Início Editorial Investir Na Educação É Acabar Com A Indisciplina Nas Escolas

Investir Na Educação É Acabar Com A Indisciplina Nas Escolas

1163
7

Estive a ouvir algumas palestras, na TEDx, sobre Educação, costumo por interesse pesquisar e ouvir o que os palestrantes têm de novo, ou não, para dizer!

No entanto de todos os “grandes nomes” que ouvi e vi nenhum deles tocou no assunto da indisciplina nas escolas! Quer isto dizer que os teóricos continuam afastados da realidade e portanto continuarão a teorizar sobre novos projetos, novas visões, novos caminhos mas sem nunca atacarem a única doença crónica de que a escola padece!

Até posso concordar com a inclusão e/ou a flexibilização dos currículos, mas custa-me a aceitar a forma pouco sã como a têm implementado na escola!

Fala-se em barreiras que impedem que todos os alunos aprendam, aponta-se o dedo aos professores, às condições da escola, a tudo e mais alguma coisa, mas ninguém tem a coragem de colocar o dedo na ferida e assumir que na realidade a maior barreira é de facto a indisciplina nas escolas!

Sem um olhar sério sobre este assunto, sem uma convergência social que leve a arranjar soluções para que de uma vez por todas se consiga erradicar este cancro, não vale a pena tentar implementar nada de novo nas escolas…é como construir em dunas!

É urgente que se devolva a autoridade à escola, aos professores, é imperioso que os estudantes percebam que a escola é um local de aprendizagem e não um passatempo!

Aqui há tempos a sugestão do Alexandre Henriques era Serviço Militar Obrigatório Para Alunos Indisciplinados Ou Em Abandono Escolar, ideia com a qual concordo em absoluto, apesar de polémica, não encontro melhor solução, e vou mais longe sugiro que os militares possam vigiar determinadas escolas e possam impor o rigor e a disciplina nas escolas, devolvendo a estas a harmonia suficiente para que todos aprendam!

A grande barreira hoje em dia e o que mais deturpa o bom funcionamento dentro de uma sala de aula é de facto a indisciplina!

Para grandes males, grandes remédios, coloquemos os militares nas escolas…

Alberto Veronesi

Ler mais:

Sobre os Militares Nas Escolas

Acabar Com A Indisciplina, É Possível?

Indisciplina 

 

COMPARTILHE

7 COMENTÁRIOS

    • Caro Alfredo, em determinadas escolas, acredito que a presença de militares poderia ajudar a impor regras a quem nunca ouviu falar de tal coisa! Relativamente ao conceito de indisciplina pode ler aqui: http://www.comregras.com/acabar-com-a-indisciplina-e-possivel/.

      Relativamente à pergunta que me faz, antes de lhe responder seja o que for, tenho de lhe dizer que ao achar que a disciplina/indisciplina depende dos “bons” professores, está, tal como os teóricos, a afastar-se da realidade.
      Já estive em TEIP, uma delas considerada por muitos a pior de Lisboa e arredores, e em colégios de “topo” e garanto-lhe que a indisciplina não depende apenas do “bom professor”, quem o diz, fá-lo sem o mínimo de conhecimento de causa…e talvez desculpando um pouco esta péssima mania de atribuir à escola toda e qualquer tarefa educativa, substituindo muitos pais que se demitem das suas funções! Quanto a mim, pessoalmente, raros foram os casos de indisciplina que tive nas “minhas salas”!

      Temo que este tipo de pensamento, que centra a indisciplina no papel de professor, seja uma porta para justificar ainda mais indisciplina.

      Cumprimentos
      AGVeronesi

  1. E, já agora, consegue concretizar este conceito de “autoridade aos professores”? Como se coloca em prática? Está a ser irónico quando se refere a colocar militaras na escola? Para fazer (concretamente) o quê? E eles teriam autoridade sobre os professores? E sobre a palavra “indisciplina” … consegue concretizar o conceito? E será a escola (só) um local de aprendizagem? Não deveria ser mais do que isso? Gostava que escutássemos mais os docentes cujo sucesso é visível, cujas turmas funcionam…existem muitos, que costumam até dizer que trabalham “com amor”, e que se vão destacando de outros. Existem muitos docentes que não trabalham apenas com os alunos que, muitas vezes por questões familiares, entendem como a escola funciona. Esses docentes, devem ser escutados. Porque nem todos são assim. Temo que o seu Post “dê força” aos que não se encontraram ainda na sua função de docente. E que não querem melhorar. À espera dos militares. Usando a palavra “indisciplina” indiscriminadamente. Confundindo conceitos. Numa democracia, a escola tem uma razão de ser. A nossa democracia não é assim tão nova. Temos todos que melhorar. Precisamos da ajuda dos melhores professores.

  2. O problema está na disciplina a mais do professor e não tanto na indisciplina do aluno. Ninguém pode ensinar aquilo que já não teve em criança!

  3. Propor os militares para resolverem a indisciplina na escola, é o mesmo que propor uma ditadura militar para lidar com a “indisciplina” na sociedade em geral. Os/as alunos/as respeitam as/os professores na proporção que as/os diretores respeitam as/os professoras/es. Há que retomar a escola democrática para todos/as, sem a figura de uma ou um diretor/a que, em muitos casos, senão a maioria, abusa do seu poder.

  4. Alberto, muito grato pela sua resposta.

    Dois comentários:
    1) Uma das características do “bom professor” pode ser exatamente a forma como previne a indisciplina;

    2) “Quanto a mim, pessoalmente, raros foram os casos de indisciplina que tive nas “minhas salas”!” . Áh pois! É bom professor, de certeza. Não digo que um bom professor não possa ter problemas, claro que não . Claro que pode ter. Mas terá menos.

    PS: Lembremos sempre que uma criança não tem culpa dos pais que tem! Lembremos sempre que a Escola tem que ter lugar para os mais “difíceis”. Falamos de democracia. Falamos de impostos. De elevador social e de escola para todos. Se não concordarmos, podemos sempre abrir um colégio…agora vou ler a sua definição de indisciplina.

    Obrigado.

    • Caríssimo, concordo que um “bom professor” possa ter influência na relação que cria ou não com os alunos e por sua vez ter mais ou menos casos de indisciplina, não posso é concordar que se diga que a indisciplina depende sobretudo disso! Não concordo! Também sei que os alunos não têm culpa dos pais que têm ou nem têm e a escola tem de estar preparada para isso, com recursos, no caso específico redução de turmas (10/12) alunos por sala com dois professores…se é para fazer bem que se invista nisso, agora assobiar para o lado parece-me hipócrita e é isso que tem vindo a acontecer por parte de quem “manda”. No entanto acho mesmo que em algumas escolas seria necessário a entrada do regime militar para impor, sim impor regras, estamos a falar de alunos que não respeitam o adulto, a autoridade, ninguém…pelo que não me parece mal…depois da imposição das regras então aí sim, trabalharíamos…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here