Home Notícias Na Europa estão a optar por fechar as escolas

Na Europa estão a optar por fechar as escolas

496
0

O sintoma é geral: a curva de novos casos de covid-19 ascende depois da época de festas e deita por terra parte do efeito placebo de esperança que o início da vacinação deu à Europa. Os países encolhem-se e, quase em uníssono, admitem não haver outra forma que não a de se fecharem novamente.

Mas as medidas diferem. Uma boa parte dos países que já tinham no final do ano de 2020 implementado confinamentos parciais ou gerais vão agora estendê-los e isso implicará, em quase todos, o adiamento da reabertura das escolas. Noutros, foi preciso engordar as medidas, o que terá eco no fecho de estabelecimentos de ensino.

Em Portugal medidas mais severas estão a ser preparadas pelo governo e pode estar por dias um fecho geral do país, idêntico ao que aconteceu em abril do ano passado. António Costa não quis avançar para um confinamento, com os efeitos nefastos para a economia que acarreta fechar o país, sem antes ouvir os parceiros sociais e os partidos. Após uma reunião na Concertação Social nesta sexta-feira, comunicará as novas medidas ao país na terça-feira, dia 12.

Mas uma decisão parece já estar alinhavada: as escolas não serão afetadas: O primeiro-ministro escuda-se num “grande consenso de técnicos e especialistas de que não é preciso afetar o funcionamento do ano letivo” como foi feito em março e abril. Com a mesma lógica segue Itália, mas não o resto dos países que se decidiram por um lockdown.

ITÁLIA

Em Itália, as medidas de confinamento para as semanas de festas, em que se inclui a proibição de circular entre regiões do país, foi agora estendida pelo menos até 15 de janeiro.

Neste país, as escolas deverão continuar abertas, por decisão da ministra da educação, Lucia Azzolina. “A escola é um serviço público essencial. Não podemos continuar a sacrificar a aprendizagem das nossas crianças ao fazer de conta que o ensino à distância pode substituir o ensino cara a cara”, defendeu.

INGLATERRA

O primeiro ministro inglês, Boris Johnson, decretou o terceiro confinamento geral do país a 4 de janeiro, em resposta ao agravamento de casos de covid-19 em sequência da nova variante do vírus, ali descoberta.

O lockdown deverá durar até meados de fevereiro e todas as escolas e creches irão fechar, com os alunos a terem de voltar a recorrer ao ensino não-presencial.

ESCÓCIA

No país vizinha, a Escócia, um novo confinamento foi decretado a partir desta terça-feira, 5 de janeiro, para aliviar os hospitais do aumento muito substancial de internamentos devido ao aumento de casos provocado pela nova variante do SARS-CoV-2.

As escolas irão permanecer encerradas para a maioria dos alunos (excepto para os filhos de trabalhadores considerados essenciais).

PAÍS DE GALES

No País de Gales o confinamento geral foi estendido por mais três semanas para combater o grande aumento de casos da nova estirpe do vírus.

Também neste caso as escolas permanecerão fechadas até fevereiro.

ALEMANHA

A Alemanha, que já havia decretado um confinamento geral até dia 10 de janeiro, decidiu estender a medida até ao final do mês “para manter os contactos ao mínimo absoluto nas próximas três semanas e ficar em casa o mais possível”, explicou a chanceler Angela Merkel.

Também neste país, o fecho de escolas está subentendido, como o de todas as lojas e serviços não essenciais.

GRÉCIA

O governo grego anunciou no sábado passado, dia 3 de janeiro, um confinamento muito restrito por três semanas, também devido ao aumento de casos de covid-19 após as festas de Natal e de ano novo. O comércio e os serviços autorizados nessa altura à abertura, terão agora de se manter fechados, com as pessoas a poderem apenas abandonar as casas para trabalharem, ir às compras de produtos essenciais, ir ao médico ou praticar exercício físico.

As escolas estão proibidas de reabrir a 10 de janeiro.

PAÍSES BAIXOS

Já em confinamento parcial desde 28 de dezembro, os holandeses vão muito provavelmente ter de ficar em casa pelo menos mais duas semanas. A medida de lockdown, já determinada para durar até 19 de janeiro, deverá ficar em vigor até ao final do mês.

Apesar de reconhecer como “no topo das prioridades” a reabertura das escolas, o primeiro ministro holandês, Mark Rutte, disse não poder dar garantias de que isso aconteceria, pelo que a situação mais provável é que se mantenham fechadas até meados de fevereiro.

ÁUSTRIA

A Áustria prolongou o seu confinamento, iniciado a 26 de Dezembro (e que se devia estender até 17 de Janeiro), durante mais uma semana, até 24 de Janeiro.

Neste alargamento das medidas, incluem-se as escolas, que deverão também ficar fechadas, privilegiando-se o ensino à distância.

IRLANDA

O Governo irlandês, que impôs no final de Dezembro o encerramento dos bares e restaurantes e proibiu as visitas domiciliares, num confinamento generalizado entre 25 de Dezembro e 12 de Janeiro, com uma grande parte do comércio encerrado, pondera implementar mais restrições.

Nelas inclui-se um possível encerramento das escolas pelo menos até ao final de Janeiro, anunciou esta terça-feira o primeiro-ministro irlandês Michéal Martin.

POLÓNIA

Na Polónia continua em vigor o confinamento decretado no final do ano 2020, que durará até dia 17 de janeiro, com encerramento de todos os serviços considerados não essenciais. As exceções são estabelecimentos como farmácias e supermercados.

As escolas permanecerão fechadas até 17 de janeiro.

UCRÂNIA

A Ucrânia implementou novas medidas para responder a um aumento de casos que já vem a ter desde setembro.

Em causa está um confinamento geral, com encerramento dos restaurantes, dos ginásios e também das escolas.

CHIPRE

No Chipre, a partir de 10 de janeiro, as pessoas só poderão sair de casa duas vezes por dia e sob pedido previamente aprovado. As medidas resultam de um segundo lockdown decretado no país para responder a um grande aumento de casos de infeções por coronavírus.

Neste país, as escolas estarão fechadas, com exceção das creches, do pré-escolar e das crianças que estudam no ensino especial.

Fonte: Expresso

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here