Home Editorial “Aos nossos avós pediram-lhes para irem para a guerra, a nós pedem-nos...

“Aos nossos avós pediram-lhes para irem para a guerra, a nós pedem-nos para ficar no sofá”

516
0

Coronavírus Pode Sobreviver No Organismo Até 37 Dias

Este é um dos maiores problemas do novo coronavírus, o tempo necessário para uma efetiva cura. A Ministra da Saúde já veio alertar para a possibilidade de colapso do SNS, em Itália já se escolhe quem vive e quem morre, Espanha está em quarentena e Portugal está numa escalada descontrolada do número de infetados.

Tal como em muitos países, Portugal não tem capacidade para albergar nos seus hospitais milhares de contaminados, será por isso apenas uma questão de tempo para que os futuros pacientes sejam retidos em casa.

O jornal Expresso publicou na sua última edição os hipotéticos cenários de evolução do covid-19, é apenas uma previsão, mas vai ao encontro das palavras da Ministra da Saúde quando afirma que “entrámos numa fase de crescimento exponencial da epidemia”.

Algo surreal, inédito e impensável, termos na porta ao lado alguém contaminado e que pode morrer pela falta de apoio do SNS. Esta doença leva a insuficiências significativas a nível pulmonar, por isso é vital a utilização de ventiladores, um bem que atualmente escasseia. O Presidente da Câmara do Porto fez uma parceria com a China para trazer ventiladores para a sua cidade, uma medida acertada que deveria ser copiada a nível nacional.

Ao contrário de muitas urgências que libertam o SNS ao fim de algumas horas ou dias, o novo coronavírus não permite uma rotatividade elevada de pacientes. Ninguém está preparado para algo assim, ainda para mais num país com tantas limitações ao nível do SNS.

A melhor vacina é efetivamente ficar em casa, estamos perante uma luta contra um inimigo invisível, uma luta pelas nossas vidas.

Como li algures, “aos nossos avós pediram-lhes para irem para a guerra, a nós pedem-nos para ficar no sofá”… Tenhamos noção das coisas e estejamos à altura da situação. O que nos está a ser exigido não é assim tão difícil, ficarmos no conforto do nosso lar, com uma série de luxos tecnológicos e com aqueles que mais amamos, algo muito diferente de quem foi combater pela pátria.

Pense em si, pense no seu filho, no seu pai, no seu irmão, primo, mas pense também no seu vizinho e naquele que apesar de estar longe está neste momento ligado a sí.

Hoje perdeu-se o “eu”, já só existe o “nós”…

Alexandre Henriques

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here