Home Concursos Desigualdade na graduação Profissional dos Docentes de Carreira e dos docentes Contratados

Desigualdade na graduação Profissional dos Docentes de Carreira e dos docentes Contratados

2969
3

Exmos. Srs.

Apelo que em futuras reuniões com o Ministério da EDUCAÇÃO, sobre os próximos Concursos de Docentes 2018/2019, sensibilizem o Sr. Ministro, para a situação dos Educadores de Infância CONTRATADOS, no que diz respeito à GRADUAÇÃO PROFISSIONAL.

Apenas num aspecto muito simples mas decisivo para muitos professores. Permitirem que os docentes Contratados, POSSAM OPTAR quando concorrem (à semelhança dos docentes de carreira), para efeitos de graduação profissional, entre a classificação profissional relativa à formação inicial ou a classificação conjunta da formação inicial e dos Curso de Complementos de Formação Cientifica Pedagógica para Educadores de Infância (cfr. nº 1 do artº 49º do DL nº 132/2012, de 27-06, na redacção em vigor).

Assim, sensibilizo a bancada parlamentar para correcção do nº 1 do artº 49º do DL nº 132/2012, de 27-06, na redacção em vigor, de modo a que, em igualdade de circunstâncias com os docentes de carreira candidatos aos concursos de pessoal docente, lhe seja possível, concorrer optando entre a classificação profissional relativa à formação inicial ou a classificação conjunta da formação inicial e do curso de complemento de formação.

PERMITAM-ME O DESABAFO :

Acabei o meu curso de Educadora de Infância com o grau de bacharel. Era assim em 1991.

Surgiram os Complementos de Formação Cientifico Pedagógico para Educadores de Infância,  que nos conferiu o grau de licenciatura.( 2004)

No entanto, quando concorremos não nos deixam concorrer com a média ponderada, justificada e reconhecida pelas Universidades que nos conferiram o grau de licenciadas.

De que me valeu esforçar e ver a minha média subir???? De que me vale ter um diploma reconhecido, com a nota final da licenciatura, se só me deixam concorrer com a nota do bacharelato?

Já me pagam como licenciada…

E a nota final ????

PORQUÊ???????

Em nada, prejudica o Estado, não ganhamos mais por isso...

Apenas podemos subir alguns lugares na lista.

É a diferença entre ser colocada no primeiro período, ou no terceiro… ou até nem ser.

Para quem se esforçou para ver subir a sua média é muito injusto.

Muito Grata

Maria Leite

“Situações específicas de graduação profissional

1 – Os docentes de carreira com formação inicial conferente do grau académico de bacharelato que, complementarmente à formação profissional inicial, tenham concluído um dos cursos identificados nos despachos referidos nos n.os 2 e 3 do artigo 55.º do ECD até à entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 15/2007, de 19 de janeiro, podem optar, para efeitos de graduação profissional, entre a classificação profissional relativa à formação inicial ou a classificação conjunta da formação inicial e daquele curso.”

3 COMMENTS

  1. …não espere muito do ministro barbas que actua de uma maneira muito pouco profissional (os políticos há muito que deveriam ser profissionalizados!)

  2. Eu tenho um dos cursos mas como foi tirado (iniciado) no mes do referido decreto e reconhecido em diário da república, sou pago como bacharel e nao como licenciado. Trabalho igual, salário igual? Se fosse de alguma…

  3. Tenho uma licenciatura, fiz uma pós-graduação e depois um mestrado. Continuo a receber como bacharel, o meu primeiro curso. Tenho 29 anos de serviço, completos. Justiça? Devia ter ficado em casa.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here