Home Notícias #EstudoEmCasa voltou, mas as audiências caíram mais de 70%

#EstudoEmCasa voltou, mas as audiências caíram mais de 70%

231
0

E ainda bem que assim é, significa que alunos e professores estão focados no ensino presencial. Nada contra o #EstudoEmCasa, mas espero que as audiências nunca mais voltem aos níveis do confinamento.

Fica a notícia.


De acordo com a Universal McCann, agência de meios do grupo Mediabrands, que analisou as audiências do regresso da “telescola” após o período das férias de verão, no dia em que o programa #EstudoEmCasa, voltou a ser emitido – 14 de setembro – a RTP Memória TDT registou uma audiência média de 10 mil telespectadores, menos 75 mil do que na estreia do formato a 20 de abril deste ano. A RTP Memória em Pay TV foi vista em média por cerca de mil pessoas, enquanto a 20 de abril a audiência média tinha sido de 40 mil telespetadores.

O regresso às aulas presenciais e ao trabalho é a explicação óbvia para esta diminuição das audiências, mas Tiago Brandão Rodrigues, quando anunciou a continuidade do programa, disse esperar que este servisse para complementar e coadjuvar o trabalho de professores e alunos e o processo educativo.

Salientando a importância do projeto criado em março, quando todo o país entrou em confinamento devido à pandemia e as escolas passaram a um regime de ensino à distância, o responsável pela pasta da Educação apresentou as inovações do programa, nomeadamente novos blocos pedagógicos temáticos, em que estão incluídos conteúdos para organização do trabalho autónomo e que serão alargados ao ensino secundário. “É um trabalho que queremos que seja perene no tempo”, disse Tiago Brandão Rodrigues na altura.

Comparando as duas primeiras semanas de emissão de cada uma das “temporadas” de #EstudoEmCasa, torna-se claro que o impacto nas audiências dos canais RTP Memória não se manteve. Houve uma quebra de menos 72% na audiência média da RTP Memória TDT e de menos 92% na RTP Memória em Pay TV.

Em abril, a estreia da telescola, medida do governo para complementar a resposta dos estabelecimentos escolares, encerrados a 12 de março para conter a pandemia de covid-19, no ensino à distância, teve um impacto enorme nas audiências da RTP Memória.

A curiosidade pelas diferentes aulas apresentadas levou a que na semana de estreia de #EstudoemCasa (semana 17), a RTP Memória TDT tenha crescido 107% em audiência média e a Pay TV em mais 301% face à semana anterior.

Contudo, em setembro, o regresso às aulas pela televisão esteve longe de verificar os mesmos resultados. De acordo com a Universal McCann, na semana 38, altura em que voltaram as emissões de #EstudoEmCasa, as audiências médias da RTP Memória registaram mesmo uma quebra face à semana anterior de menos 4% para a RTP Memória TDT e de menos 43% para a RTP Memória em Pay TV.

Comparando as duas primeiras semanas de emissão de cada uma das “temporadas” de #EstudoEmCasa (semanas 17 e 18 versus 38 e 39), torna-se claro que o impacto nas audiências dos canais RTP Memória não se manteve: menos 72% na audiência média da RTP Memória TDT e de menos 92% na RTP Memória em Pay TV.

No regresso do #EstudoEmCasa, aulas de História do 9.º ano são as mais vistas, com uma média de quatro mil espetadores.

Quanto aos mais vistos desta segunda edição do programa #EstudoEmCasa, segundo os dados da Universal McCann (apenas disponíveis para RTP Memória em Pay TV), História do 9.º Ano foi o mais visto nas semanas 38 e 39, tendo atingido uma média de 4 mil espetadores, a que correspondeu um share de 0.2%. Hora da Leitura (3 mil telespectadores de audiência média) e Inglês (2 mil telespectadores de audiência média), ambos para os 3.º e 4.º ano, completam o Top 3 dos segmentos mais vistos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here