Início Escola Comentário De Quem Conhece A Escola E O Aluno Que Agrediu O...

Comentário De Quem Conhece A Escola E O Aluno Que Agrediu O Professor Da Escola Francisco Torrinha

5624
3

O comentário que vão ler foi postado no ComRegras no artigo “A Violência Contra Professores É Tão Banal Que Pais, ME E Até Sindicatos Já Ignoram“. Nesta casa temos sempre espaço para o contraditório e o esclarecimento de quem conhece o(s) caso(s) aqui reportado(s).


Minha escola, meu aluno. Não, não é verdade que o aluno seja de uma etnia xpto, filho de emigrantes ou de refugiados. Não é verdade que os professores não tenham reagido, ou que a Associação de Pais não se tenha solidarizado. Não é verdade que a Escola não tenha feito tudo o que podia antes de termos chegado aqui. Não é verdade que a CPCJ ou os psicólogos que o acompanham não tivessem estado atentos. Não é verdade que isto tenha acontecido numa turma indisciplinada e que tenha assistido indiferente à agressão de um dos seus professores mais queridos. Então como? E como não? Quando se decreta que até aos 16 anos todos os alunos são iguais e portanto, independentemente do seu nível de deficit de atenção, de hiperactividade ou de desenvolvimento cognitivo, todos têm os mesmos 50m de aulas, os mesmos 10m de intervalo e o mesmo objectivo de distinguir entre uma metáfora de uma anáfora. Estes. E os anti-sociais? O mesmo. Ficam nas mesmas turmas até aos 16 anos. A partir daí, podem ser presos, julgados e condenados. Já não é problema do ME. E o nosso problema, enquanto professores, como se resolve? Como se justifica que um professor, neste caso um pedagogo de excelência com 40 anos de carreira, mesmo antes de dar um estalo ao paspalho que o agride pense que se o fizer a sua carreira estará acabada? Como se justifica que nenhum de nós duvide que se esse tivesse sido o caso, a manchete seria ”Professor de 63 anos agride aluno de 12 dentro da sua sala de aula. Ministério da Educação já ordenou a abertura de inquérito.”? Há escravidão maior?

Gilda Correia Pinto 


E só para acrescentar…

Aluno que bateu em professor está suspenso, mas escola diz estar de “mãos atadas”

Na quinta-feira, professores e direção da escola reuniram-se para discutir o caso. Mas a conclusão a que chegaram é que estão “de mãos atadas”, já que a escola não pode expulsar ou transferir o estudante em causa, disse Ernesto Pereira, citado pelo JN. “A direção vai ter de recorrer ao Ministério da Educação para que se encontre uma solução para este caso”, concluiu.

Nota: Lembro que o professor pode exigir que o aluno mude de turma para não ter de voltar a encontrá-lo na sua sala de aula, lembro também que a escola pode solicitar a transferência do aluno ao Ministério da Educação, após a conclusão do processo disciplinar

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

  1. Só para que saibam e possam comparar, num país a sério (AQUI MESMO AO LADO, EM ESPANHA) este aluno SERIA expulso POR UM PERÍODO DE entre 3 SEMANAS A VÁRIOS MESES!!! Mas isso é na BARBÁRIE espahola. Na CIVILIZAÇÃO portuguesa… nada. O professor será suspenso por não ter cativado o rapaz para lhe dar um abraço!

    • A “civilização portuguesa” serve os incumpridores, os ladrões, os mentirosos, os trapaceiros, os chico-espertos e os lambe-botas!

  2. Tal referi no blogue do António Duarte a propósito deste assunto:
    Alunos como este, e não são poucos, deveriam de imediato ir para casa até ao final do ano, única responsabilização séria e minimamente eficiente quer dos jovens quer dos pais.
    No ano seguinte poderia ser que regressassem com outra postura ( claro que alguns argumentarão para além do clássico direito à educação – que os próprios rejeitam até à violência – que, coitadinhos, viriam piores do que foram…para estes: ainda assim a análise custo- benefício seria altamente positiva pois os factos comprovam que permanecendo, continuam a fazer do mesmo, a prejudicam os direitos dos outros a aprender, a perturbar a estabilidade e segurança escolar e a canalizar os parcos recursos da escola que deixam de ir para quem precisa e quer!!!

    Todos temos direitos mas também temos deveres e quantas vezes o não cumprimento dos deveres impedem o exercício de direitos… Por que razões a escola não haverá de ensinar algo tão básico???

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here