Início Notícias Aluno De 15 Anos Agredido Na Escola Drª Maria Judite Serrão Andrade

Aluno De 15 Anos Agredido Na Escola Drª Maria Judite Serrão Andrade

O aluno agredido, filho do presidente da Junta de Freguesia de Sardoal, foi assistido no Hospital de Abrantes apresentando “escoriações e hematomas”. O caso segue agora para o Ministério Público.

289
0

Um aluno de 15 anos foi agredido dentro da Escola E.B. 2,3/S Drª Maria Judite Serrão Andrade, em Sardoal, por um jovem externo à mesma, que entrou na escola dizendo dirigir-se à secretaria. A GNR foi chamada ao local e o suspeito foi identificado, estando o caso a ser tratado “pelos órgãos competentes”, assegurou ao mediotejo.net a diretora do Agrupamento de Escolas de Sardoal, Ana Paula Sardinha. O aluno agredido, filho do presidente da Junta de Freguesia de Sardoal, foi assistido no Hospital de Abrantes apresentando “escoriações e hematomas”. O caso segue agora para o Ministério Público.

A direção do Agrupamento de Escolas de Sardoal abriu um “processo de inquérito” para averiguar “factos” que envolveram a agressão de um aluno na quarta-feira, no interior da escola, confirmou ao mediotejo.net a diretora Ana Paula Sardinha.

O caso de agressão na Escola E.B. 2,3/S Drª Maria Judite Serrão Andrade, em Sardoal, não mereceu da parte da Guarda Nacional Republicana, chamada ao local, classificação de “criminalidade violenta” mas sim “um desentendimento entre adolescentes”, explicou ao mediotejo.net o Capitão Flambó, do destacamento da GNR de Abrantes.

Na quarta-feira, dia 27 de novembro, pela hora de almoço, entrou na escola um jovem, segundo a GNR de 18 anos, tendo solicitado na portaria entrada no edifício no sentido de se dirigir à secretaria para recolher documentação necessária a um processo de transferência escolar. Acabou como suspeito de agredir um dos alunos daquele estabelecimento escolar, no caso o filho do presidente da Junta de Freguesia.

A desavença terá começado na rede social Twitter e acabou dentro da escola. “Fui chamado à direção, soube que o meu filho tinha sido agredido, vi alunos mais jovens e que assistiram às agressões muito tensos, crianças a tremer, olhares assustados”, referiu Miguel Alves ao nosso jornal.

Frisou que o filho “não saiu da escola quando recebeu chamadas telefónicas e mensagens para se dirigir ao jardim mesmo em frente. Não saiu da escola, quando o ameaçaram junto ao portão da mesma. Foi agredido de uma forma grotesca, à cabeçada, ao murro e com uma peça metálica que lhe atingiu as fontes”, disse Miguel Alves.

O aluno ferido foi conduzido ao Hospital de Abrantes, apresentando escoriações e hematomas. “Danos que podiam ser irreparáveis, tudo isto dentro das instalações da sua escola”, acrescentou o pai, indicando que o agressor chegou a Sardoal acompanhado de um grupo de cinco jovens vindos de um outro concelho em viatura automóvel (alguns maiores de idade).

Por seu lado, Ana Paula Sardinha garantiu que o incidente “está a ser tratado pelos órgãos competentes” e frisou que “as questões de segurança, por parte da escola, foram todas asseguradas”.

Contudo, o pai do aluno agredido, Miguel Alves, aponta o dedo “ao menor número de funcionários” na escola, que acautelem a vigilância e a segurança dos alunos.

Questionada se um outro jovem (16 anos), acompanhante do suspeito de agressão, terá saltado o gradeamento da escola, Ana Paula Sardinha diz ter apenas visto o primeiro jovem identificado pela GNR mas confirma “relatos de alunos” que referem um segundo elemento externo à escola que terá entrado. “Não tenho dados em concreto mas vamos apurar a situação”, disse a responsável.

Fonte da GNR confirma a identificação de um segundo suspeito (de 16 anos) já no dia de hoje. Esclareça-se que o processo encontra-se neste momento na fase de inquérito.

Ontem, no local, a GNR elaborou o auto de notícia e decorrerá agora “o processo normal” acrescentou o Capitão Flambó. Ou seja, seguirá para o Ministério Público.

Fonte: MedioTejo

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here