Início Notícias Medida Disciplinar: Pais Sentam-se Ao Lado De Alunos Mal Comportados

Medida Disciplinar: Pais Sentam-se Ao Lado De Alunos Mal Comportados

3062
1

Não está escrito, mas também não precisa de estar escrito. Desde que a direção autorize e os professores também, um encarregado de educação pode estar presente durante uma aula, tal como acontece em inúmeras atividades ao longo do ano.

Só que desta vez, o encarregado de educação ficaria encarregue de dar educação em contexto de sala de aula, passe a redundância das palavras. Seguramente que o “engraçadinho” ou perturbador por excelência, pensaria duas vezes antes de continuar a prejudicar toda uma turma e respetivo(s) professor(es).

Só que como todos sabemos há pais e pais… E nem todos têm o perfil para serem pais “modelo” ou pais que educam com a qualidade que a sociedade precisa.

A ideia é engraçada e julgo que vale a pena ser aplicada de forma pontual, até porque a maioria dos pais trabalha e não tem uma liberdade de horário que lhes permita uma presença tão… presente!


 

Respondia mal aos professores, mãe sentou-se ao seu lado nas aulas

Uma mãe britânica decidiu cumprir os vários ‘avisos’ e sentou-se ao lado do filho de 13 anos durante a aula, depois de vários avisos de mau comportamento.

Becky Crandley, natural de Sittingbourne, em Kent (Reino Unido), afirmou, nas redes sociais, que recebeu várias queixas dos professores do filho relativamente ao seu comportamento durante as aulas. As queixas referiam-se, especificamente, da forma como o rapaz falava com os docentes.

A progenitora diz que avisou o filho várias vezes e que lhe disse que começava a ir às aulas também, se não mudasse de atitude. Porém, as queixas continuaram e Becky optou por cumprir as ameaças.

“Não posso suportar má educação e falta de respeito”, afirmou a mãe, em entrevista ao britânico Kent Live. “Foi castigado um monte de vezes, mas parece que nada o chateava”, acrescentou.

Becky explicou que decidiu contactar o colégio e propor a sua ida às aulas, que a instituição de ensino aceitou. “Acho que mais pais devem agir relativamente ao comportamento dos filhos. É assustador pensar naquilo que deixamos para trás, um dia”, afirmou.

Os outros pais acabaram por felicitar a britânica pela sua decisão.

Ele soube da má conduta do filho na escola e agiu. Acompanhou o filho nas aulas como castigo

“Meu pai disse ao meu irmão que se ele recebesse outra ligação da professora de física reclamando, ele iria junto em sua aula… e ele recebeu outra ligação!”, disse a irmã do garoto.

Lidar com crianças, especialmente adolescentes, pode ser uma tarefa difícil para os adultos. É que alguns podem ter uma personalidade difícil e todos são naturalmente inquietos. É por isso que ser pai é um trabalho complicado assim como ser professor, afinal você está tentando administrar jovens que não são seus filhos.

Não consigo imaginar a frustração de uma professora que tem que aturar adolescentes fazendo barulho na sala de aula todos os dias, às vezes sem controle. Deve ser desesperador e exaustivo.

Quando o pai de Brad continuou recebendo e-mails e chamadas de seu professor de física reclamando sobre seu barulho e desordem na sala de aula, tomou medidas sobre a situação.

Então o pastor de Rockwall, Texas, Estados Unidos, disse a seu filho que se ele não parasse seu mau comportamento na aula, ele teria que acompanhá-lo e sentar ao lado dele na escola.

Fonte: Conti outra

COMPARTILHE

1 COMENTÁRIO

  1. E é preciso ir a Inglaterra para descobrir esta ideia?
    Há 20 anos que ando a propor tal medida.
    Mais, quando sou DT, na primeira reunião com EE deixo claro que a minha porta está sempre aberta (sentido literal) até para pais e EE e, se algum dia telefonar a algum, agradeço que cheguem em breve. Tem resultado, nunca foi preciso.
    Os pedabobos do MEC só sabem inventar papéis e ganham muito mais do que eu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here