Home Escola Exames | Aos seus lugares… pronto…

Exames | Aos seus lugares… pronto…

151
0

…partida.

Começam hoje os exames para milhares de alunos. Uma época sempre complicada e de enorme responsabilidade, quer para alunos, quer para professores. As picuisses, como lhe chamo, de toda a máquina examinal, são mais que muitas. E apesar de todo o cuidado por parte do IAVE e por parte das escolas, existindo inclusive uma reunião geral obrigatória para a preparação dos docentes, acontecem sempre falhas em virtude do descuido rigor de tantos procedimentos. A questão da fraude está na “arte” de cabular e aí os procedimentos não contam e o professor é a única segurança possível. Por isso questiono se é realmente necessária tanta picuisse, que chega ao pormenor do segundo em que se abre o envelope dos exames, quando estamos perante pessoas que fazem dezenas de testes todos os anos…

Boa notícia é o facto do IAVE finalmente ter acertado agulhas, pelos menos é o que dizem. O nível de exigência foi otimizado e não haverá surpresas este ano. É uma afirmação corajosa, com tantos especialistas a “bisbilhotar” e opinar sobre os ditos. A dificuldade para elaborar exames é certamente elevada e uma tarefa muitas vezes ingrata. Só espero é que tenham razão.

Exames nacionais não terão surpresas este ano, garante Iave

No ano passado, o presidente do Iave, que é o organismo responsável pela elaboração e classificação de exames, admitiu, em entrevista ao PÚBLICO, que os resultados dos exames de Física e Química A, e também de Matemática A, “espelham porventura um nível de exigência desadequado”, começando a “desviar-se daquilo que é o reconhecido como adequado”, reconheceu.

Por essa razão, o Iave procedeu a um “afinamento” dos critérios de classificação e das pontuações atribuídas aos vários itens, que se traduziu numa subida das médias em 2015. A Matemática A, os alunos internos (os que frequentam as aulas até ao fim) tiveram uma média de 12, a mais alta dos últimos anos, e Física e Química subiu para terreno positivo com um resultado de 9,9 numa escala de 0 a 20.

Quanto aos alunos, o exame conta pouco, o que conta foi a sua preparação. Se estão nervosos, é bom sinal, é sinal de responsabilidade e que estão focados. Boa sorte!

Como fazer um bom exame de português? As dicas de três professoras, uma psicóloga e um aluno de 18,8

Deixo-vos com um calendário dos ditos.

 

Calendário Exames

(carregar na imagem para aceder aos critérios e provas)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here