Home Escola Ainda sobre a denúncia da confusão entre técnicos de LGP e professores…

Ainda sobre a denúncia da confusão entre técnicos de LGP e professores…

87
0

Fica o comentário da colega Susana Rodrigues à denúncia efetuado por Ana Susana Cortez.

Boa tarde,
sou intérprete de LGP tal como a Susana e encontro-me na mesma situação. Fiz a não aceitação na escola onde fui inicialmente seleccionada, após verificar em listas provisórias, e após entrevista numa escola onde estavam disponibilizadas 3 vagas e apenas 3 candidatos foram entrevistados (eu incluída), desta forma, matematicamente o resultado só poderia ser positivo, que ficaria colocada em outra escola. Sendo que a localização geográfica da mesma era mais próxima da minha área de residência, e com o objectivo de não atrasar o concurso da escola inicial, contactei a escola a fim de avisar a minha decisão, como era procedimento habitual em anos anteriores. (apesar de a lei ser de 2012, e só ter vigorado a partir de 2014, depois de nova revisão, nós, técnicos especializados não tínhamos até este ano, sido sancionados por este acto de “não aceitação”).

Posteriormente e uma vez que ainda não tinha sido seleccionada na plataforma SIGHRE, dei continuidade ao meu processo concursal em outras escolas deslocando-me a várias para entrevistas. Tive conhecimento da minha penalidade ou que encontrava sancionada pela colega que expõe a situação inicialmente. Nunca em local algum, eu candidata, fui informada da situação em que me encontro. A indignação é imensa e pergunto-me se tenho ou não liberdade para escolher o meu local de trabalho neste país?… Sou penalizada por facilitar o processo de concurso da escola inicial?… O que falta compreender é que no concurso de técnicos especializados não existe qualquer vantagem nesta norma ou lei de exclusão, nem para as escolas, nem para os alunos (que vão ser acompanhados por um técnico menos qualificado que nós, segundo a opinião das escolas que nos seleccionaram), e o candidato que é um ser humano, uma pessoa e não um número como em cada contacto com as entidades responsáveis nos fazem sentir, fica “castigado” para aprender o quê? Digam-me o que fiz de mal e porque mereço castigo porque de facto, perdoem a minha ignorância, mas até agora ainda não fui capaz de perceber…

Susana Rodrigues (intérprete de LGP)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here