Home Escola David Justino, DEMITA-SE!

David Justino, DEMITA-SE!

96
2

demitirInqualificável, vergonhoso, tendencioso, ressabiado, antipedagógico, vingativo, mesquinho, são algumas das palavras que me vieram à cabeça quando ouvi David Justino, Presidente do Conselho Nacional de Educação, ao anunciar o impacto financeiro de 750 milhões de euros, em virtude da planeada redução de alunos por turma.

Mais concretamente…

Os resultados são incertos, mas a despesa é certa, essa já ninguém a tira…

Não é suposto este senhor defender a educação? Mas afinal ele está de que lado? Desde quando é que investir na educação é mau?

Um Presidente de um Conselho Nacional de Educação, devia apelar para uma melhoria da educação em Portugal, e não devia ter dúvidas que a redução do número de alunos por turma é benéfica. Este senhor está numa cruzada, ignora toda a comunidade educativa e só quer saber do seu umbigo, está obcecado por Tiago Brandão e por este Governo.

Tudo começou com os exames, e eu ouvi bem as omissões que este senhor fez no programa “olhos nos olhos” da TVI. Confesso que até tinha algum respeito por este antigo Ministro, mas ao saber que se vulgarizou, politizando o seu cargo, perdeu todo o meu respeito e consideração.

Se tivesse o mínimo de pudor pedia a demissão. Mas para isso é preciso ser Homem de “H” grande e ter vergonha na cara…

E já agora, o Sr. David Justino sabe qual o gasto médio dos membros da OCDE com a educação? E sabe quanto é que nós gastamos?

Eu dou-lhe uma ajudinha…

sabemos que entre 1995 e 2010, Portugal aumentou a percentagem de PIB investida em educação (de 4.9% para 5.8%), mas continuou abaixo da média da OCDE (que aumentou de 5.4% para 6.3%). Depois disso, no entanto, a tendência mudou. Enquanto que no conjunto dos países da OCDE o investimento médio continuou a rondar os 6.3%, em Portugal os valores baixaram para níveis equivalentes a 1995: 4.6% em 2011 (o equivalente ao investimento em 1992) e 4.0% em 2012 (um investimento ligeiramente superior ao de 1990 – dados da PORDATA). Em 2012, na União Europeia o investimento médio foi de 5.5.% do PIB e Portugal tornou-se o país da Europa que menos investiu em educação.

Citação retirada daqui

E como sabemos os cortes têm vindo a aumentar desde 2012, por isso imagine-se como estará agora…

Mas para os bancos temos sempre dinheiro…

Fica a notícia

Redução de alunos por turma pode custar 750 milhões/ano, revela CNE

2 COMMENTS

  1. É justo que diminua o número de alunos por turma. Compreendo a necessidade da austeridade mas mesmo em termos de Ministério da Educação conheço algumas poupanças possíveis, que poderiam anular parte desta despesa. Há países mais ricos que Portugal que não têm este tipo despesas. Espero que adivinhem do que estou a falar, pois não quero irritar alguns grupos poderosos dentro do ME que conheço bem.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here