Home Rubricas Cristina Ferreira e os TPC do filho “não faças, eu depois digo...

Cristina Ferreira e os TPC do filho “não faças, eu depois digo à professora que não tiveste tempo’. Quero lá saber”

1475
35

No passado sábado, Cristina Ferreira, numa conversa informal a uma revista dum conhecido jornal, proferiu afirmações que, a meu ver, são extremamente graves. Dizia ela que tem uma vida muito ocupada e que nem sempre pode acompanhar o filho, uma criança que frequenta o 3º ano.

De seguida justificava-se com a quantidade de trabalho que tem. Primeiro erro grave: o filho é dela e não há trabalho algum que permita que deixe de ser. O tempo que os pais passam com os filhos é muito importante e nunca deve ser relegado para segundo plano. Deve ser de qualidade e bem aproveitado.
Inquirida pelo percurso escolar do menino, disse que ele, na maior parte das vezes não faz os trabalhos de casa. Segundo erro e ainda mais grave. Quer isto dizer que não se preocupa com a educação do filho. Não o ama? Não quer que ele seja uma pessoa bem resolvida? Onde está a disciplina? Onde estão as regras que deve impor?
Aqui, e parece-me adequado, ainda faço outro comentário. Que respeito está a Cristina a demonstrar pelos professores? Nenhum! Só a profissão dela é que deve ser respeitada? Que mau princípio. Acrescentava que justificava a ausência dos trabalhos com desculpas esfarrapadas. Que bonito. Estou a tentar ser irónica porque é de tão mau gosto que se deve tentar mostrar o riso amarelo.
Portanto, está a permitir que o seu filho seja um mentiroso, um preguiçoso e um convencido. Mentiroso porque vai atrás daquilo que a mãe lhe diz. Não fez os trabalhos de casa porque… e qualquer coisa serve, fazendo os professores passarem por parvos. Preguiçoso porque não precisa de trabalhar para conseguir resultados. Diz muito de quem o educa. Convencido porque sabe que a mãe o apoia e desculpa. Ficamos a conhecer cada vez melhor esta mãe.
Isto não é educar! Isto é estragar e criar meninos mimados, cheios de manias, de ideias erradas e de falsas necessidades. Como é que ela consegue dizer estas barbaridades e ainda seguir em frente? São vergonhosas e de muito mau tom. Mas sente-se confortável em as dizer.
Minha senhora o mundo real não é um programa de televisão onde se ri, em tom bem sonoro e estridente e se passeia pelo estúdio, a exibir-se, como se fosse uma passadeira vermelha. Que valores está a ensinar ao seu filho? Nenhuns, como já se percebeu.
Está tudo invertido e são estas pessoas que servem de exemplo para quem as vê. Ser popular é uma coisa mas ser popularucha é outra. Em vez de propagar as ideias certas e correctas para serem copiadas e seguidas, está a dar maus exemplos que só servem para continuar os disparates.
Penso que, como mãe, quer o melhor para o seu filho, quer que ele esteja preparado para enfrentar os desafios que possam surgir na sua vida. Não é com paninhos quentes e a deixar que se passe de uma etapa para a outra sem trabalho, que vai conseguir.
Está a desrespeitar a professora, o seu trabalho e o sistema de ensino do país. Os trabalhos de casa têm como função verificar se o aluno aprendeu a matéria, não são para o martirizar nem maltratar. Ninguém é perfeito, temos consciência disso mas tentamos dar o nosso melhor, não o pior.
Realmente é muito difícil ensinar neste país. Este é somente um caso, mediático, como se sabe mas é um entre tantos. Como se pode corrigir? Chamar à atenção? Talvez fique ofendida mas ser mal educada com os professores não lhe faz diferença. Não é ela que sente, com toda a certeza!
Margarida Vale.

CRISTINA FERREIRA
FOI PROFESSORA, MAS NÃO OBRIGA O FILHO A FAZER OS TRABALHOS DE CASA

(VIP)
Cristina Ferreira admite que o filho nem sempre leva os trabalhos de casa feitos para a escola. Um assunto polémico que foi relatado pela própria no programa “Você na TV!”, da TVI.

“Ele sai da escola às 17h30, chega a casa lá para as 18h. Às vezes não lhe apetece fazer os trabalhos e eu também não o obrigo. Digo sempre ‘não faças, eu depois digo à professora que não tiveste tempo’. Quero lá saber”, afirmou, revelando algumas dificuldades em ajudar Tiago nos trabalhos de matemática.

