Home Escola Jornalistas, Forças de Segurança, Sindicatos e Governo, eis a minha prenda para...

Jornalistas, Forças de Segurança, Sindicatos e Governo, eis a minha prenda para vós…

230
0

contadores

Um fantástico contador, daqueles que se carrega com o dedo, usufruindo de horas e horas de prazer contínuo, coisa fácil para polegares musculados via smarthphone …click click click…

É que a redundância dos afetados pela não renovação dos contratos de associação continuam a amarelar as ruas. A Escola Pública não quis ficar atrás e pintou também ela as ruas de todas as cores com alguns discursos úteis e outros nem tanto. Só que o sumo que vai caindo da laranja amarela (não é inocente a escolha do fruto e cor…) começa a ser pouco, cheirando o dito um pouco a ranço. E para mexer um pouco mais, abafando o cheiro que já é intenso, nada como arranjar uma polémica matemática sobre os números das manifs. Na Educação é assim, um mundo muito peculiar onde o meio termo é coisa rara...

O erro existiu, foi evidente, como existem em todas as manifestações que são contadas através do método cientifico mais conhecido, o “olhómetro”. Agora querer crucificar uma jornalista só porque disse que a manif COMEÇOU com 2 mil pessoas… é surreal e ridículo, pois se fosse uma hora mais cedo ainda diria menos.

A hipersensibilidade é uma característica da comunidade educativa e de algo pequenino fazem-se logo grandes filmes com enormes telas azuis e muito material pirotécnico. O direito ao erro existe, pode não estar escrito em lado nenhum mas existe, isso e aquela coisa do bom senso, uns têm outros perdem-se na sua procura. E quando a sua falta é gritante, pede-se despedimento e ataca-se a dignidade profissional de alguém que já provou no passado ter seriedade e ética profissional acima da média. Mas se vamos começar a despedir todos os que erram, então é melhor começarem a mudar os telhados que pairam em cima de muitas cabeças, pois segundo se consta, o vidro ainda não resiste a uma bela pedrada… cuidado com elas…

Serão os números o essencial de uma manifestação, ou serão os conteúdos e princípios invocados?

Canavilhas caiu na ratoeira dos números

(Editorial do jornal Público)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here