Home Notícias Aluna encontrou lagarta viva em refeição servida no refeitório da escola

Aluna encontrou lagarta viva em refeição servida no refeitório da escola

842
1

Depois de várias notícias sobre a qualidade e quantidade das refeições escolares e de 70 queixas apresentadas desde o início do ano, já não podemos falar em situações esporádicas. O Ministério de Educação tem de deixar de ignorar o problema, empurrando o assunto para as escolas e pressionar quem de direito para que se cumpram os padrões de qualidade alimentar que as notas crianças merecem.

A escola pública deve liderar pelo exemplo e a alimentação escolar não pode ser negligenciada. São os almoços, são as máquinas de chocolates e bebidas açucaradas, é a escassez de alimento no bar que na parte da tarde já quase que não tem comida. É tudo ao mínimo, tudo a pensar em quantos cêntimos podem ser poupados e é triste viver num país que quer poupar na alimentação das suas crianças e jovens.

Fica o resumo do que aconteceu:

Postagem da aluna no facebook

“Só quero deixar aqui uma das coisas que se encontra na cantina da escola André Soares em Braga, só gostava que isto chegasse a imensas pessoas para verem o que ‘nós’ comemos na cantina da escola”

(carregar na imagem para ver o vídeo)

Os pais exigem respostas

(carregar na imagem para ler todo o comunicado)

A diretora responde

“À Associaçao de Pais/EE da EB2,3 André Soares

De facto, estas situações não podem acontecer. A escola tem responsabilidade no que diz respeito à garantia de cumprimento das regras de higiene e à denúncia de situações irregulares e que colocam em causa a saúde e bem estar dos seus alunos. Assim fazemos, acompanhando o serviço de refeição, supervisionando o comportamento na fila, por professores e funcionário, na entrada do refeitório, onde os alunos devem lavar as mãos e registar a entrada, na fila do self onde os alunos colocam os talheres, prato, copo, … fruta e depois o prato da comida e sopa. E ainda o seu comportamento no decorrer da refeição e a entrega do tabuleiro depois, verificando de comeu tudo, se há algum problema.

Periodicamente, o Programa de Salubridade Alimentar nas Cantinas Escolares, da ARS Norte, do SNS e do ACES Braga, inspecionam as condições de funcionamento e emitem relatório assinado pelo Técnico de Saúde Ambiental.

Todos os dias a Professora Manuela Silva da Direção, que acompanha diariamente o serviço da cantina, em conjunto com a Assistente Técnica Alexandra Santos, preenche na aplicação REVVASE o registo das anomalias verificadas no serviço. Quantidade da comida, qualidade da comida, calibre da fruta, higiene, número de funcionários (da empresa) em serviço, …

É este o procedimento que devemos ter, no cumprimento das orientações superiores.

A situação da alface mal lavada, é o reflexo da falta de funcionários que a empresa tem ao serviço do refeitório. Foi feita a devida chamada de atenção, o cuidado que se deve ter com a higiene dos alimentos.

A empresa responsável, UNISELF, contratada pelo Ministério da Educação, deve rever os seus procedimentos no que respeita ao serviço de refeições. Principalmente, deve colocar ao serviço o número de funcionários contratualizado, o que não acontece a maior parte dos dias.
Continuaremos a denunciar esta situação, continuaremos a acompanhar as refeições. Em alguns dias, eu apoio o serviço das refeições, almoço na cantina algumas vezes, sempre no final, depois de todos os alunos.

Esperamos que nunca mais se repita esta situação. É uma situação que nos entristece, pois é o nome André Soares que está em causa!

Com os melhores cumprimentos
Maria da Graça Moura”

O jornal Público recorda que

Na semana passada, mais de 60 cantinas de escolas da região Norte foram encerradas devido à greve dos trabalhadores da Uniself, que exigiam ao Ministério da Educação que fizesse a empresa cumprir o caderno de encargos.

Aguarda-se pelos esclarecimentos do Ministério de Educação…

Fonte: Público

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here