De recordar que a apresentadora é licenciada em história e já foi professora do ensino secundário antes de começar a sua carreira televisiva.

35 COMMENTS

    • Inveja???? Um dia destes sai um decreto “obrigando” toda a gente a gostar desta tipa. A falta de valores desta parola chega ao ponto de contar no programa como o filho enganou o Goucha comprando um jogo usando o credito dele. Foi vê-la rir da “partida” que o filho pregou ao colega. Assim como ela se “encostou” bem ao Goucha a criancinha já está bem ensinado. Faço votos que os seus “bons” exemplos não transformem o menino num marginal.

  1. Inacreditável! Pensariamos que uma mãe já com alguma cultura teria uma outra visão do que é ser mãe, do que é educar,do que é o cumprimento do dever,do que é não mentir.Puro engano.Todas estas bizarras formas de educar seguem direitinhas para a escola,levadas pela criancinha!O resultado final,será sempre culpa do professor.Como agir,hoje?

  2. Sou professora e concordo com a Cristina…eles passam demasiado tempo na escola. Obviamente que chegando as 18h30 a casa não têm tempo para mais nada…pensando que nessa idade devem ir para a cama às 21h da noite! Assim farei com os meus filhos…

    • Se concorda vai falar com a professora e apresenta o seu ponto de vista, não ensina o seu filho a mentir e a desrespeitar um professor e pessoa mais velha. Ensinar quais são os nossos direitos está certo, e temos o direito de discordar. Ensinar a mentir e a procrastinar é que não.

    • Eu também sou professora e tenho três filhos adultos! Também não sou a favor dos tpc! E também penso que passam demasiado tempo na escola!
      No entanto, penso que a luta principal da humanidade deve ser para ganhar tempo para passar com os filhos e não o contrário!
      Ensinar os filhos a mentir nunca será solução, mas sim um mau princípio que lhe irá, a ela, mãe, custar caro! Veremos… Ou verá ela…

      • O problema não está nos trabalhos de casa. Com esses, podemos concordar, ou não. Se forem com conta peso e medida não vem mal nenhum ao mundo. Se forem de um dia para o outro,7 páginas de matemática, como faz a professora do 5° ano, do agrupamento de escolas de Nelas, isso devia ser considerado crime. O maior problema do Texto da Cristina Ferreira é ela ensinar o filho a mentir. Assunto para o pai resolver…se fosse meu filho pedia a guarda imediatamente.

  3. Também sou professor e penso que os trabalhos de casa deveriam ser facultativos.
    Atualmente as crianças quase não têm tempo para brincar, uma atividade fundamental para o desenvolvimento destas.

    Só não estou de acordo que a apresentadora incentive o filho a mentir.

  4. Não sei porquê tanta preocupação com este assunto, sendo que há países onde não existe trabalhos de casa, porque as crianças tem de ter tempo para apreciar outras coisas que o mundo lhe dá, não é por ficar na escola durante 7/8 horas e ainda vir com TPC que o aluno vai ser mais inteligente no futuro. Os pais têm o dever de dar as crianças tempo para poder brincar, mesmo que na cidade seja complicado, eu vivo numa pequena aldeia, onde nem todos são doutores mas se calhar sao mais desenrrascados do que alguém que vive na cidade, pelo menos aqui não pensam que os frangos nascem nos impermercados.
    Eu tenho uma rotina onde as 7h e pouco vou apanhar o autocarro e chego a escola às 9h a escola, a qual onde as horas em que eu abalo de lá são as 18:30 e chego a casa às 19:30h e agora digam lá , qual é o tempo que o resto das crianças tem para poderem usufruir do pouco tempo que tem em família,ou isso agora simplesmente já não interessa, seremos como burros com palas que duranteais ou menos 16 ou mais anos seguidos (sem contar com a universidade) apenas podemos ver a escola e professores, é a família aquela que me cria e sustenta fica onde, se calhar em vez de só verem o mal das coisas que são ditas, deviam pensar um pouco mais além. Digo eu uma rapariga que anda a escola é só vejo pessoas a queixarem-se por coisas banais, será só ela a ser assim?!

