Home Escola Alegoria da Avaliação Inclusiva – Roberto Linhares

Alegoria da Avaliação Inclusiva – Roberto Linhares

1225
2
Numa escola para macacos, treinavam-se os jovens para apanhar cocos.
As aulas eram pensadas para isso e avaliação também.
Acontece que, um dia, apareceram nessa escola um peixe, um pássaro e uma minhoca.
Incapazes de prestar a mesma prova, foi-lhes exigido que, enquanto os macacos seriam avaliados a subir às árvores, o peixe teria que nadar piscinas, o pássaro teria que voar de árvore em árvore, e a minhoca de fazer túneis.
Todos passaram com distinção. Os macacos, o peixe, o pássaro e a minhoca.
E todos receberam o seu diploma atestando que estavam prontos para ir apanhar cocos.
A Escola fez um brilharete e, mais tarde, na vida de cada um, veio a saber-se que os macacos se deram muito bem, que o pássaro assim assim, a minhoca muito mal, e que o peixe… bem, o peixe ninguém soube mais dele.
E assim foi, numa escola inclusiva.

Comentário: não considero este texto um insulto aos alunos, considero sim uma reflexão extremamente pertinente entre o equilíbrio que deve existir na formação escolar e a preparação para o mercado de trabalho. A tentativa de inclusão é muito válida e deve continuar, mas não da forma como está a acontecer, onde se “atiram” alunos para dentro de salas de aula com turmas de 30 e com um apoio residual de professores de Educação Especial.

Mas mesmo os que não carecem de apoio específico têm ritmos de aprendizagem diferenciados como sabemos. A nova “moda” dos projetos MAIAS, onde cada aluno tem a sua própria escala avaliativa, termina no momento que os sentam para realizarem exames iguais para todos. Queremos diferenciar e uniformizamos ao mesmo tempo. Tal como o discurso da COVID, não existe coerência no rumo que se pretende seguir, levando a que muitos professores, tal como a autora do texto não acredite no processo, e se não acreditar no processo… bem, deixo que concluam o resto…

2 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here