Home Concursos Já não são 30 mil, agora fala-se em 10 mil professores para...

Já não são 30 mil, agora fala-se em 10 mil professores para os quadros. É normal, é Natal…

147
3

O Correio da Manhã faz novamente alusão à entrada de professores para quadro, desta vez fala em 10 mil… A este ritmo, já reduziu de 30 mil para 10 mil, irá certamente acertar…  A notícia é dada tendo como base a opinião de Mário Nogueira, esqueçam, isso não vai acontecer, logo porque é Mário Nogueira a dizer e como estamos em período de negociação, os números vão sendo proferidos aproximando-se a pouco e pouco de um número possível.

O problema é que a tutela fala apenas em 400 e António Costa já veio garantir que serão mais, até para amolecer as críticas a Tiago Rodrigues. Só que de 10 mil para 400 vai uma longa distância…

Promessa do Governo vincula 10 mil docentes

(Correio da Manhã – Bernardo Esteves)

Agora, Mário Nogueira considera que mais de 10 mil docentes podem entrar nos quadros. “Neste momento, temos uma precariedade na ordem dos 20%, com mais de 20 mil professores contratados. Se, como diz o primeiro-ministro, passarem a ser contratados apenas 10% para situações eventuais, mais de 10 mil professores poderiam ser vinculados”, afirmou o dirigente sindical, frisando que a atual proposta da tutela permite vincular apenas uma centena de docentes e precisa, por isso, de ser muito melhorada.

 

Nem por acaso, Nuno Crato ganha vida com o PISA 2015 e o JN foi-lhe fazer uma entrevista. Eu já excedi a minha cota semanal de mal dizer a este senhor e que podem consultar aqui, por isso vou fazer o exercício contrário e concordar com três das suas afirmações.

 

“Ministros têm potencial gigantesco para estragar”

 

“Eu estava à espera que este ano entrassem 10 mil… 20 mil professores nos quadros… só entraram 100 e por uma lei que fui eu que criei, a norma-travão.”

 

“Coerência Sindical… Tirem as conclusões que quiserem…”

(Carreguem na imagem para ver a entrevista de Nuno Crato ao JN – duração 3.39 m)

 

3 COMMENTS

  1. Não entendo o porquê deste alarido. Os professores contratados deviam entrar para o quadro pela graduação em concursos “normais”.
    Dessa forma não entraram em vagas dos professores de quadro, como acontece com a norma travão. Ficam em QZP e na mobilidade interna numa prioridade superior.
    Acresce que os professores da Madeira obrigatoriamente têm que estar numa prioridade diferente (inferior)dos professores do continente, uma vez que os Profs do continente também são barrados nas ilhas.
    Sem outro assunto
    Cps

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here