    • Andas na escola…. Mas ainda não aprendeste a escrever. Mas o que esperar de alguém que acha normal uma criança ser ensinada a mentir…? Há décadas que os trabalhos de casa são mal distribuídos, comigo às vezes eram tardes inteiras, até à hora de ir dormir, e nunca a minha mãe me fez pensar que não os fazer era uma alternativa viável. Em vez disso acompanhava-me e aproveitava o tempo para estar comigo enquanto eu aprendia qualquer coisita. Sempre tivemos tempo para tudo, e a minha mãe sempre esteve a par do que eu sabia e não sabia, porque em vez de dizer “deixa estar filha, eu arranjo uma desculpa”, incentivava-me a cumprir o meu dever, acompanhando-me sempre. E olha que mais tarde é que vim a saber que ela própria era contra a carga excessiva de trabalhos que eu tinha. Mas claro que há mães, e Mães. Também tive colegas como o filho da Cristina… e felizmente posso dizer que deu mais frutos fazer os trabalhos de casa, do que não os fazer e ainda mentir.

    • Ó rapariga que andas na escola, o que acabaste de fazer/escrever não é uma queixa??? Tens razão, não é! São muitas… Só queixas! ?

  5. Que artigo tão pequenino e mesquinho.
    Mas afinal são os trabalhos de casa que dão educação?!
    Muitas vezes os alunos têm 8h de aulas diárias e ainda levam trabalhos de casa de várias disciplinas…isso não é estar a sub carregar uma criança? E o tempo para brincarem que é tão importante para desenvolver outra áreas cerebrais?
    Não concordo com trabalhos de casa e tive muitos professores que também tinham a mesma opinião…
    É o método da Cristina e ninguém tem de concordar, só de respeitar. Acho realmente absurdo tirarem delações sobre a qualidade da Cristina enquanto mãe só porque não obriga o filho a fazer os trabalhos de casa.
    Mas neste país basta ser uma figura bem sucedida para tudo o que faz e diz ser motivo de criticas destrutivas.

    • Não concordar com os trabalhos de casa e incentivar o filho a não cumprir os seus deveres são coisas bastante distintas. A mãe até pode não concordar, mas não é a tirar importância à tarefa, nem a ensinar o filho a mentir, que vai resolver o assunto. Não será assim que o filho se tornará um adulto responsável, obviamente.

  6. Que exagero de palavras, o tempo nem sempre chega, não condenem, cada um sabe de si. Também trabalhava e não conseguia acompanhar sempre o meu filho, isso não fez de mim uma mãe irresponsável, ou com falta de educação. Sempre transmiti os melhores valores ao meu filho.
    O nosso sistema educacional não é melhor, são demasiadas horas para as crianças.

  7. Não deixa de ser verdade que as crianças que saem da escola às 17h ou até mais tarde, não tenham, e não devam mesmo ter, tempo para fazer ” trabalhos da escola”. Já estão todo o dia ausentes de casa…ainda vão levar tarefas escolares?? isso era aceitável quando saíam da escola às 13h. Afinal não se tem criticado e posto em causa a existência dessas tarefas???

    • Trabalhos de casa são ás vezes demais e contraproducentes!!!!! Mas ensinar a mentir e desrespeitar a professora e a lei escolar não deve ser feito por quem quer ter um filho comprincipios e bem formado!!!!!!! Será que o dinheiro que desde há algum tempo ganha lhe subiu á cabeça e pensa que resolverá tudo e que o filho com tanto dinheiro não precisará de mais nada na vida???????????????????????????

  8. Para im é ……DINHEIRO A MAIS!!!!! Ela convence-se que o dinheiro vai resolver tudo e que se calhar o filho nem precisa fazer nada porque vai ser rico Que engano!!!!! Porque o dinheiro não dá principios nem educação e sem eles ninguém poder ser realmenye feliz e realizado e porque o dinheiro por mais que seja pode semprte acabar um dia. As unicas coisas e valores que interessam são os que fazem parte de nós mesmos por mais dinheiro que haja!!!!!!!! Mas a Cristina deve ter sido criada se calhar com pouco dinheiro e quase sempre quando calha começarem a ter muito convencem-se que têm tudo o que importa mesmo!!!!!! Qus “saloiice” e ela que me desculpe mas nasceu mesmo e vive na chamada região saloia!!!!!!!!!!! INFLUÊNCIAS???????????????????

