Início Rubricas Comentário da Semana | Público vs Privado

Comentário da Semana | Público vs Privado

160
0

Ensino Público Ou Privado, Serei Livre Para Escolher?

“Creio que, ao Estado, cabe-lhe apenas e só garantir o direito à Educação. Para isso criou uma rede pública de ensino. Só quando esta rede não exista devem ser financiados os privados. O direito de escolha, como em muita coisa na vida, fica dependente da bolsa de cada um. O Estado não tem de financiar as escolhas pessoais de cada um dos seus cidadãos. O problema foi ter-se criado a ideia de que o ensino privado é melhor do que o público, ideia que a publicitação dos rankings de escolas perpetua. Ora o que fica esquecido é que as escolas privadas, porque o são, selecionam os seus alunos, vinculando-os, muitas vezes, a um determinado código de conduta e a um bom aproveitamento. Já a escola pública aceita toda a gente, lida com todo o tipo de alunos, de pais, funciona independentemente do tipo de condições existente…”      Sofia Leal Marreiros 

“Essa liberdade não é total, pois o cidadão mais pobre não pode ter a ousadia de se questionar onde irá colocar o filho. Resta-lhe a escola pública. Que não é pior que a privada em termos de docentes, bons e maus estão em todo o lado. Mas a privada garante um ambiente mais pacífico entre pares, menos disparidade nos comportamentos e atitudes, com certeza mais interesse pelo valor da escola. Professores no privado com tarefa mais facilitada sem dúvida. O do estado tem de harmonizar uma heterogeneidade infinita de perfis de alunos e pais.”    João Pedro Henriques

“Compete ao estado assegurar o ensino a todos os cidadãos, através de uma rede escolar pública que deve ser de qualidade e garantir os melhores métodos de ensino. As privadas poderão ter o seu espaço, para quem assim optar, sendo certo que deverão ser sempre financiadas pelo utilizador. Não confundir direitos básicos com mordomias.”      Ana Maria Sequeira 

Do Ultrajante Silêncio Do Ministro Face Às Agressões Contra Professores

“Como pai, o facto de saber que um diretor abafa constantemente casos de violência não me deixa nada tranquilo! Primeiro, porque ninguém acredita que tudo, na escola, decorre sem problemas!! segundo, porque o diretor demonstra incapacidade de lidar com essas situações. E terceiro, porque os diretores deveriam defender toda a comunidade educativa e não só o alunos! faz-me lembrar a política !! Quanto ao ministro,,,,coitado…não tem personalidade.”  Jorge Castro 

“Este senhor, que faz de ministro, vai a eventos alegres , bem dispostos, levezinhos… Faz umas viagenzinhas, cá dentro e lá fora, sem stress! Nada de chatices e, muitos menos, problemas! Afinal, a Educação está entregue aos SE e corre tão mas tão bem!!!!! Há-de ser promovido por desempenho de tanto gabarito!”    Graça Bastos 

A Avaliação Dos Professores Existe Ou É Uma Treta?

“Com todo o respeito que tenho pelo colega que escreveu este texto, não me parece que esta seja uma questão que deva ser discutida nas redes sociais. Não o digo por uma questão corporativista, nem porque considere que os professores são todos de excelência, mas pelo facto que não vejo nenhuma outra classe a expor-se desta maneira e alimentar a opinião pública num discurso que não corresponde de todo à realidade profissional.”    Cassilda Coimbra 

Estado da Educação : “Situação Potencialmente Catastrófica Num Futuro Próximo”.

“Enfim… Pais, esperem pelo futuro, que é para todos, pais, professores, funcionários, mas principalmente para os jovens… Veremos o que o futuro reserva a todos! Pais que não comparecem na escola, quando são CONVOCADOS, para se inteirarem do percurso escolar dos seus filhos ( não é a regra, felizmente), que futuro esperam para seus filhos?! 
A sociedade mudou, o tempo é cada vez mais escasso e o tempo que devia ser usado para os diálogos é gasto, tantas vezes, em redes sociais e noutros lazeres onde as crianças não têm lugar…não há tempo sequer para uma história ao fim do dia, pois fazem tanta falta e verifica-se essa falha na leitura, escrita, poder de imaginação…confundiram-se papeis, delegou-se a educação, que deve vir da família, para a escola. “Exigiu-se” ao pré-escolar o ensino da leitura e da escrita, depois chegam ao primeiro ciclo sem a consciência fonológica trabalhada, sem a motricidade ampla e fina adquirida, sem tantos outros requisitos que deveriam adquirir no seio familiar e noutros patamares de ensino. “Não é bom educador o que no pré escolar não ensina as letras com intenção!” É o que se ouve, infelizmente! 
Tudo está ao contrário e o povo permite! Esperar o quê, futuramente, de uma sociedade que caminha na direção do abismo?! 
Enfim…”      Clara Figueiredo 

 

 

Comentários retirados da página do facebook do ComRegras

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here