Início Escola Hoje morreu uma criança… (atualizado)

Hoje morreu uma criança… (atualizado)

96
0

Hoje não faço comentários, apenas o meu lamento profundo… Deixo um texto de Joana Amaral Dias, a pensar naqueles que mais sofrem neste momento, os pais.

ETERNO

vazio-interiorA dor de perder um filho não tem igual. Nenhuma outra perda pode ser comparada. O sofrimento é de tal magnitude que nem existe uma palavra para o dizer. Alguém que perde um ou ambos os pais é órfão. Sem o cônjuge é viúvo/a. Quem perde um filho perde-se. Não tem direito a nome. Entra num universo paralelo, na dimensão das coisas inomináveis que existem mas não têm denominação, no mundo dos fantasmas que assombram e perseguem, preenchendo casas que ficam eternamente vazias. E em silêncio. Nesse tenebroso silêncio de uma dor que não se pode chamar. E que, desse modo, sobre a qual não se pode falar, partilhar, dividir, aliviar, confortar. Ou, no limite, sequer pensar. Todo o luto, por um amigo, por um avô, por uma mãe, é doloroso e, por vezes, longo. Mas o luto por um filho, o velar mais antinatura que existe, a rutura com o regular ciclo vital do ser humano, é como caminhar sobre água – impossível. Pode continuar-se o dia a dia, até existirem outros filhos, natais, aniversários e fins de ano, manhãs e pores do sol, mas nunca se chega a uma cicatriz. Perder um filho é, para o resto da vida, uma chaga em carne viva. Uma sangria. Ao contrário do que se diz, há insubstituíveis. E dores lancinantes que nunca passam. A saudade é uma menina.

Joana Amaral Dias (2015). “Eterno”.www.cmjornal.xl.pt/, 23 de junho
Imagem de: milaneduarte.blogspot.com

 

Aluna de 12 anos morre após incidente em escola do Monte Abraão

Já se sabe a causa da morte da aluna da escola de Sintra

Autópsia ao corpo permitiu perceber que a criança sofreu uma paragem cardíaca que evoluiu para morte cerebral e que “não havia qualquer sinal de trauma, nem foi esta a causa de morte”

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here