Início Escola Baixou As Calças E Batendo Nas Nádegas Ia Dizendo “É Isto Que...

Baixou As Calças E Batendo Nas Nádegas Ia Dizendo “É Isto Que Tu Queres”

3629
5

Pasmo com a “criatividade” do insulto, com os diferentes tipos de violência que me vão chegando e de diferentes zonas do país. Realço que a vítima é uma mulher, neste caso, professora, tornando o gesto de claro cariz sexual, ainda mais nojento!

Lembro também que hoje comemora-se o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher e não é assim tão descabido fazer a ponte entre a violência doméstica e a violência escolar. A docência é constituída principalmente por mulheres e apesar dos professores homens também sofrerem com a violência escolar, as vítimas são por norma mulheres.

Fica uma breve descrição do ocorrido:

O aluno tem um historial de violência , tem 14 anos e frequenta um percurso alternativo, de equivalência ao 5/6 anos. Na terça-feira (19-11-2019), abandonou a sala por vontade própria, depois de ser chamado à atenção para a necessidade de se sentar para realizar o trabalho, no início da aula, respondeu com agressividade, abriu a porta da sala e brindou-me com o gesto obsceno e insultuoso (Baixou As Calças E Batendo Nas Nádegas Ia Dizendo “É Isto Que Tu Queres”).

O facto em si já é bastante grave, mas pior é a descrença total da professora no sistema judicial, é como uma dupla agressão…

Não apresentarei queixa formal, dado que a última (que relatei e aconteceu há 4 anos) saiu-me cara e o desgaste psicológico foi enorme.

Leciono ******** em ********, Escola **********, que serve uma população estudantil de bairros sociais com inúmeros problemas. A ameaça e a agressão são frequentes. Apesar de estar legislado o apoio jurídico, o docente acaba, invariavelmente, a enfrentar o problema isolado e sozinho.

Não posso arriscar a identificação da ocorrência, estamos mesmo sozinhos, ninguém quer saber e à boca fechada vão sempre dizendo, “comigo nunca aconteceu”, dando a entender que a culpa será do docente, sei que muitos colegas preferem ignorar toda a indisciplina, deixando os piores alunos no fundo da sala, agarrados  aos seu telemóveis para conseguirem dar as aulas aos outros, sabemos que os alunos estão habituados a isso, porque eles tentam fazê – lo em todas as aulas, quando tentamos impedi-los, revoltam-se e são agressivos. Vão transitando sem nada aprender. Os professores têm medo de enfrentar estes alunos, pois sabem que acabam maltratados, sem que ninguém se preocupe. É triste, mas é a verdade!

O aluno foi suspenso.


Enviem as vossas denúncias para [email protected]

COMPARTILHE

5 COMENTÁRIOS

    • Para ensinar à professora como se faz… Proponho que substitua a professora que para além de tudo deve estar doente … Eu fiquei só de ler…

  1. Tenho uma dúvida existencial…
    Todavia, antes de a colocar, devo esclarecer alguns pontos:
    1- sou contra qualquer sistema de avaliação que mais não é que o dogma criado para alimentar invejas, vaidades e acima de tudo, poder premiar o servilismo, a subjugação e a adulação!
    2- Todos os indivíduos, nas suas profissões, têm o DEVER de ser bons PROFISSIONAIS : 10 bons profissionais fazem muito mais por qualquer entidade do que 3 “excelentes” (e…nem falo nos critérios para o serem que, no caso dos professores, tem muito pouco a ver com aulas)
    3- Quando um trabalhador não exerce a sua profissão com profissionalismo, ética e honestidade – existem os processos disciplinares e consoante as infracções provadas a Lei prevê as penas a aplicar devendo, inclusive, ser dado conhecimento ao Ministério Público infracções que poderão constituir crime.
    4- Claro que sai mais baratinho em termos financeiros, e também serve intuitos pouco nobres e intencionais de divisionismo, invejas, competição desonesta (ao invés da colaboração) e a criação de uma rede de “bufice” e de servilismo,…, o exposto em 2 do que o exposto em 3…sendo que … quem incumpre, normalmente continua a passar pelos pingos da chuva.

    Expostas algumas das minhas questões de principio e para aqueles que defendem isto… coloco, então, A MINHA DÚVIDA EXISTENCIAL:
    – Sendo as cotas dos professores excelentes, todas preenchidas… NÃO DEVERIAM SER ELES A LECCIONAR ESTE TIPO DE TURMAS E A ESTE TIPO DE ALUNOS??? OU A EXCELÊNCIA DO PROFESSOR SÓ SERVE PARA LECCIONAR TURMAS NORMAIS??? AFINAL, AS BOAS PRÁTICAS, NÃO SÃO PARA APLICAR NAS TURMAS DIFÍCEIS E EM GENTE QUE NÃO QUER SABER DA ESCOLA E NÃO RESPEITA NADA NEM NINGUÉM??? MAS QUE MERD* DE OBJECTIVOS COM ISTO E QUE MERD* DE BOA GESTÃO PEDAGÓGICA???

    Quanto a estás situações, verdadeiramente, indignas e humilhantes para um profissional que, supondo uma suspensão de 10 dias, volta a ter na aula o delinquente prontinho a repetir mais do mesmo… e, não querendo voltar à experiência dos tribunais (que muito tem que se lhe diga, apesar de eu considerar que isto é matéria de tribunais) há soluções mais “baratas” para o/a professor/a e mais caras para o estado!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here