Home Escola Direção Ignora Professora Ameaçada, Insultada, Perseguida E Filmada Por Aluna

Direção Ignora Professora Ameaçada, Insultada, Perseguida E Filmada Por Aluna

13574
22

Exclusivo ComRegras

O que vão ler de seguida é um exemplo extremo de bullying sobre uma professora por parte de uma aluna e que continua a decorrer com a conivência da direção. Segundo a professora, já foram feitas diversas participações disciplinares, sem que tenham sido tomadas medidas firmes e ajustadas à gravidade da situação.

Os professores sabem que não estão livres de passar por situações de violência, mas o mínimo que se espera é que a sua direção esteja ao seu lado e cumpra com a legislação em vigor. Já nem vou falar na escandalosa violação dos deveres do aluno que por si só já deveriam ter levado à aplicação de medidas concretas, falo sim na cumplicidade da direção pois ao fingir-se de “morta” está a pactuar com o sucedido e também ela a praticar um crime.

Quem deve denunciar um crime paticado numa escola?

Sabiam que os professores gozam de especial proteção da lei penal? Sabiam que a Direção é obrigada a apresentar queixa às autoridades?

A professora solicitou anonimato pois tem receio de represálias, compreendo, mas é uma pena. O que esta direção merecia era ver o seu nome escarrapachado em capas de jornais e diferentes blogues, pois infelizmente algumas só acordam quando sentem a vergonha do juízo social.

Entretanto, a professora foi aconselhada a apresentar queixa às autoridades (já o fez) e Inspeção Geral de Educação.

E com esta já são 28 agressões a docentes/não docentes no presente ano letivo.

Fica a partilha de excertos do email que recebi e de algumas das participações disciplinares para perceberem a gravidade do que se está a passar.


Tenho sido enxovalhada, agredida, perseguida, insultada e filmada por uma aluna. Na sala de aula, no pátio e nas imediações da escola sou chamada de puta, cabra, maluca, demónio. A aluna faz-me gestos obscenos com o dedo e depois filma-me com o telemóvel para registar a minha reação.  Inventa que eu chamo nomes a alunos da turma. Nestas últimas semanas quando me vê começa a gritar alto “a professora tem coronavírus”. Quando  a encontro no pátio e nas escadas do pavilhão onde dou aulas coloca-se à minha frente e dá-me encontrões com o braço propositadamente. Já me ameaçou diversas vezes que me batia e que me ia riscar o carro. Já tenho esta aluna há  três anos e esta situação começou a meio do ano letivo do ano passado. Este ano esta  situação  tem vindo a piorar. Já fiz diversas participações mas a escola não tem tomado medidas. Há pouco tempo apresentei queixa na polícia e anexei algumas participações que fiz. Neste momento não estou a conseguir dar aulas a esta turma com normalidade.

(…)

Foi avisada que tinha de tirar o carapuço. A aluna sentou-se e não obedeceu colocando ainda mais o carapuço do casaco sobre a cara. Dei início à aula e algum tempo depois quando olhei para a aluna esta fez-me um gesto obsceno com as mãos. (…) A aluna antes de sair da sala disse virada para mim em tom ameaçador “é hoje que vais apanhar, vais apanhar”.

(…)

A aluna (…)  quando eu estava a sair da sala de professores entrou no pavilhão e deu-me um encontrão com o braço. (…) Passado pouco tempo a aluna, no pátio, junto ao vidro da sala de professores, fez-me um gesto obsceno com as mãos. Quando pouco depois tornei a sair da sala de professores, para me ir embora depois de um dia de trabalho, a aluna apareceu novamente entre a porta da sala de professores e a porta de saída do pavilhão A, chamou-me “puta” em tom provocatório e de seguida apontou o telemóvel na minha direção. (…)

22 COMMENTS

  1. A professora que faça, igualmente, queixa para o MP.
    Se a aluna tem que ser CASTIGADA : quanto a mim, no corrente ano lectivo ia directamente para casa e o/a EE que assumisse -efectivamente- as suas responsabilidades e no ano lectivo seguinte, iria pedir vaga, para transferência, noutra escola; a escola tem que ter consequências pois viola, manifestamente, um conjunto de deveres instituídos no código do trabalho em funções públicas e para o não especialmente legislado, violará também e eventualmente, o instituído no código do trabalho.

    Infelizmente, e muitíssimo na educação, não temos em que confiar e acreditar e muito menos no ME e na INSPECÇÃO Geral da Educação – convertida num braço armado do governo!

    • Ao contrário do que refere J.F., se o caso foi participado à IGEC e concluindo-se, após apuramento dos factos, da existência da violação – por ação ou omissão – das obrigações profissionais por parte o(a) diretor(a), est(a) será certamente responsabilizado(a).

  2. Bom.
    Um relato real do que se passa em muitas aulas e fora delas, sem o apoio da Direção só temos um caminho. Participar diretamente ao Ministério Público e seguir a tramitação judicial normal, em muitos casos a participação direta à Direção não leva a nada e, pior, cria sentimentos de inimputabilidade aos alunos. Se uma sociedade jovem se formata nestes princípios o que será daqui a uns anos?

  3. Espere aí, o governo meteu férias? O Ministro da Educação está no estrangeiro? O Presidente da República nunca foi professor e por isso não se consegue pôr nos sapatos dos professores? Os portugueses estão a pagar impostos para deixar sair estes seres incompletos da escola e serem depósitados na sociedade via escola neste estado larvar. Se é dia santo na escola, se os euros extra que ganham justifica que se façam de mortos, então trate-se da certidão de óbito e aproveite-se para se fazer o funeral. Um sítio onde os professores são reféns dos alunos não é uma escola. Em educação, estâ a deitar-se dinheiro fora enquanto se está em dívida com os professores. A minha solidariedade à colega

  4. Muito forte tem sido a colega!! Sair de casa para ir trabalhar e dar com este cenário, não há quem aguente. Como consegue? Onde se passa esta situação, sem ninguém fazer nada?
    Muita força e não prejudique a saúde, pois ninguém merece…!

