Home Notícias E para evitar a GREVE dos professores “basta”…

E para evitar a GREVE dos professores “basta”…

859
2

que a Tutela mude os horários dos professores, clarificando de uma vez por todas o que é letivo e não letivo. Todos sabemos que a inclusão de certas áreas na componente letiva é um objetivo sindical e naturalmente dos professores, permitirá sem dúvida uma maior acalmia do ritmo frenético docente, bem como a abertura de mais horários.

Como tem sido apanágio nos últimos anos, quem irá decidir não será o Ministro Tiago Rodrigues, mas sim, o nosso novo intitulado “Ronaldo” das finanças… Mário Centeno!

P.S – A estratégia sindical é mais do que evidente e se tivesse que apostar, colocaria o meu dinheiro no não cumprimento da promessa de GREVE do dia 21 de junho, dia de muitos exames nacionais. 

As principais associações sindicais de professores elegem a questão do horário de trabalho como tema prioritário para o qual exigem respostas do Ministério da Educação na reunião de amanhã, de modo a cancelarem a greve do dia 21, data em que se realizam três exames nacionais (Física e Química A, Geografia A e História da Cultura e das Artes).

A determinação do horário de trabalho do próximo ano letivo é o aspeto mais urgente. É preciso que as componentes letiva e não letiva fiquem claramente definidas”, disse ao CM João Dias da Silva, secretário- -geral da Federação Nacional de Educação. Já quanto às questões do descongelamento das carreiras, regime especial de aposentação e vinculação docente, a FNE admite que a urgência é menor: “Sobre as outras matérias é preciso que da reunião saia uma orientação sobre o sentido em que vamos.” Mário Nogueira, secretário- -geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), também considera a questão dos horários “a mais imediata, por ter impacto já em setembro”. Os outros temas “são de negociação mais longa”, diz, exigindo ao Governo compromissos.

Os horários ficarão definidos no despacho de organização do próximo ano letivo. Nogueira diz que urge “acabar com a confusão entre componente letiva e não letiva”, bem como “incluir os intervalos do 1º ciclo na componente letiva”. O dirigente exige que docentes com reduções de horário por antiguidade não tenham de desempenhar tarefas desgastantes integradas na componente de estabelecimento.

Mudança nos horários para travar greve dos professores

(Correio da Manhã)

2 COMMENTS

  1. Tal como eu previa, os sindicatos ficarão felizes com uma “casca de alho”.
    As coisas realmente importantes para a classe docente – descongelamento e aposentação – ficarão para melhores dias.
    Triste sina!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here