Home Rubricas Comentário da Semana | O que dizem os professores? 9A4M2D

Comentário da Semana | O que dizem os professores? 9A4M2D

861
3

Porque é que os professores irritam tanta gente?

Como é possível que com tal ligeireza se tenha permitido de forma injusta “insultar” os docentes dos próprios filhos.
O que temos assistido em tom de “julgamento sumário” é a triste iliteracia, nomeadamente a democrática, a que esta geração de opinion makers jornalística se expõe. Certamente os seus professores os prepararam para o valor incontornável da verdade!”  Maria Margarida Barreiros

A adesão a esta greve vem provar que se os “grandes” sindicatos nem derem corda aos sapatos e compreenderem o que está em causa, para todos, serão deixados para trás. Acho que a Fenprof, está rapidamente a ficar ultrapassada, datada e gasta… acho que uma mudança de caras / rostos, iria fazer bem a este sindicato… Acho que o Mário Nogueira tem a ficha queimada na praça pública e eles ainda não entenderam isso…renovem-se… regenerem-se…” Steven Casteleiro

Lembro… Sindicatos recusaram 7 anos de recuperação do tempo de serviço!

Mas estamos a brincar?! Nós já estamos a abdicar de muito dinheiro. Não estamos a pedir a reposição do dinheiro que perdemos ao longo dos anos e seus retroactivos! Estamos a ser muito amigos. Pagamos a nossa parte da fatura e siga para bingo! Reposicionem-nos no escalão que deveríamos estar e esquecemos o sacrifício!! É 9 anos, 4 meses e 2 dias, nunca menos!!!” Paula Cristina Pereira Machado

Ministério da Educação e Professores em Guerra Total

Curiosamente, ao longo destes 3 anos, com o entusiasmo, esperança, silêncio e aplauso de boa parte dos professores, esta equipa montou o cenário: diálogos estéreis, concursos perversos, continuação de congelamentos e, pela calada, a permissão da má imagem social desta classe, que só tem aproveitado aos governantes. Pergunto: chegados a este desnorte em que os sindicatos tentam fazer provas de vida, antes das eleições, e a equipa ministerial mostra a sua verdadeira missão, o que dizem os professores?” Graça Bastos

Alunos que não sabem saltar à corda, não sabem situar Portugal no mapa, etc…

Enquanto a Escola continuar a insistir no paradigma do século passado, o ensino vai estar desajustado da realidade do século XXI.
E desenganem-se aqueles que acham que o PAFC está a funcionar bem e que, estendendo-se no próximo ano letivo às escolas que não entraram no projeto piloto, vai mudar, com substância, o fundamental
.”
Sónia Carreira Silvestre

 

Comentários retirados da página do Faceebook do ComRegras

3 COMMENTS

  1. 1º – Eu, por norma, não ataco sindicatos, embora também ache que se podem, e devem, criticar…
    Só que nunca gostei de dar tiros nos pés.
    2º – O sonho da direita, de alguma esquerda, o sonho da maioria dos comentadores é substituir os que os mais afrontam… Bem sei , alguns, nomeadamente na direita mais ultramontana , e de muita esquerda… é ter um sindicalismo amigo, um sindicalismo cheio de fofura, de preferência com greves ao domingo…
    3º Em relação ao resto, os únicos que têm capacidade de mobilização , e de fazer mossa, são a FENPROF e a FNE… o resto é lirismo e pólvora seca…
    4º É bom que alguns reflitam, se o quiserem, porque é que foi escolhido um ministro como Tiago Brandão Rodrigues, e se colocou, como homem forte do ministério, um Secretário de Estado… Ambos, seriam, supostamente, muito ” amiguinhos” do professerado e das coisas modernas, vulgo, Flexibilidade Curricular… Porque esse mesmo Secretário de Estado é um homem da OCDE (organização económica com fins políticos… ) e faz propaganda, ”mal escavacada” , que é o meio para se criar uma ”revolução” que pretende desvalorizar os currículos; os conhecimentos, criando um operariado para a nova modernidade de empregos precários, indivíduos não politizados e que aceitem a volatilidade das relações de trabalho como ” naturais”, quando são : UMA CONSEQUÊNCIA BEM ORGANIZADA DE TIRAR DIREITO AOS TRABALHADORES (que ”eles” chamam de colaboradores) . Doutro modo continua a acumulação de capital, e do meios de produção, em meia dúzia de grandes oligarquias internacionais pós-modernas… Estas agora bem mais finas, conforme os tempos, que são todos pró-ecologia; liberdades individuais; relativismo niilista, desde que o ´´pilim” continue a cair nos mesmos mealheiros!!!
    5º Quanto aos amigos que alguns escolheram,muitos dos que dizem que os professores são carneiros, muitos deles sempre continuaram afilhados de MLR, é ler as entrevista e o que têm dito nos últimos dias … Leia-se, por exemplo, a entrevista do dirigente da CONFAP: adepto feroz da flexibilidade e do ataque os reacionários dos professores, em geral…
    6º Desligar a progressão da carreira de tudo ísto, principalmente de uma coisa que tem por nome ” FLEXIBILIDADE” é, no mínimo, ser-se ingénuo… Quando o verniz estalou um bocadinho já se viu aos que estes senhores realmente andam e o respeito que têm pelos professores! Isto, como diz o outro, anda tudo ligado!

    • Estes burocratas que deixaram de ser professores há muito tempo, deviam era ter vergonha, metem-me nojo. Preocupam-se mais em denegrir uma greve (apenas por ser convocada por outro sindicato) do que com as medidas do governo.
      Sindicatos a sério só no tempo da verdadeira CGT, anarco-sindicalista, na qual os trabalhadores se auto-organizavam e defendiam, pensando pela sua cabeça, sem delegarem a sua opinião e a sua luta noutros “profissionais da luta alheia” que só querem é tachos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here