    • Verdade. Nem sei com ninguém ainda percebeu que estamos a VIVER uma terrível inversão de valores, onde o errado passou a ser o novo certo.

  5. Se fosse num campo de futebol, vinha a televisão, os comentadores, o presidente da república, o primeiro ministro, assembleia da república, constiuiam-se arguidos e eram acusados de racismo. Como é numa escola (uma casa de educação) os professores não podem dizer nada aos meninos, eles ficam traumatizados,coitadinha, tem de ir a psicólogos, enfim, tenho de admitir que só um Salazar levaria isto ao sítio, já não há volta a dar, os pais têm medo dos filhos. A professora tem medo da aluna, fazia o que está na lei que ninguém lhe podia pegar. Espero que a situação seja resolvida da melhor forma.

  6. Eu como mãe, entendo que a criação e educação vêm de casa, no entanto na escola que é onde os alunos passam grande parte do dia acho que as direções de cada escola também o deve impor na escola. A meu ver uma das formas a proteger professores, alunos ou qualquer outro profissional que se encontre no interior da escola, deveria ser utilizado como defesa e comportamento de ambas as partes o uso de câmaras, desta forma acho que iria trazer alguma paz visto que assim existiriam sempre comprovação da forma como a escola funciona . Sou a favor da monitorização de câmaras nas escolas pois, quem não deve não teme, talvez assim houvesse algum respeito.

  7. Há direções e direções, eu fui agredida por um aluno de etnia cigana dentro de uma sala de aula e o aluno foi expulso depois do processo disciplinar.
    Lamento que não seja prática comum de todas as Direções, estarem ao lado dos seus professores.

  8. Alguém tem que parar esta liberdade sem regras .virar o jogo dessa falta de educação onde estão os pais desta aluna?
    Qual é o medo desta direção escolar?
    Que leis são estas que não atuam?
    Então Pais onde é que para o vosso respeito pela educação
    Aqui deixo minha indignação Portugal ??
    Que país está a ser criado com alunos tão mal educados pelos pais
    Pais são para educar professores para ensinar
    Portugal dirigentes o que andam a fazer?
    E falavam mal do Salazar?
    Aqui fica a minha indignação
    Senhora professora saia dessa escola e depois denuncie publicamente tudo sem medos de a conhecer o que se passou consigo
    Revoltante ler uma notícia desta ????

  9. EU como aluna que fui lamento imenso agora como mãe k atualmente sou aide d meu filho uma tareia é pouco .. tem de haver respeito .

  10. Vive em que mundo? O que seria suposto fazer não é o que, efectivamente, se faz!!! A não ser… a não ser… que a professora tenha alguém mais influente que a “norma” da defesa das direcções e dos meninos!
    Tem estado atento às acções e preocupações da IGE nos últimos tempos??? Esqueceu o “braço armado” enviado para algumas escolas para travar greves LEGAIS … (acórdão de setembro do tribunal da relação)
    Vão às escolas e não encontram horários abusivos e ilegais (com excepção da hora de almoço )???
    E…coitados … não sabem que as reuniões terão que decorrer nos tempos da componente não letiva de estabelecimento (se não estão lá, onde estarão… não faz mal – as leis são para uns, não para todos)???
    E que dizer de outras conclusões sobre suspeitas de favorecimentos, má gestão em colégios, …

  11. Nada que qualquer professor não conheça. As direcções apenas querem manter os lugares e desvalorizam a existência de problemas, com o apoio de colega que para usufruírem de cargos, bons horários. e boas turmas, apoiam estes comportamentos … Conheço um caso em Lisboa em que um professor foi insultado, ofendido, e ameaçado barbaramente, fez um relatório da situação, citou uma colega (uma anormal) que testemunhou a ocorrência e, esta. desvalorizou minimizou a situação, pois vai tendo sempre alguns bons cargos, os melhores horários e as boas turmas. Perante a mesma situação, alguns meses depois um membro do conselho directivo, dirigiu-se ao professor em questão e disse: “Afinal o que relataste é verdade, aconteceu exactamente o mesmo comigo…”. O aluno foi então levado a tribunal e foi internado numa instituição, quanto à anormal da professora continua na sua vidnha medíocre, quando ela é que devia ser julgada por mentir

  12. Faco uma pequena ideia da escola a que se refere uma coisa e certa tambem fui maltratada no servico e fora dele.No entanto estou ate hoje a espera da resposta da dgest ha precisamente um ano e tal e uma coisa e certa nao vou desistir…mas o que e certo e que a direcao sai sempre impune quando e a maior respinsavel em relacao ao sistema de regras nums escola mais nao digo mas, tenho muita coisa paara divulgar

  13. Não são precisos salazares nem fazem falta nenhuma.
    É necessario é que os eleitos pelo Povo, tomem medidas para punir (alunos ? ) mal educados que não querendo aprender distabilizam os alunos que vão á Escola para conher os ensinamentos transmitidos pelos (Mestres) Professores.
    Os Órgãos de Gestão das Escolas eles também Professores.
    Tenham coragem !
    Apliquem as sanções que a Lei permite para sancionar
    (alunos ?) que só destabilizam e agridem e ofendem aqueles que lhes transmitem o saber e o conhecimento.
    Apliquem as medidas adquadas que a lei lhes confere.
    Professores unidos ESCOLA MELHOR.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here