Home Escola Em legítima defesa | “Professores fomentam a indisciplina?”

Em legítima defesa | “Professores fomentam a indisciplina?”

197
1

Assim não vamos lá… Enquanto surgirem artigos que preferem apontar o dedo, descarregando a sua frustração para com uma parte da solução, a indisciplina irá brotar, crescer e enraizar-se na escola e sociedade. Os professores não têm como sua principal função, disciplinar ou educar alunos. Se os alunos entrarem na sala de aula com o objetivo único de aprender, o processo de ensino-aprendizagem decorre sem problemas.

Sei que muitos pais leem o ComRegras, e sei que muitos pais preferem assumir a sua responsabilidade em vez de apontar o dedo aos professores. Estes têm naturalmente que aplicar estratégias preventivas e dissuasoras na sala de aula, mas engane-se quem pense que o problema termina aqui. Por isso,  permita-me a senhora que escreveu este texto que lhe diga o seguinte:

lembre-se que os professores não foram formados para lidar com selvagens ou energúmeros. Estes são lançados às feras e sobrevivem com a experiência adquirida, isto para quem já a tem…;

lembre-se que os encarregados de educação fazem parte da escola, escrever um artigo duríssimo contra os professores, ignorando por completo o papel dos pais, é não entender que a indisciplina escolar é o reflexo de inúmeras variáveis, sendo uma delas e como é óbvio, a falta de educação parental;

lembre-se também que não é da competência dos professores punir os alunos, as escolas devem ter uma estratégia, preventiva e punitiva, mas cabe aos diretores esse papel, além de apoiarem os seus professores numa tarefa tão difícil e extenuante;

e por fim, lembre-se que atacar um aliado, apenas dará mais força ao “inimigo”, dividir para reinar nunca nos levou a lado nenhum, e não me parece que o seu artigo fomente um processo de cura, mas sim o abrir de uma ferida que sangra há já demasiado tempo.

 

Eis o texto publicado no DNotícias da Madeira.


Professores fomentam a indisciplina?

Venho, na qualidade de mãe e encarregada de educação, expor publicamente a minha indignação em relação ao que se passa nas escolas e em particular na escola básica dos 2º e 3º ciclos do Campanário.

Já há algum tempo que, é do conhecimento público a existência de comportamentos arruaceiros, por parte de alguns alunos da referida escola. Contudo, não há a informação de que os professores tenham adotado medidas punitivas, no sentido de corrigir tais comportamentos, e de prevenir que outros alunos sigam estes exemplos. Ao que me parece e muito me preocupa, como mãe e encarregada de educação, muitos destes comportamentos ainda são encobertos para proteger a imagem da escola e de quem lá trabalha!

É do meu conhecimento que se realizaram algumas reuniões para discutir os castigos a aplicar, aos alunos que infringem as regras. No entanto, não se aplicam corretivos a todos, nem aos que apresentam comportamentos de maior gravidade! Adotaram-se medidas infantis em alunos juvenis, que já há muito sabem distinguir o certo do errado! Ainda se fizeram desaparecer faltas de alunos que, algumas vezes, saíram da sala de aula por ordem dos professores! Pergunto eu: como fica a autoridade e o respeito que se deve a um professor? Será que não estão a contribuir para a formação de pequenos déspotas? Vão ficar à espera de mais agressões e violência?

Já contactei com diversos professores durante o percurso escolar dos meus filhos e, num contacto mais próximo, não considero que sejam pessoas desprovidas de valores, nem de bom senso. Digam-me senhores professores, porque me parece que não posso confiar-vos os meus filhos para complementarem o que lhes transmito em casa? Por que motivo os meus filhos, quando os castigo me respondem que na escola fazem o mesmo e os professores não dizem nada? Por que é que os meus filhos me dizem que os colegas “respondem torto” aos professores e que eles não os castigam? Senhores professores, faço-vos um apelo: lembrem-se que contribuem para a formação do carácter dos adultos de amanhã e ajudem estes pais que nem sempre têm o tempo desejado, para acompanharem e apoiarem os seus filhos no seu crescimento. Não se esqueçam que são uma referência para estes jovens e que têm uma profissão muito nobre e digna se assim o pretenderem.

Leitora identificada

1 COMMENT

  1. Poderei eu, para disciplinar os filhos dos outros, proceder da mesma forma que aplico aos meus filhos?
    Acho que não…
    Defendo que uma palmada na hora certa…pode ter bons resultados.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here