Início Editorial Infiltrei-me no mundo do “Inimigo”… – A Cábula!

Infiltrei-me no mundo do “Inimigo”… – A Cábula!

2082
2

Costuma-se dizer que copiar é uma arte e que não é qualquer um que o consegue fazer com a frieza e naturalidade necessária. Outros afirmam que fazer cábulas é uma excelente forma de estudar, que enquanto escrevem estão a memorizar conteúdos, ideias, blá blá blá… Tretas!!! Essas frases bonitas enquadram-se na secção do “apaziguamento de espírito”, que valida o que não é válido, legitima o que não é legítimo.

Não sou cá santinho nenhum, também eu já caminhei pelos vales dos cabuladores, a minha estratégia baseava-se em inserir no telemóvel conteúdos que achava que não iriam sair. O dito, parecia que estava morto, mas ao toque de uma tecla “tcharam” lá apareciam as letrinhas todas… E safou-me algumas vezes, poucas, mas safou-me. Fiz bem? Não, fiz mal, mas agora não há nada a fazer…

A quantidade de alunos que fazem cábulas não é residual, seria interessante fazer um estudo sobre o assunto até para conhecer a dimensão da fraude que existe na sala de aula.

Sobre os professores, bem, as posturas são reveladoras da forma como encaram a profissão (conclusão meramente pessoal). Existem aqueles que estão-se a borrifar se os alunos copiam ou não, permanecendo sentadinhos nas suas cadeirinhas, fazendo cafunés nas suas canetas, ou paginando um livro qualquer. Outros, sabem que o problema existe e vão vigiando, tomando uma postura mais pedagógica, avisando os meninos para estarem calados ou para não olharem para o colega do lado. E depois existem os obcecados com o copianço. Talvez reflexos de traumas passados, por terem sido ultrapassados por colegas que tiraram grandes notas quando o conhecimento adquirido estava ao nível da Sra. que servia as sandes do bar. Quantos e quantos eu vi de mãos escritas ou com cópias nos bolsos dos resumos dos “marrões”, em reduções quase à escala molecular… Enfim…

Este é um problema sério e não é por acaso que nos exames colocam não um, mas sim dois professores a vigiar. Como se não bastasse, as ordens são para irmos rodando pela sala, de forma alternada ou em simultâneo. Aliás, os professores também têm as suas estratégias de “contra-espionagem”: há quem se sente no fundo da sala; há quem disponha estrategicamente os alunos; há quem faça testes diferentes; e há quem chegue ao ponto de colocar óculos escuros para que o “inimigo” não descubra a direção do seu olhar.

Para os menos experientes, aquele aluno que normalmente olha muito para o professor é o que está em vias, ou em plena prática, do copy paste manual…

Para saber o que está in no mundo das cábulas, perguntei aos meus queridos alunos (não é ironia, gosto mesmo deles) as suas artimanhas. E como nós até temos uma relação aberta, mas hierarquicamente bem definida, ainda deu para dar umas belas gargalhadas.

Comecemos por aquelas que eu já conhecia:

  • Escrever na mão;
  • Escrever no pulso/antebraço;
  • Escrever na mesa uns dias antes;
  • Escrever na folha de rascunho ou folha de teste;
  • Escrever no rótulo da garrafa de água;
  • Utilizar papeis pequeninos;
  • Colar a cábula na capa das calculadoras;
  • Colar a cábula no interior do casaco;
  • Colar a cábula no forro interior da saia;
  • Escrever na borracha;
  • Colocar a cábula no interior da caneta;

Passemos agora às que para mim foram uma novidade:

  • Colar a cábula na sola do sapato;
  • Guardar a cábula entre o sapato e a meia;
  • Guardar a cábula por dentro da meia;
  • Guardar a cábula nos cordões dos sapatos;
  • Guardar a cábula dentro da pulseira (daquelas que fecham) do relógio;
  • Colar a cábula na parte de trás dos colares;
  • Utilizar auriculares ligados a um telemóvel/mp4, colados com fita cola por trás das orelhas, omitindo os ditos graças ao cabelo solto;
  • Coser a cábula no cachecol como se fosse uma etiqueta;
  • Colar/guardar a cábula nas golas altas;
  • Guardar a cábula na alça do soutien;
  • Utilizar os lenços de papel como cábula.

Mas as que me surpreenderam mais foram estas:

  • Guardar a cábula na parte de baixo das unhas;
  • Guardar a cábula dentro das calças, alcançando-as através dos seus buracos (as calças rotas afinal têm um propósito…)
  • Cortar uma borracha ao meio e depois colocar a cábula lá dentro, tipo sandes.

Mas o mundo das cábulas é muito grande e tem um mercado internacional. Numa breve pesquisa pela Internet encontrei mais esquemas para enganar os professores e que podem ver nos links em baixo.

As 15 Melhores Formas de Fazer Cábulas Para os Testes

As Cábulas Fáceis

Mas os cabuladores vão mais longe, fazem mesmo vídeos tutoriais para ajudar os colegas da irmandade dos auxiliares de memória. Fica um exemplo…

 

E para os meninos ricos, existe um sistema ao estilo Bond, James Bond… Só custa a módica quantia de 299 € ou 499 € (versão profissional). Isto já é outro nível…

 

E as cábulas do futuro já chegaram ao Reino Unido, notícia de 5 de março.

Reino Unido: Alunos usam smartwatches para copiar nos exames

Segundo o IBTimes, vários professores de escolas no Reino Unido estão de ‘guerra aberta’ com os smartwatches. Tudo porque a Amazon e o eBay vendem alguns modelos, anunciando abertamente que estes já trazem algumas funcionalidades específicas que permitem aos alunos copiar nos exames… facilitando-lhes a vida na altura das avaliações.

Smartwatches para copiar nos exames

 

Por fim deixo-vos algumas fotos entre as dezenas que se encontram no google.

cábula 2 cábula 5 cábula 6 cábula 7 cábula 1 cábula 3

 

 

Sim é verdade, este artigo pode dotar os mais puritanos de técnicas desconhecidas, migrando alguns para o dark side of the force. Mas a maioria dos alunos deve saber estas e outras estratégias, nós é que se calhar não sabemos. Espero que esta espreitadela ao mundo do “inimigo” vos ajude na vossa fiscalização. Boa sorte, vão precisar 😉

P.S- A quantidade de vídeos que vi de jovens numa tentativa humorística sobre este e outros assuntos, deixou-me literalmente de boca aberta… Se quiserem ver dois exemplos carreguem aqui e ali.

 

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. Ah ah ah… excelente post, Alexandre! Nem me tinha ocorrido que existissem tutoriais para exercitar estas competências!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here