Home Notícias Feios, Porcos e Maus

Feios, Porcos e Maus

216
0

painel2O título em português que foi atribuído ao filme do realizador italiano Ettore Scola, em 1976, parece-me imutável face à realidade com que nos deparamos todos os dias, principalmente nas grandes cidades deste nosso retângulo. Refiro-me concretamente aos transportes públicos e especificamente aos taxistas. Como sempre não coloco todos esses profissionais, pois não devo e seria tremendamente injusto, no mesmo saco, mas que na sua grande maioria o título deste texto os retrata fielmente, creio não haver a menor dúvida. Ao longo da nossa vida já fizemos corridas com taxistas mal-humorados, mal-educados, com cheiro nauseabundo a transpiração ou álcool(até há bem pouco tempo), que fumam dentro do veículo, que não têm nem cuidam da higiene da própria viatura, o taxímetro em alguns casos corre mais do que devia, o negócio que envolve a formação e licenças para exercer a profissão são tudo menos transparentes… Chamam isto de democracia! A corporação, CGTP, tem militantes deste género nas suas fileiras, é-lhes fácil encontrar arruaceiros, nem que seja a troco de uma bifana e uma mini. São os táxis serviço público? O dinheiro dos nossos impostos deveria ser aplicado num verdadeiro serviço nacional de transportes públicos. Faço milhares de quilómetros todos os anos em viatura própria, sem qualquer tipo de subsídio e vejo continuamente o erário público a ser esbanjado no sustento de autênticos parasitas e suas corporações. Preocupante meus caros a ausência de educação de quem legisla e de quem é legislado.

Bem, a Sra. advogada do ME teve que dar à sola. Creio que reflete a tranquilidade e otimismo do nosso primeiro, embora tenhamos algum problema com as definições. Toda esta tranquilidade que os nossos ex e atuais governantes nos dão a conhecer só demonstra o quão distantes estão de Portugal, mesmo vivendo cá. O imenso problema que na sua maioria é reconhecível cada vez por mais portugueses prende-se com o facto desses senhores conhecerem somente o seu escritório ou ministério. Fechar escolas, hospitais, tribunais e uma inexistência atroz de uma rede de transportes públicos em três quartos do nosso país vai, na minha humilde opinião, criar mais confusão. A pobreza, a falta de meios, e o eterno desviar de dinheiros públicos para alimentar fundações, associações, sindicatos, partidos políticos e um sem número de outros “ões” traz o pior do ser humano para o exterior. A Sra. advogada teve sorte, fugiu a tempo. O exercício faz sempre bem, pelo menos é o que o meu médico me diz.

Ainda, espero e desejo não ter de  um dia dizer sempre, a indisciplina. Os filhos são reflexo dos pais. Primeiro os filhos trocam “mimos” depois os pais decidem fazer o mesmo. Este texto de Alexandre Silva conta-nos mais uma cena desta novela sem fim à vista que as nossas escolas vão transmitindo. Leiam.

Por último a Escola Soares dos Reis. Gostava de saber porque tenho a sensação, quando li a notícia, de que esta manifestação nada tem de inocente. Quando vejo alunos a manifestarem-se, lembrem-se do caso dos “amarelos”, fico sempre com a pulga atrás da orelha. Acredito que os alunos que a imagem mostra têm a lição bem estudada e que algo mais, muito mais sombrio não é dado a conhecer.  É do conhecimento público o problema com a atribuição de verbas para o ensino artístico, mas isto nada tem que ver com esse problema.  Talvez mais adiante saibamos.

Taxistas saem satisfeitos de primeira reunião com Medina

(Agência Lusa)

Manifestantes em fúria contra Secretária de Estado da Educação

(Agência Lusa)

Auxiliar agredida por mãe em fúria

(Alexandre Silva)

Alunos manifestam-se no Porto contra horários da escola Soares dos Reis

(Daniela Paulo e Margarida Gomes)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here