  9. Quando nos tentamos meter na vida pessoal de quem é figura pública e tentamos denegrir a sua imagem de uma forma que até considero desumana, isso sim chamo falta de princípio, de respeito pelo próximo!! Como posso estar a apontar o dedo a outra pessoa desta forma sem a conhecer pessoalmente baseada apenas no que ouvi dizer. Referir que uma mãe NÃO AMA o seu filho é bastante grave e demonstra que esta senhora Margarida Vale sedente de notariedade quis escrever um texto sobre uma das pessoas mais conhecidas de Portugal e pegou no que de mais reles poderia ter ido buscar que São as competências da Cristina Ferreira como mãe e postou para ter também ela alguma visibilidade. Muito pouco ético da sua parte!!

    • Meter na vida pessoal de uma figura pública??? Então se é pessoal não devia ter falado sobre um assunto privado em direto para milhares de pessoas!!!
      Mas Cristina Ferreira está imune à crítica?
      O texto da Margarida Vale foi duro, foi, mas o que foi dito por Cristina Ferreira foi demasiado mau para ser tratado de animo leve. Estamos a falar do principio e se o principio é dizer ao filho para não fazer um TPC e que depois arranja uma desculpa qualquer e que quer lá saber, então eu também digo que falhou enquanto mãe e educadora.
      Estamos a falar de uma situação pontual e não do seu desempenho enquanto mãe no geral.

      E já agora… anda muita confusão com a questão dos tpc, este artigo não é sobre os tpc, é sobre os valores que os pais passam para os filhos.

  10. Nada de novo sobre esta apresentadora!!! Nem cursos superiores nem dinheiro trazem a educação! Isso aprende-se com os pais, e nada tem a ver com riqueza! Há filhos de gente bem humilde e pobre com educação esmerada e filhos de gente rica extremamente pobres em educação e vice versa! Esta apresentadora sempre pecou por falta de educação e conhecimento!!!

  11. Tanta polémica por um assunto que já está provado que não traz benefícios quando marcados todos os dias e em excesso. Não há quem trabalhe tanto como as crianças. Estão na escola das 8h às 18h e ainda levam trabalho para casa, que por vezes demoram a fazer até às 22h, provocando na família um ambiente angustiante todos os dias. Muitas vezes esses trabalhos não são para consolidar conhecimentos, mas sim fichas inacabadas na sala de aula sem terem sido trabalhados os conceitos para as executar devidamente. Um horror!
    Os pais têm o direito de informar a escola se querem ou não que o seu educando leve TCP.

  12. Boa tarde. Penso que certas partes do texto terão sido exageradas, não sendo concordantes com o que realmente deveria ser debatido. O que está aqui em causa não é a quantidade dos TPC’s, mas sim como se ensina a criança a mentir para justificar o seu comportamento. As crianças ao observarem os seus modelos significativos (pais, professores ou outros indivíduos) a validar a mentira como pretexto para obter algo, apenas abre um precedente que pode ser negativo no seu futuro. Em todos os momentos deve ser ensinado às crianças o conceito de “sinceridade” (entre outros) e fazer um esforço para não exibir comportamentos opostos, para que a criança não se sinta confusa em relação ao “que está certo e errado”. Por outro lado, também não sabemos se realmente isto será verdade ou se é apenas para mostrar alguma irreverência durante a entrevista. Em todo o caso, quando os pais consideram os TPC’s excessivos o mais correto será conversar com os professores.

  13. Penso que estas notícias são levadas aos extremos. Ela poderá ter as suas razões, contudo eu própria acho que os Tpc’s são muitas vezes exagerados para fazer durante a semana e além disso muitos Tpc’s são para os pais estarem acordados até à meia noite a fazer porque as crianças já passam mais tempo na escola do que deveriam.
    Tudo passa por conteúdos programáticos demasiado extensos. O que queremos? Crianças capazes de serem adultos com lógica de pensamento e bons profissionais e cidadãos? ou preferimos máquinas de decorar livros? Se ela inventa desculpas problema dela e só dela como mãe, ninguém tem nada a ver com isso. Não acho desrespeitoso para os professores. Acho desrespeitoso sim, que ainda nenhum governo tenha tomado medidas no sentido de mudar e educação em Portugal que está desadequada aos tempos que correm, com os miúdos andarem carregados que nem umas mulas, demsiados TPC’s que roubam tempo à família que já é escasso, testes e mais testes que só aumentam os níveis de stress e matérias que nunca vão servir para nada.

  14. Correcção: Essa Cristina Ferreira foi professora/deu aulas no 2o ciclo, com habilitação própria, e NÃO no secundário!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here