Home Editorial E ninguém se demite nem é demitido!

E ninguém se demite nem é demitido!

652
3

As 159 mortes registadas ontem por covid equivaleriam a 5200 nos E.U.A., ainda governados pelo “demónio” Trump. Ontem, por lá, foram registadas menos de 4000, e anteontem, o pior dia de sempre, cerca de 4400. No Brasil significariam cerca de 3300 mortes; ontem registaram-se lá 1131 mortes e no pior dia (24 de Setembro) foram um pouco acima de 1700. Espanha teve ontem, 201 óbitos; com a população que tem, seriam mais de 700 mortes se estivesse ao nosso “nível”.

Este excerto é retirado do Quintal do Paulo Guinote e vai ao encontro do que ando a sentir. Um profundo nojo por quem nos está a liderar e um profundo nojo por ver as mesmas caras, nos mesmos lugares e ninguém, repito ninguém, ousa sequer falar em apuramento de responsabilidades pela tragédia que está a ocorrer em Portugal.

Somos o 5º país da Europa com mais casos de Covid-19 na Europa. De aluno exemplar passámos a patinho feio e tal como dizia o Primeiro-Ministro, não somos um caso de estudo, somos sim um caso de manifesta incompetência de toda uma estrutura que começa no Presidente da República e termina na eloquente Graça Freitas.

No Parlamento não se fala sequer em votos de censura, alega-se que a estabilidade governativa é essencial em período de pandemia, verdade! Mas também é verdade que as estratégias não mudaram, a apatia, a incompetência comunicacional e de ações foi patente ao longo de muitos meses. Nada mudou, continuou-se com as mesmas pessoas como se estivessem a realizar um bom trabalho. Não estão! Têm sangue nas mãos! E é preciso que alguém o diga, alguém com maior mediatismo, com maior responsabilidade, para ver se saímos desta letargia transversal que envergonha a democracia.

Muito triste o que está a acontecer, existe muito sofrimento em milhares de casas, milhares de famílias e nada muda. Tiraram folga no Natal e Ano Novo e agora fazem um confinamento faz de conta e esperam sentados por um qualquer milagre.

Incompetência pura, negligência criminosa!

Alexandre Henriques

Só quatro países europeus têm maior incidência de infecções do que Portugal, diz ECDC

3 COMMENTS

  1. Pois é deveria ser demitido quem anda no “fado” e nào respeita as orientaçõs da DGS! Diz o Povo do alto da sua sabedoria( na sua citação mais branda) : “malagueta no [email protected] do outro é refresco”.
    É fácil exigir demissões mas o difícil é fazer perante o desconhecido e o imponderável…
    Quanto às escolas os que verdadeiramente ali trabalham sabem que a escola é um elevador social sobretudo para as crianças sem um mínimo de condições no seu agregado familiar.
    É fácil elaborar receituários com a barriga cheia ou ditadar bitates para quem não geriu nem sequer uma “chafarica”

    • O direito à crítica está consagrado na liberdade de abril! O desconhecimento não era assim tão desconhecido, um exemplo paradigmático foi a inclusão do uso da máscara, vários países já o faziam, lembro-me até de publicar um artigo sobre o assunto e a DGS assobiava para o lado. Afirmo, reafirmo e continuarei a fazê-lo, houve manifesta impreparação e incapacidade, os resultados estão à vista, hospitais em rutura, pessoas a morrer em ambulâncias, números de contágios que não param de subir, etc. Quer por paninhos quentes na situação, ponha, quer defender os que foram nomeados para determinados cargos pelas suas habilitações defenda, mas ao menos que tenha por trás de si argumentos, números que o comprovem. Não é o caso, pois não?

    • Tirando a responsabilidade que deve ser incutida aos prevaricadores irresponsáveis, o seu comentário só me merece risos!
      Ai o governo não está mal?! ? ?
      Ai as escolas devem continuar abertas, colocando todos em elevadíssimo risco, com um número galopante de casos infetados, sem as mínimas condições de proteção para os seus profissionais, na maior parte envelhecidos, e nem considerados no segundo grupo de risco, porque os meninos vêm de famílias destruturadas, e cabe à escola aguentar a geringonça toda que os ditos pais criaram?! ? ? ?
      As escolas não são instituições sociais mas, para que conste, ficou sempre aberta uma escola por agrupamento, no primeiro confinamento, para que os alunos carenciados não deixassem de comer, e para que os filhos dos profissionais que estiverem na linha da frente tivessem onde ficar!!!!!! ? ? ? ?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here