Home Escola Na Alemanha prolonga-se as férias dos alunos… Por cá…

Na Alemanha prolonga-se as férias dos alunos… Por cá…

494
0

Não me convencem com os argumentos financeiros, pois o ensino à distância, principalmente dirigido ao Ensino Secundário e 3º Ciclo, não condiciona em nada a economia, pois os alunos não precisam de supervisão parental.

O argumento de um ensino de menor qualidade é naturalmente aceite, pois é factual, mas é preciso pesar os dois pratos da balança, e quando temos quase 100 mortes diárias em Portugal, não há equilíbrio possível ,ou argumento possível, que mereça sequer ser discutido.

Estamos perante uma clara falta de visão estratégica, uma decisão política que terá sangue nas mãos, onde se opta pelo Natal, como se o Natal valesse mais que vidas humanas. A título pessoal, muito me vai custar, mas prefiro ter mais natais do que colocar sequer a hipótese de infetar pessoas de risco que podem não ter mais nenhum natal devido ao covid-19.

As escolas, por muito que digam o contrário, são um foco de transmissão, pois é um espaço onde todos os dias circulam mais de 2 milhões de alunos, muitos deles sem cumprirem o distanciamento social e com o uso indevido de máscara e outras coisas piores.

Façam-se escolhas, com a responsabilidade e o sentido de proteção das populações. Passamos a vida a correr atrás do prejuízo e podíamos aprender com o que lá fora se passa, tal como a Alemanha, que apesar de ter menos infetados por 100 mil habitantes, decidiu restringir a circulação. Não digo para fecharem a economia, pois Portugal não é a Alemanha, mas as escolas deviam efetivamente mudar de sistema de ensino para o 2º período, ou antecipar/prolongar as férias escolares.

Fonte: SIC

Veja aqui o discurso emocionado de Angela Merkel


 

Holanda prepara-se para fechar escolas e confinar durante um mês

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, deverá anunciar esta segunda-feira um confinamento total com duração de um mês e o encerramento das escolas, numa tentativa de baixar o número de infeções da Covid-19 no país, escreve a agência Reuters.

Mark Rutte realizou uma reunião de emergência esta segunda-feira e fará um discurso para anunciar novas eventuais medidas, que será transmitido às18h00 (hora de Lisboa).

Além das escolas, também o comércio não essencial deverá fechar até 19 de janeiro — o que faria deste confinamento mais restritivo do que o imposto durante a primeira onda da Covid-19 entre março e maio, altura em que as escolas foram fechadas, mas as lojas puderam abrir. Outros edifícios públicos, como museus, cinemas e jardins zoológicos, também serão encerrados.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here