e são muito mais violentos que as gerações anteriores!!! Uns tabefes faziam bem? Claro, mas não na Europa hedonista que vive num mundo do faz de conta e e decadências várias! Disciplina para as Escolas já em vez de palhaçadas de flexibilidade e outras ”chonices” , em geral…
    Aguardo todo o desenvolvimento do tema para perceber como o professor em causa perdeu as estribeiras… ou se as foi perdendo com o tempo…

  3. Esta reação pronta do ministério, mais uma prova do que valemos para essa gente! Toca a crucificar o nosso colega, sabe-se lá o que aguentou de provocações e de faltas de respeito nessa turma, mas tadinhos dos meninos, sempre tão incompreendidos pelos profs, que tanto maltratam os pobrezinhos … Agradeço ao colega este excelente texto que acaba de publicar!

  4. Os acontecimentos da semana passada (agressões a professores e 1 AO) não tiveram relevância para o ME nem para a comunicação social e esta já é noticia de abertura de telejornais! Vão espremer isto até ao tutano e virar, outra vez, [email protected] contra a classe docente!

    Esta discriminação é que deve ser A QUESTÃO!

    Tudo o resto é/parece uma tentativa para deslegitimar o que não o deve ser!

  5. A indisciplina há muito que está instalada e continuará a aumentar porque o ME esvaziou a função do professor, que aliás está num processo acelerado, agravada por múltiplos fatores, como o envelhecimento da classe docente, o aumento das horas de trabalho e de formação [(in)útil????]…
    Antes, era a crise económica, agora que as pessoas têm mais rendimento… o que explica tudo isto?
    Vai-se à escola para passar tempo, as notas virão sem qualquer esforço… Os professores devem atender a tudo e claro, como o ME, não atendem a nada ou a muito pouco. António Costa carregará consigo o peso de ter implementado a reforma mais suicida para a escola pública. Mas ele não acredita porque não é capaz de ouvir, tal como os responsáveis do ME que tão inebriados estão pelo perfume da “escola inclusiva” (quem me dera estar enganada quanto ao resultado desta reforma, sinceramente!).
    Não se pede que se amem os professores, há bons, razoáveis e maus, como nas restantes profissões. O problem é que desempenhar a função docente é hoje uma missão impossível e isso ninguém entende, não quer entender ou, não é mesmo capaz, tolhidos que estão os responsáveis pelo dogmatismo e pela incapacidade de dialogar com ciências que poderiam ajudar a compreender melhor o ser humano e, sobretudo, com os professores .
    Mas não é só o ME que não quer ver, são todos aqueles que a negam, ou antes escondem a sua indisciplina para ficarem bem nas estatísticas. O problema é que não é possível continuar a varrer tudo para o saco da estatística.
    Raramente intervinha nas redes sociais, mas só o imperativo de não assistir em silêncio ao ruir da escola pública me leva a fazê-lo, com alguma regularidade, e saúdo o esforço de todos os que o fazem. Como dizia Martin Luther King, o que me preocupa é o silêncio dos bons.

  6. Também me preocupa o silêncio dos bons…
    Estes jovens alunos já nasceram mortos e os pais são o espelho de uma sociedade de oportunistas espertalhões sem dignidade e sem princípios daí o comportamentos dos filhos e o desnorte dos professores perante tanto desrespeito. Esse desgraçado professor é vítima e não culpado.

  7. Muitos parabéns a todos os que comentaram o excelente texto sobre a agressão do professor ao aluno. Será que alguém já se perguntou o quanto o aluno terá provocado/desrespeitado o professor para haver uma reação tão violenta. Não podemos esquecer que os professores são seres humanos, não são santos. Tudo na vida tem um limite, infelizmente, a paciência e saúde mental dos professores estão nas últimas. Se o ME tivesse algum bom senso retirar-se-ia de cena e pediria DESCULPA aos professores pela maneira ignóbil com que os tem tratado. Retrate-se Sr Ministro. A Escola está doente, velha, saturada…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here