Home Sociedade Cães a morder, praxes a doer e futebóis com pancada, tudo na...

Cães a morder, praxes a doer e futebóis com pancada, tudo na mesma?

798
0

Ciclicamente os nossos meios de comunicação social, “perdem-se” no meio de notícias que no máximo duram uma semana, que se esvanecem, e um dia mais tarde voltam à tona, como se a primeira vez, fosse. E fica tudo – sempre – sem resolução, parece que cada uma das “causas” que provoca “essas notícias” nunca havia acontecido, e tudo com imenso imediatismo e cintilante mediatismo é uma vez mais tratado até ao extremo, durante uma semana, e fica repetidamente em banho-maria, até uma próxima ocasião.

Claro que, ainda nos vamos lembrando do que recentemente foi por todos “tratado”, tal como: cães a morder em crianças, praxes em que alguém morre, finalistas ainda sem o serem e nem em Faculdades estarem, que se embebedam, alegremente, em Espanha, e, que só o fazem para se embebedarem, e pancadaria em futebóis, que desta parece que mataram alguém. E, depois tudo normaliza, ou melhor tudo esquece, e pelo meio como seria de esperar nada terá sido feito para que exactamente o mesmo, não voltasse a acontecer. E começam os incêndios. E como o tempo aquece e arrefece mais cedo, os “Fogos” mais cedo são a notícia, igual em todos os lados, em directo e a cores, ainda nem em Agosto estamos, época de incêndios, decretada oficialmente. E para, variar mas pouco, uns que vão para a beira-mar quando não devem ir, afogam-se. E tudo que é noticiário relata ao mesmo tempo, igual, igual, sem qualquer diferença, a “tragédia” do momento. E, depois tudo “esquece”, para regressar na primeira oportunidade, como grande novidade.

Não haverá um tempo em que cada um destes problemas possa ir sendo resolvido? Para sistémica e sistematicamente se não repetir? Não haverá hipótese de alguém fiscalizar os cães, que hoje já não são “coisas”  – terão sido alguma vez? – mas como ainda também não são pessoas , têm que estas melhor respeitar? E não há como assumir que os finalistas que não das Faculdades, mas tem um pretexto para serem finalistas, parece, parece que vão de excursões para beber até mais não conseguirem? Que as praxes são um ritual de forte de “não integração” e que têm causado muitos problemas, ao que parece insolúveis? Que o Futebol transporta grande agressividade, que ultrapassa o “jogo da bola”?

Não, não, vamos continuar todos a fazer de conta, até um dia algo de muito, muito grave, numa destas “áreas” vir a acontecer e aí alguém pressionado e contra-a-parede, a contragosto, assumirá que é necessário algo fazer!

Até lá são mais “umas” notícias que esquecem ao fim de uma semana, se tanto!

Augusto Küttner de Magalhães

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here